quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Direito, engenharia e medicina nos dias de hoje

Estava conversando com uma senhora que está em seus 60 anos de idade e ela me disse que, em sua juventude, sucesso profissional era ser bancário.

Isso mesmo, bancário.
Segundo ela, há algumas décadas atrás não havia nada mais descolado do que trabalhar em banco, tanto é que, quando ela largou o Banco do Brasil para ser juíza de direito, o pai dela ficou tão enraivecido que cortou contato com ela.

Pra vocês verem como o tempo muda as coisas: hoje a classe bancária não tem 1/10 da relevância que tinha antigamente (ferrados pela tecnologia) e o cargo de juiz de direito, que antes não era lá tão expressivo, hoje é cobiçado por milhares de pessoas que se digladiam em concursos públicos.

Eu não vivi nessa época nem sei se ela exagerou no que me disse, mas tem uma lição aí: as profissões do momento vem e vão ao longo dos anos.

Uma coisa que eu vivi (e vocês provavelmente também viveram) é que, até não muito tempo atrás, quem quisesse encher a família de orgulho e adquirir um status de "bem de vida" poderia recorrer a três cursos: direito, engenharia e medicina. 

Essa "tríade do sucesso" começou a ruir quando o MEC decidiu que qualquer muquifo fedorento poderia se tornar uma instituição de ensino superior, o que culminou no surgimento de milhares de faculdades de credibilidade extremamente duvidosa.

Pode transformar esse cativeiro em instituição de ensino superior, o MEC aprova.
Não é novidade para ninguém que o primeiro curso a se dar mal com essa história foi o de direito. Sem a necessidade de montar laboratórios e manter equipamentos complexos,  os cursos de direito se proliferaram como o Aedes aegypti, vendendo "o sonho de ser dotô" para quem quer que se dispusesse a pagar mensalidade.

A consequência disso é patética: o Brasil passou a ter mais cursos de direito do que todos os outros países do mundo juntos. Em 2010 eram 1.240 cursos jurídicos no Brasil, enquanto o resto do planeta somava 1.100 cursos (fonte). 

Como o direito se tornou a prostituta dos cursos superiores, o mercado jurídico implodiu. Conheço bastante gente formada em direito e sei que o mercado (ao menos por aqui) está pagando aproximadamente R$ 1.200/mês para advogados em início de carreira, além de ter uma galera por aí fazendo audiências avulsas por R$ 30 e coisas do gênero. 

Foto oficial dos formandos da turma 2016/1 da Faculdade de Direito do Noroeste do Amapá
Quem ganha com isso é o Estado, que deve estar arrecadando fortunas com taxas de inscrição de concursos públicos; os cursinhos para concurso e a OAB, que enquanto finge indignação com a proliferação dos cursos de direito, embolsa uma grana preta com o exame de ordem e com a anuidade paga pelos 5 advogados por metro quadrado que existem no país.

A engenharia, ao que tudo indica, está caminhando para o mesmo destino que o direito. 

Nos últimos 5 anos, todas as faculdades aqui das redondezas que têm fama de colocar diploma na mão de analfabetos funcionais passaram a oferecer seus respectivos cursos de engenharia.

Conheço alguns engenheiros formados em federal, minha namorada inclusive, e eles contam que, quando eram estudantes, as empresas iam até a universidade para tentar contratar os alunos do décimo período... era um verdadeiro "vem trabalhar pra mim, pelo amor de Deus!". 

O que antes era emprego garantido, hoje não existe mais. Muita gente da engenharia está terminando o curso com o cu na mão de entrar na estatística do desemprego, e algumas pessoas que conheço estão de fato desempregadas, enquanto outras estão trabalhando por R$ 2 mil/mês, algo inimaginável há alguns anos atrás, e absolutamente incompatível com a importância dessa função.

Um exército de engenheiros mal formados, fudidos e mal pagos está em busca de seu lugar ao sol no mercado de trabalho. Vai dar merda.
Sei que o plano da Dilma de destruir a economia nacional influencia bastante na diminuição das oportunidades para engenheiros, mas o problema parece ir além disso. Semana passada saiu uma matéria na Folha de São Paulo cujo título é "Engenheiros ficam sem emprego, mudam de área e vão até para o Uber", que traz estatísticas perturbadoras ao demonstrar o crescimento vertiginoso das vagas em curso de engenharia.

Felizmente para os engenheiros, existem ótimas oportunidades fora do país. Se eu pudesse voltar no tempo, possivelmente cursaria engenharia e tentaria sair do país o mais rápido possível.

Da "tríade do sucesso" mencionada no começo do post só restou a medicina. 

"Como assim só ganhei R$ 21 mil neste mês?"
Enquanto o direito afundou e a engenharia está afundando, o curso de medicina parece manter seu status de porto seguro em termos de estabilidade financeira.

Isso ocorre pois a estrutura necessária para manter um curso de medicina está fora do alcance da grande maioria das faculdades que surgiram em cada esquina do nosso Brasil varonil.

Além do mais, o curso é caro e não é pra qualquer um: passar nas universidades públicas exige uma capacidade que poucos tem, e a mensalidade em uma faculdade particular de medicina custa em média R$ 4.500. Amigo, isso é muito dinheiro, papai tem que ser muito bem de vida para bancar um troço desses por mais de meia década.

