quarta-feira, 17 de junho de 2015

Junho, um mês de mudanças

Olá, pessoal!

Peço desculpas pelo sumiço, junho tem sido um mês de muitas mudanças em minha empresa.

Permitam-me compartilhar algumas dessas mudanças (com as devidas cautelas para preservar o anonimato):

Nome da empresa:


Sempre achei que o nome da minha empresa é grande e de difícil memorização. Ao longo dos últimos meses, vim conseguindo demonstrar pros meus sócios que a maioria dos clientes não se referiam à nossa empresa pelo nome dela, mas sim sempre com palavras tipo "o escritório do Fulano (um dos sócios)", ou "a consultoria do Ciclano (outro sócio)", enfim... basta ter bom senso pra saber que isso é bem ruim se analisarmos sob o prisma da consolidação da empresa no mercado.

Agora em junho finalmente reduzimos o nome da empresa, e devo dizer que estou muito satisfeito com o novo nome: tem apenas cinco letras e é meio que uma redução do nome antigo, de modo que a mudança não vai causar muita confusão para os clientes que já temos.

 Identidade visual:

Aproveitando a ocasião do novo nome, pagamos uma empresa de comunicação para criar a nova identidade visual do nosso negócio. Papel timbrado, envelopes, cartões de negócio e outras coisas, tudo reformulado! Tivemos algumas birras com a empresa de comunicação pois eles são um bando de maconheiros viados que ficam com o orgulho artístico ferido quando você pede pra fazerem algumas mudanças para adequar o trabalho deles ao seu gosto, mas no fim deu tudo certo.

 Website: 

Contratamos uns caras que parecem ser muito bons (digo isso com base no portfólio deles) para desenvolver o site de nossa empresa. Não tenho muito a escrever sobre isso, a contratação ocorreu literalmente hoje e ainda tem muito o que ser feito (inclusive de nossa parte, que é escrever o conteúdo do site, descrição de nossos serviços etc).

  Redução do espaço físico:

Olho de longe o prédio onde funciona minha empresa e vejo placas de "aluga-se" penduradas em várias janelas. Olho os prédios das redondezas e vejo a mesma coisa: "aluga-se" aqui, "aluga-se" ali, "aluga-se" acolá... é a crise fodendo falindo muitas empresas por aí.

Conforme conversei com um pessoal da administração do prédio onde funciona minha empresa, tem gente ofertando sala para aluguel por ridículos R$ 650/mês... e caras, estou falando de uma das áreas comerciais mais nobres de uma capital de Estado.

Dentro de um cenário desses, o contrato de locação de uma das salas da minha empresa vence agora em junho, e eis que a imobiliária inventa de, no começo deste mês, enviar uma carta falando que para renovar o contrato de locação o aluguel passará de R$ 800,00 para R$ 1.020,00.

Nossa reação ao ler a carta da imobiliária
Ligamos para a imobiliária informando o desinteresse na renovação do aluguel, e eles já ligaram de volta pra gente propondo R$ 900,00/mês, e depois R$ 800,00/mês... mas eles podem enfiar a sala no meio do cu pegar a sala de volta, pois decidimos por não renovar a locação. Será mais uma sala com placa de "aluga-se" colada na janela... meus parabéns para a imobiliária.

Preparar a devolução da sala tem sido trabalhoso (pintor, eletricista, marceneiro pra retirar as benfeitorias etc etc etc...), mas há males que vem para o bem: a devolução da sala não descaracteriza o espaço físico da empresa (temos três outras salas contínuas num corredor que fechamos com uma porta de vidro), não tem grandes consequências em termos operacionais e gerará uma economia de R$ 1.300,00/mês (aluguel/condomínio/luz/IPTU), algo que me deixa muito feliz.

Resumindo: 

Vejo com muito bons olhos todas essas mudanças que estão acontecendo, aliás, essas três mudanças acima narradas são coisas que eu venho suscitando em reunião de sócios há muito tempo e finalmente estão se concretizando.

Bom, por hoje é só, um abraço!

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Desempenho maio/2015

Bom dia, como estão? Espero que estejam todos felizes e saudáveis.

Segue maio/2015:


Esses valores estão alocados da seguinte maneira: R$ 21.740,39 em uma LCI 97% do CDI que vence em agosto/2015; R$ 12.391,50 em NTN-B Principal IPCA + 6,32% que vence em maio/2019; R$ 5.881,12 em caderneta de poupança; R$ 10,16 parados e sem render bulhufas na conta da corretora de valores; totalizando 40.023,17.

O aporte do mês de maio foi um pouco superior a R$ 3k.

Como vocês podem ver, consegui, FINALMENTE, chegar na casa dos R$ 40k, vulgos 4% de um milhão.

Abraço!