Esses dois fatores elitizam o curso e preservam a reserva de mercado, fazendo com que somente 23.441 vagas para medicina sejam disponibilizadas ao ano.

Apesar disso, aqui na minha cidade 3 faculdades não muito respeitadas passaram a oferecer curso de medicina, o que vai colocar, anualmente, mais 240 médicos de competência questionável no mercado de trabalho.

Alguns conhecidos meus que são completos retardados mentais estão terminando medicina nessas faculdades, a demonstrar que o processo seletivo para entrar nelas consiste em uma pergunta: "Seu pai consegue pagar?".

Para o desespero dos que se beneficiam da reserva de mercado natural que o caríssimo curso de medicina parece ter, no meio do ano passado o Governo anunciou a intenção de criar mais de 11 mil vagas para tal curso até 2017.

Aumentar em quase 50% as vagas de graduação em medicina parece ser uma meta ambiciosa, mas não é nenhuma missão impossível se considerarmos que o MEC é especialista em autorizar o funcionamento de cursos de graduação vagabundos (direito e engenharia estão se ferrando por conta disso já há alguns anos).

Ainda é tempo de cursar medicina, mas a sensação que tenho é que o futuro da profissão parece não ser tão brilhante quanto seu presente.

Abraço!

125 comentários:

  1. Está realmente foda, Madruga.

    Lá no distante ano de 1993, quando comecei o meu curso de engenharia na federal, o país estava arrasado economicamente; estávamos acabando de sair da "década perdida", milhares de engenheiros desempregados. Não havia produção industrial nacional relevante e o monstro chinês ainda não tinha dado o ar de sua graça. Vi muita gente simplesmente dizer que eu era maluco por ir estudar um lance muito difícil (engenharia) e que não tinha emprego em lugar algum. Todavia, eu estava ciente daquilo, e já estava preparado para fazer o "trabalho sujo", ou seja, ia me virar, fazer mestrado, doutorado, dar aula, eu iria fazer alguma coisa. Não nasci quadrado.

    Vi a primeira leva desse monte de analfabetos começar a estudar Direito. Afinal, quer coisa mais cômoda para o chimpanzé macacóide bostileiro: não precisa estudar matemática, é só leitura-leitura-leitura (ou seja, nas palavras do Pobreta, enrolação-enrolação-enrolação), qualquer esquina (e era esquina mesmo) tina uma escolinha da tia Lala para qualquer um se matricular e ainda dava para virar "doutô" e ganhar muito dinheiro... esse era o elo perdido e sonho dourado dos que estudavam direito... só esqueceram de avisar para os tontos que mais um monte de gente pensou da mesma forma... Vi muita gente sem condições alguma entrar para as tais "faculdades" de direito. Tenho um conhecido que ficou de 1993 a 1999 tentando passar num vestibular de alguma faculdade séria, depois desistiu e foi estudar numa uniesquina (que são praticamente todas as outras), se formou e a faculdade inclusive FECHOU tempos depois. O cara não sabe nem escrever. Tá até hoje estudando para um concurso desses lixo de técnico judiciário.

    A engenharia era uma merda quando comecei a estudar. Qual não foi a minha surpresa, nos anos 2000, com a política artificial do nosso irresponsável governo, fomentou um crescimento falso do mercado: era 2006, 2007, Brasil "potência", "precisamos formar tantos engenheiros quanto a China!"; "Brasil tem déficit de engenheiros", e lá vai o gado caindo na historinha de novo...

    O Bostil é um país de macacos. É um país amacacado, apatetado e subdesenvolvido. Nada nunca dará certo nessa pocilga. Fico triste e feliz quando vejo essa situação da engenharia no Bostil. Mas, os bostileiros merecem. Tudo e mais um pouco.

    Quanto à Medicina, ainda não saturou. Mas provavelmente vai saturar. Esse fetiche terceiro-mundista de achar que todos têm que ter curso superior para o país prosperar vai cobrar o preço. E então seremos um sociedade de um país sui generis: engenheiros taxistas e prostitutas com mestrado em sociologia. E todos ganhando o salário mínimo.

    Bostil varonil!!!

    Bom post.

    Forte abraço.

    Fernão Capelo Gaivota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, se vc entrar na viagem pessimista, anti tudo, estilo Corey, vai entrar em depressão.

      Todo mês meu patrimônio aumenta, recebo mais e mais proventos de fiis que não são tributados, coisa que nenhum outro país faz.

      O presidente da VIVO que nasceu em Israel, diz que os pessimistas devem ir para Miami.Ele é burro ?

      Excluir
    2. Temos uma elite política que é um lixo. Junto com Globo e Veja que são duas desgraças para a humanidade.

      Excluir
    3. Se o Corey e o Rover fossem pessimistas eles não seriam empresários porque tem que ser muito confiante no futuro do Brasil pra ser empresário por aqui. Eles são realistas, aquele post épico do Rover do por que todo mundo deveria considerar sair do Brasil foi um tapa na minha cara mas no final concordei com ele. O anônimo acima não falou nada além da verdade. Podem criticar o quanto quiserem os Estados Unidos e é claro que é um país cheio de problema e que o povo não é dos mais espertos mas acontece que eles são muito mais desenvolvidos que nós em absolutamente todos os aspectos (quem diz o contrário ou nunca visitou o país ou é burro mesmo), é cheio de oportunidade pra quem deseja trabalhar e a classe média leva uma vida muito melhor que os ricos brasileiros mesmo fazendo cagadas financeiras uma em cima da outra.

      Excluir
    4. amigo corey vive falando em vender loja e ir embora, isso eh otimismo pra vc?

      Já rover todo mundo sabe que trabalha na emrpesa do pai. para de chamar rover de empresário pq vc ofende quem eh empresário de verdade

      Excluir
    5. não conheço nem um nem outro

      não entendi o que tem a ver querer ir pra outro país com pessimismo?

      quem disse que o rover trabalha na empresa do pai? e se for? qual o problema?

      Excluir
    6. Fernão, ótimo relato, obrigado por compartilhar. Segundo o link da Folha de São Paulo que coloquei no post, em abril/2013 o Aluízio Mercadante declarou que o Brasil precisa de mais engenheiros... menos de 3 anos depois podemos ver que ele se enganou bastante.

      Anon das 11:34, eu particularmente tento ser otimista, mas não sei se consigo. No caso do exemplo do FII que você usou, o Romero Jucá está tentando passar uma Medida Provisória que tributa rendimento de FII, tributa LCI/LCA... essa imprevisibilidade que atrapalha meu otimismo.

      Abraço aos dois!

      Excluir
    7. Déficit de engenheiros/profissionais de Exatas é uma das maiores LOROTAS da humanidade. E olha que isso é repetido não só no Brasil, como também nos EUA, Europa, etc. É como se fosse um delírio coletivo, algo a lá Goebbels, uma mentira repetida tantas vezes que se tornou verdade inquestionável.
      Nos EUA essa mentira tem propósitos muito claros: aumentar a quantidade de vistos H-1B, para que profissionais estrangeiros possam trabalhar por valores irrisórios. Afinal, o custo principal de uma empresa de engenharia/software é mão de obra. Com excesso de oferta, os valores pagos naturalmente caem.
      Enfim, o que o Brasil precisa é de Engenheiros de ponta, como aqueles do ITA, IME, Poli. Profissionais que façam ENGENHARIA de verdade, e não macacos amestrados de dinâmicas de grupo conduzidas por psicóticas retardadas. O resto, lixos formados em particulares de beira de estrada principalmente, poderiam ser bem melhor aproveitados em posições técnicas de 2o grau.
      E dessa forma caminhamos rumo à Índia, com taxistas doutores em Engenharia.

      Excluir
  2. Olá Seu Madruga. Confesso que estou extremamente preocupado com essas políticas malditas do PT de inclusão de qualquer analfabeto funcional no ensino superior. Faço engenharia elétrica e me dedico integralmente para ter uma boa formação enquanto muitos colegas de sala pouco estudam e chegam no dia da prova perguntando o que vai cair para se ver o nível de comprometimento e seriedade existente no ensino superior atual. Eu não vejo mais saída nesse mundo para os profissionais atuais dessas 3 áreas. Vi o comentário esses dias de que é "Medicina ou Morte" e atualmente está sendo o único curso que está salvando seja pela importância da profissão e pela pouca quantidade de médicos disponíveis. Não sei mais o que fazer pois a tecnologia está acabando com muitos empregos e os únicas formações que davam dinheiro estão sendo destruídas. Só resta medicina ou concursos porque empreendedorismo no Brasil é algo muito complicado devido a alta carga tributária. Sonho em sair da corrida dos ratos mas fico cada dia mais triste ao saber que a minha realidade é dura. Um abraço Seu Madruga. Seu blog é de ótima qualidade e se quiser me encontro disponível para troca de divulgação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Investidor Engenheiro, tudo bem? Desejo sucesso pra você, que pelo visto vai se destacar mais que seus colegas de sala.

      Talvez seja bom você procurar um estágio nos últimos anos de curso e fazer um networking violento pra conhecer gente que já está no mercado (funcionou comigo).

      Eu particularmente tenho muito respeito pelas engenharias.

      Todo mundo lembra que médicos salvam vidas, e sem sombra de dúvidas isso é importantíssimo, mas pelo visto as pessoas estão subestimando a importância de engenheiros bem formados.

      Vamos pegar a engenharia civil como exemplo.

      Lembro até hoje daquele edifício Palace II no Rio de Janeiro, que por conta de um erro de cálculo estrutural desmoronou e matou 8, depois teve que ser implodido pois colocava pessoas e outros prédios em risco.

      Também me recordo do caso do viaduto que desabou em BH e matou dois (o viaduto na foto do post). Pense no prejuízo que aquela merda não deu para um monte de gente?

      Agora imagina uma horda de engenheiros despreparados no mercado transformando incompetência em prédios... acho que as consequências disso podem ser catastróficas.

      Acho que se o MEC chegou ao baixo nível de ligar o foda-se para a qualidade dos cursos de engenharia, possivelmente fará o mesmo em relação aos cursos de medicina, mesmo que o curso seja diretamente relacionado à saúde das pessoas.

      Darei uma olhada no seu blog, abraço!

      Excluir
    2. Sou formado em Engenharia Elétrica, concordo com tudo o que está exposto neste blog, porém acho um tanto discriminatório e injusto uma afirmação, dando a entender que a Engenharia deveria ser "acessada" somente pela "Elite Brasileira", nos dias de hoje. O mercado acaba eliminando os "maus profissionais", nas maioria das vezes. Acredito, que independente da condições social, o que conta muito também, é a força de vontade, a dedicação e o empenho de um estudante durante o seu curso de graduação, seja na Engenharia ou qualquer outra área. As chances devem existir para todos, desde que exista a aptidão (base mínima de matemática, física, etc) para o aluno cursar uma graduação de Engenharia. Vi alunos com poucas condições financeiras se dedicarem muito mais que alunos com todos os recursos disponíveis. Então, essa história de elite é conversa.....

      O problema, é que nosso Brasil não é um país sério e tem muita empresa que também não é séria. Não respeitam salário básico, sugam até a alma....e para fechar, somos um classe desunida. Eu recuso uma proposta abaixo do piso, mas aí vem o colega e aceita a proposta, aí fica difícil.

      Muitos RH nem sabe o que querem, ficamos nas mãos de uns verdadeiros imbecis, na hora de selecionar currículos e fazer as entrevistas. Tem cada anúncio ridículo, sem fundamento.

      Mas é a realidade, o mercado saturou, poucas oportunidades, realmente não sei onde vamos parar......

      Excluir
    3. .....continuando, é um absurdo curso de Engenharia EAD, eu me "FODI" cursando a Engenharia Elétrica, não fui o melhor aluno, mas eu sei o quanto me dediquei. Passava madrugadas, finais de semana, direto estudando! Não faltava aulas (pq depois era pior para recuperar), corria na biblioteca que nem rato atrás de livros.....agora os caras vão 1 vez por semana assistir uma aula num telão e o resto da semana ficam assistindo aula pela internet?? Mas vão pra puta que pariu, como o MEC e CREA permitem isso gente??? Isso é uma aberração!!!!!!!!!!!

      Excluir
  3. Excelente análise Madruga.
    Concordo com tudo que foi dito. Acredito que a saturação ocorrida com o Direito e a Engenharia atingirá a Medicina somente no longo prazo.

    Semanas atrás um formado em Direito veio até a empresa que trabalho entregar currículo e perguntou se estávamos contratando. Respondi que não. Olhando o currículo informei que a parte jurídica é feita por empresa terceirizada e que não contratávamos advogados. Ele respondeu que não precisava contratar como advogado, e que qualquer vaga ele estaria disposto, inclusive que seu último emprego foi como vendedor temporário em uma loja do shopping, ele havia sido contratado somente para as vendas de fim de ano e depois foi dispensado. Informei que qualquer coisa entraríamos em contato. Ele foi embora com sua camisa encharcada de suor, sinal de que estava o dia todo andando para entregar currículos. Mais um "dotô" do Bostil.
    E quando quiser escrever um artigo sobre como se foder na vida se formando em Administração estou à disposição.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Pé de Cana! Ano passado também apareceu um advogado entregando currículo lá na empresa. O currículo dele era enorme, com 3 décadas de mercado, e lá estava o sujeito de porta em porta procurando emprego. O currículo dele foi direto pro lixo, também não precisávamos dos serviços dele, mas penso nisso até hoje, espero não chegar na situação que esse cara chegou.

      Abraço!

      Excluir
    2. Fala SM

      é por isso que investimos, para nunca sequer cogitarmos passar por uma situação próxima dessa. espero trabalhar por 20 anos e depois aproveitar...

      infelizmente para a grande maioria dos brasileiros que vivem a la carpe diem, o amanhã é incerto...

      Excluir
  4. Sinceramente, eu vou estimular meu sobrinho de dez anos a fazer Contabilidade numa federal e depois fazer concurso para Auditor. Contabilidade ajuda muito nos concursos fiscais. Com 10k iniciais, esse emprego vai sempre atrair gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concurso, concurso, concurso

      chega disso! o cara faz faculdade pra passar em concurso e se não passar?

      Excluir
    2. Quem se prepara desde o Ensino Médio tem muito mais chances.

      Sou concursado e vou ficar no serv. Público até chegar a 1,5M. Daqui a uns 12 anos.

      Quero mais dinheiro para mim e minha família, logo meu sobrinho ou faz prova para a a Receita Federal ou para algum fisco estadual que pague excelentemente bem.

      Excluir
    3. Anon das 11:21, eu gosto da ideia, mas o que o Anon das 11:32 realmente é motivo de preocupação.

      Concurso não tá fácil e a tendência é piorar, se o menino não passar em nenhum terá que ir pra iniciativa privada. Contador da iniciativa privada parece ser algo tenso, são muitos dados, muitas responsabilidades, qualquer erro pode gerar um passivo tributário, não pode ficar 1 ano sem estudar senão começa a enferrujar pois as regras contábeis mudam o tempo todo.

      Abraços!

      Excluir
    4. Melhor curso para concurso, inclusive de auditor, é direito. Aliás, no concurso de auditor que prestei (e fui aprovado) não caiu auditoria. kkkk. Só contabilidade geral. Mas tinha um monte de direito. By the way, auditor começa ganhando 14 mil brutos.

      Excluir
    5. Anon 10:28, conheço um cara formado em direito que passou num concurso para auditor do TCE. O cara tá rindo a toa.

      Excluir
    6. Sou Auditor Fiscal em SP e digo que a maioria dos meus colegas (inclusive eu) são engenheiros. Da minha turma, menos de 10% eram advogados. Percebam o ERAM, pois tal como eu, vários começaram a cursar Direito após a aprovação.
      Digo inclusive que o Direito ajuda pouco, AINDA QUE a maioria das matérias sejam jurídicas. Isto pois caem também matérias de exatas ou com viés de exatas, como Estatística, Economia, MatFin e Contabilidade (que hoje tem um foco mais conceitual, é verdade).
      A conclusão que cheguei para essa discrepância é que é mais fácil para um cara de exatas aprender Direito do que um advogado aprender exatas.

      Excluir
    7. Engraçado anon, não acompanho concursos então não sabia disso, mas eu imaginava que prova pra auditor fiscal era 90% direito tributário.

      Excluir
  5. Cursar engenharia aqui e trabalhar lá fora? Tá de brincadeira Madruga! faculdade no Brasil é piada pronta, o melhor curso aqui não é equivalente nem a um curso técnico nos EUA ou Canadá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Corey e outros caras amam os EUA de paixão, mas para mim, classe média é idiota aqui, na China, nos EUA e em qualquer lugar.

      Entrei na bolsa para ficar rico, não para viver vidinha meleca de classe média.

      Um engenheiro americano que saiba tudo da profissõ, mas que é analfa financeiro, continua sendo um merda que não sabe escolher uma ação decente. Comerciante burro que tb não sabe nada de RV não merece minha admiração.

      Os empregos servem para dar salário, que será usado para comprar fiis e ações. Emprego não é maravilha em lugar nenhuma. É contrato.

      Excluir
    2. Anon das 11:27, será que é difícil estudar engenharia aqui e ir lá pra fora? Acho que os EUA são muito abertos a profissionais estrangeiros, não?

      Bom, com alguma frequência vejo notícia do tipo "Consulado do Canadá procura engenheiros/médicos/etc brasileiros"... a partir disso imaginei que fosse fácil sair do país para trabalhar como engenheiro no exterior.

      Mas enfim, não sei se é fácil, mas sempre tive a sensação de que também não é uma missão impossível.

      Anon das 11:41, concordo contigo sobre ser um profissional bem sucedido e ser analfa financeiro... isso é um desperdício de potencial! Uma coisa meio que complementa a outra.

      Abraço aos dois!

      Excluir
    3. Você está enganadíssimo! Eles procuram PROFISSIONAIS, pessoas de alto nível e não um zé bosta qualquer de uniesquina ou até mesmo federal. As únicas universidades públicas que formam eng's decentes não chegam a 10.

      Tenho um conhecido que acabou de rodar numa demissão de uma multinacional aqui de SP e decidiu imigrar pra Austrália. Segundo ele, não se pode exercer a profissão lá e é preciso fazer um tal curso de quase 3 anos para "revalidar" o diploma, o que é praticamente outra faculdade, mas ele também poderia fazer outro de 1 ano que o habilitaria a trabalhar na área técnica.

      Em resumo pode-se sim ir para fora pela profissão de engenheiro e médico, MAS somente se você já for contratado aqui e receber visto para ir trabalhar lá através da empresa, caso contrário terá apenas um pedaço de papel escrito em português.

      Excluir
    4. Pessoal, vcs precisam de informar mais... As faculdades de Engenharia do Brasil (as federais é claro) estão entre as melhores do mundo! Tenho amigos que fizeram intercâmbio e receberam convites para mestrado até no MIT. Qualquer mudança de país exige validação de diploma, até quem estudou fora e vem para o Brasil precisa fazer isso...

      Excluir
  6. Engenharia sempre foi um lixo. Vive de ciclos, com períodos de grande desemprego na década de 80, final dos anos 90 e agora.
    Direito é excelente, mas só serve pra concursos e não é pra gente burra (maioria). Com a edição das súmulas vinculantes, houve um fortalecimento muito grande do Judiciário. Tanto é que conheço alguns médicos bons que cursam/cursaram Direito pensando em prestar concurso.
    Quanto à Medicina, o que vai diferenciar um bom e mal médico é a residência. O valor dos plantões de generalistas diminuiu muito. Mas se você for um cirurgião de mão por exemplo (de 11 a 13 anos pra se formar), ou seja, com uma porta de entrada extensa e difícil, dificilmente não será rico. Além disso, é fundamental na Medicina ser empreendedor, com forte marketing pessoal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Médicos estudando direito pra mudar de profissão... quem diria. O que mais vejo por aí é a galera do direito arrependida de não ter feito medicina rs.

      Abraço!

      Excluir
    2. Isso só pode ser brincadeira, Madruga. QUALQUER médico, ainda que seja um idiota, ganha uns 15 mil de salário. Nunca trocaria par trabalhar no judiciários, ainda mais depois de estudar quase 10 anos de medicina

      Excluir
    3. As coisas mudaram para os médicos tbm... Quem não faz residência tá ganhando uma mixaria pra dar plantão em PS de clínica particular. É claro que quem sofre é a população com esses médicos mal formados...

      Excluir
  7. Ótima análise. Sobre os juízes e promotores, em set de 1993 houve uma reportagem da veja em que falavam que muitos estavam seguindo a profissão pois ganhavam '1500 dólares', 'o dobro de advogados em início de carreira'. Está lá no acervo digital da veja pra todo mundo ver. Seria aproximadamente uns 2500 dólares hoje, pra ver como a realidade desses caras mudou.

    Engenharia sempre vai depender da economia. Ontem foi o engenheiro que virou suco e o engenheiro taxista, hoje é o engenheiro do uber.

    Medicina é opção segura por agora. Se vai continuar assim eu não sei, mas por enquanto ainda é um jeito certo de escapar do sub-emprego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juiz e promotor são duas carreiras que de fato tiveram uma ascensão meteórica dos anos 90 para cá.

      Acho que eles se deram conta do poder que têm em um Estado democrático de direito e se organizaram para melhorar suas remunerações.

      Hoje eles têm remuneração surreal com direito a penduricalhos como o tal do auxílio-moradia.

      Pra mim esse tal de auxílio-moradia é bandidagem do mesmo nível que vemos no congresso nacional e nas assembleias legislativas.

      Fico meio puto só de pensar nisso.

      São R$ 4,3 mil indo dos cofres públicos direto pro bolso das excelências, sem nem mesmo incidir IR por se tratar de "verba indenizatória".

      Ah, esse Brasil.

      Abraço!

      Excluir
  8. O que mais me preocupa é saber que amanhã, um desses "retardados mentais" pode estar fazendo algum diagnóstico ou até mesmo uma operação minha ou de alguém da minha família.

    Madruga, sinceramente vejo medicina caminhando muito mais rápido do que imaginamos para o mesmo destino que direito e engenharia.
    Aqui mesmo no RJ, faculdades mais populares (Estácio, UVA, etc.) estão começando a oferecer o curso de medicina em unidades específicas. Isso à algum tempo atrás era praticamente impossível para uma faculdade particular do Rio de Janeiro (Com exceção da PUC).

    Só achei que faltou o curso de Administração ai hein haha. Com todo respeito à quem fez ou faz o curso, mas que isso já virou fato, ah virou !

    Post top Madruga, show de bola!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Albino! Rapaz... por enquanto acho que ainda tá tranquilo, mas em questão de alguns anos é melhor a gente tentar descobrir onde o médico fez a graduação antes de marcar uma consulta com ele... pois realmente se trata de um risco de vida colocar sua saúde nas mãos de um médico mal formado.

      Eu não mencionei administração pois conheço pouco a realidade da profissão. Imagino que não deva estar fácil pra ninguém dessa área também.

      Abraço!

      Excluir
    2. Acho que nos EUA é assim. As faculdades estaduais, lá, têm um prestígio menor. Os pacientes se preocupam em saber a formação do médico.

      Excluir
    3. Não sei bem como é a dinâmica entre universidade pública e privada nos EUA. Sei que as graduações mais fudidinhas lá se chamam Community College.

      Excluir
    4. Eu sempre busco o currículo do médico. Mas nem sempre encontro.
      Também é bom atestado de qualidade verificar se ele fez RESIDÊNCIA e não só simples especialização.

      Excluir
    5. Eu nunca busquei currículo pra ser sincero contigo, sempre parti do pressuposto de que o médico é formado em federal ou alguma particular confiável. Agora que tá começando a pipocar particular de qualidade duvidosa, vou começar a pesquisar sobre os médicos antes de ir neles.

      Excluir
    6. Sou médico, e posso garantir que a única coisa boa da profissão é que ainda não fomos atingidos pela crise de desemprego...ainda existe oferta de trabalho para o médico generalista, mas trabalhando que nem um camelo, indo de um plantao pra outro, sem dormir, sem almoço, torcendo pra não tomar calote de prefeitura (medicina é a única profissão sem plano de carreira), ganhando pouco nos empregos concursados...e essa oferta de emprego (o que voces chamam de reserva de mercado, que não existe na medicina) só ocorre no âmbito do SUS, pq o SUS ta pouco se lixando pro médico ou pro paciente. Corre o risco de apanhar de paciente lixo que tá indo no plantao porque quer um atestado já que ficou com preguiça de trabalhar ou entao encheu a cara de cachaça...
      E paciente nenhum se preocupa com a formação do médico...desde que o médico seja "bonzinho e educado" o paciente ja acha que é o melhor profissional do mundo (essa qualidades deveriam ser inerentes em qualquer profissão). Tanto é assim que tem um monte de larápio se fingindo de médico, fazendo procedimentos estéticos, e os pacientes caindo que nem um patinho só pq o médico tem fama que atende bem...isso sem falar dos "médicos" cubanos, a maioria nem médico é (tenho experiencia propria disso pois convivo com os "diagnósticos" e tratamentos desses curandeiros) e o povão coitado, nao ta nem aí desde que receba sua dipirona na veia pra dor...
      Eu me formei em faculdade pública prestigiada, com 90 candidatos/vaga (UFTM), fiz residencia na USP e batalhei por 10 anos estudando...a grande diferença da medicina é que o cara tem que ter colhoes pra fazer um curso bem feito, aguentar uma carga horaria de estudo e trabalho que poucos querem fazer. E nesses 10 anos nao vai conseguir juntar quase nada de dinheiro, enquanto outro profissional se forma em 5 anos e ja ta no mercado de trabalho.
      A parte do médico especialista é outra via das lamúrias...tem que depender de convênio que te paga 40 reais líquido por consulta depois de 30-60 dias de atendimento, isso sem contar as despesas do consultorio. E ai de cobrar mais de 150 reais na consulta, o paciente não valoriza o bom profissional mas paga 150 reais numa escova de cabelo...
      E isso piora cada dia mais por causa dessa abertura desenfreada de faculdades particulares sem o MINIMO de estrutura pra formação do médico (que sai com o mesmo conhecimento do cubano).
      Voces tem que pesquisar sobre o médico antes mesmo, podem cair em muita enrascada por aí.

      Excluir
    7. Henrique, todo médico deve ser educado e atencioso, sim. Lógico que o médico precisa ser competente; é o mínimo que se espera de alguém que estudou tanto.

      E o problema de fazer consulta particular não é o preço dela em si, mas dos exames que o médico pede. Hoje mesmo, após a ida ao otorrino, ouvi o preço dos exames que ele pediu a um paciente, e o valor era de R$750. Ontem fiz uma tomografia dos seios da face, e nem quero saber qual seria o preço particular.

      Paranoid Android

      Excluir
    8. Henrique, legal seu relato. Acho que médico tem que ganhar bem sim, a responsabilidade de um médico é enorme, está a todo momento sujeito a equívocos que podem lhe render processos judiciais cabeludíssimos.

      Lamento pelo que está acontecendo com sua profissão, e lamento mais ainda por me parecer que a tendência é piorar.

      Excluir
    9. Paranoid....esse é um dos problemas da medicina...o custo da evolução no diagnostico e tratamento. As pessoas vivem mais, e isso tem um custo.
      Eu trabalho nessa área e sei disso, e posso te garantir que não é exploraçao, é trabalhar com margens pequenas...uma TC de seios da face no particular vai custar uns 300-400 reais (só que nesse preço ta incluído o custo da maquina, energia, hora do tecnico, filmes radiologicos, e o honorario medico, alem daqueles impostos q todos nós conhecemos)...e aí vai um convenio e paga 100 reais prq clinica, depois de 30-40 dias, sendo que pode pura e simplesmente nao te pagar porque voce fez mais exames em um mês ou por que a guia estava errada (que é um problema da liberaçao do convenio, e nao da clinica). No meu modo de ver os planos de saúde deveriam funcionar como seguros-saúde. A pessoa paga uma quantia mensal pra ter cobertura em exames complexos (p ex Tomografia e ressonancia), internaçao por mais de 3 dias e cirurgias....o resto é com o paciente (honorarios medicos, exames simples). Dessa maneira creio que a saúde suplementar funcionaria melhor.
      Madruga, tem essa questao dos processos e da responsabilidade também, obrigado por me lembrar e por mostrar que valoriza isso!

      Excluir
  9. Madruga, eu também sou totalmente contrário a esta política "Bolsa Tudo" e "Uniesquinas", isto na verdade prejudicou demais, formando vários analfabetos e pessoas sem condições, e com isto, é a lei da oferta e demanda: Quanto mais profissionais, menor o salário ...

    Esta política do "povo" do PT é extremamente prejudicial, e estamos colhendo os frutos agora.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VDC, pelo que eu me lembre você falou que tinha se formado em uniesquina, não ?

      Excluir
    2. Ola. Nao estudei em faculdade do estado, mas minha faculdade na minha area tem bom conceito junto as empresas.

      Apos eu formar proliferaram varias novas faculdades, em cada esquina, cursos por internet, ou seja, degringolou de vez.

      Outra coisa tambem e a questao dos financiamentos estudantis ... Eu paguei as mensalidades.

      Abraco

      Excluir
    3. VDC, parece que o governo quer que o Brasil tenha 200 milhões de graduados. Isso não faz sentido algum, pelo contrário, só transforma a graduação em uma espécie de continuação do ensino médio.

      Esse excesso de contingente realmente só serve pra socar a remuneração das carreiras pra baixo.

      Valeu!

      Excluir
  10. Post interessante Madruga, tenho familiares que atuam ou atuaram nessas profissões, de fato eles sempre falam que ser bancário antigamente era sinal de prosperidade de status, acho que era equivalente no serviço publico ser um Auditor Fiscal da Receita.

    Os familiares advogados não exercem a profissão, fizeram um concurso e pararam por aí, falam que o mercado ta muito cheio.

    O engenheiro,recém formado, fala tanto do mercado como a crise, além de por causa do local onde ele reside não existem tanto mercado como outras regiões do país. Outro engenheiro que conheço foi para fora do Brasil, segundo ele, lá ele é valorizado.

    O médico, também recém formado, esta trabalhando mas fala justamente o que foi foi comentado no post, aos poucos estão perdendo espaço, estão sendo desvalorizados muito por causa dessa abertura de inúmeras faculdades, antes medicina era curso quase que exclusivamente de Faculdades Publicas, não era qualquer um que entrava, com essas particulares qualquer playboy filho de pai rico quer entrar, as vezes não é nem pelo dinheiro e sim pelo status de ser médico.

    Algumas pessoas falam que é besteira isso de abrir inúmeras faculdades, segundo elas os bons profissionais se sobressaem. Não concordo com isso, no final das contas sempre vai ter alguém que vai cobrar menos que você e as pessoas não conseguem distinguir um ótimo profissional de um medíocre, pelo menos inicialmente.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, Zé Ruela, dizer que os bons profissionais se sobressaem é simplório demais. Eu me considero um bom profissional (ao menos tento ser, rs), e direto vem possível cliente na minha empresa e solta um "ain, você tá cobrando R$ 5 mil? Acabei de ir no fulano e ele cobra R$ 2 mil!".

      Muita gente vai no mais barato mesmo e que se dane! E o que não falta por aí é gente cobrando remuneração humilhante pra conseguir um serviço.

      Valeu!

      Excluir
  11. Fala Madruga, excelente análise. Peguei o tempo em que direito ainda era uma profissão respeitada (antes do PT). Inclusive foi uma GUERRA na minha casa pra que eu estudasse direito, que sempre achei um lixo.
    Minha esposa é engenheira, é um absurdo as taxas do CREA, e os pisos irreais que inventam pra que um empresário simplesmente não consiga empregá-los.
    Medicina ainda é imbatível... Vamos ver se a esquerda continuar no poder importando faxineiros cubanos com diploma falso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande CF, bom te ver de volta, já estava achando que seu "away do blog" era definitivo.

      Minha namorada também é engenheira e vive reclamando do CREA. Parece que o CREA só serve pra duas coisas: cobrar anuidade e fuder o engenheiro caso role algum problema.

      Medicina acho que em questão de alguns anos ouviremos médicos dizendo: "há dez anos atrás minha profissão era respeitada e eu ganhava bem!".

      O futuro dirá.

      Abraço!

      Excluir
  12. Parabéns pelo texto! Realmente a proliferação dos cursos de qualidade duvidosa fizeram prostituir o mercado como um todo. A medicina, ainda blindada, está sujeita também a ter seu prestigio diminuído dependendo da quantidade de cursos ofertados no futuro. No final, vai prevalecer a competências e habilidades de cada um para ter o lugar ao sol!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado CFP. Acho que o prestígio vai diminuir.. teve o Mais Médicos e o anúncio de milhares de novas vagas de medicina, acho que o governo está especialmente focado em ferrar com a medicina rs, e o governo é especialista em ferrar as coisas.

      Abraço!

      Excluir
  13. Medicina ainda é medicina, vou estudar pra passar, e quando eu me formar espero que não esteja sucateada igual engenharia e direito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá em frente amigo anon, acho que ainda é tempo de cursar medicina. Abraço!

      Excluir
  14. Engenharia sempre vai pagar bem, sim, desde que esteja numa empresa decente. O salário inicial de engenheiro é de 8,5 salários mínimos. Geralmente é necessário ter feito trainee pracomeçar a carreira com esse salário, ou ter sofrido algum tempo como analista ganhando cerca de 4mil. Agora, se vai conseguir estar empregado ou não, depende do momento da indústria

    Já vi alguns concursos públicos de prefeituras de cidades pobres que pagam 2mil para engenheiro e não muito mais do que isso para médico. Alguém pode me explicar isso? Fica muito abaixo do piso. Não seria ilegal?

    Paranoid Android

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. medico ganhando 2 mil? o concurso que eu menos vi pagar foi de 9 mil, e um plantão de 12 horas gira em torno de 1000 reais, então se o cara só trabalhar 10 dias no mes ele ja faz 10 conto, os outros 20 ele pode ficar coçando o saco, isso que eu falo salário de plantonista, sem especialização

      Excluir
    2. Depende , Depende Depende na prefeitura o piso pode ser este sim devido você entrar como concursado.porem não e so isso devido a plantões que geralmente você pode realizar fds e a carga horaria que da para extender

      Excluir
    3. Paranoid, nunca vi concurso de médico ganhando 2 mil... será que a carga horária é menor? De repente é 20h semanais ou coisa do gênero.

      Agora concurso de engenheiro ganhando R$ 2 mil pra trabalhar 40h semanais eu tô vendo aos montes...

      Excluir
    4. Conferi aqui e é isso mesmo, Seu Madruga. São quase R$2900 por 20h/semana. Ainda assim, acho que é pouco, principalmente se ver que a média de líquido está em cerca de R$6000.

      Engenheiro de prefeitura que dá pena. Dá vontade de bater nesse povo que aceita receber esse salário ridículo de até R$3000 (vencimento base de R$2000), sendo que um técnico na Petrobrás recebe muito mais que isso, e nem é uma prova tão difícil de passar. Foda que nem adianta reclamar com o CREA, já que a única coisa que fazem pelos engenheiros cadastrados é tirar o dinheiro anualmente.

      Paranoid Android

      Excluir
    5. Paranoid, também achei o valor baixo, mesmo sendo 20 horas semanais. Esse deve ser o tipo de cargo que viva aparecendo no fantástico, dos médicos que batem ponto e vão embora trabalhar em outro canto rs.

      Engenheiro de prefeitura tá absolutamente ridícula mesmo a remuneração, e realmente o CREA não faz nada, aliás pelo visto o CREA nunca faz nada em prol dos engenheiros.

      Excluir
    6. Pois é, cara, não duvide que seja esse tipo de médico. Dá pra entender por que eles nem olham pra sua cara quando estão atendendo. Só os em começo de carreira que são atenciosos. A primeira vez que usei SUS foi com uma médica formada em faculdade particular (sim, stalkeei a médica no Facebook haha) e o atendimento foi excelente, porém, na segunda vez que me consultei, foi com um médico nos seus quase 50 anos que tacou um foda-se pra mim. Quando entrei na sala, já estava com a caneta a postos de escrever receita pra qualquer coisa que viria a reclamar.

      Enfim, medicina continua excelente no Brasil, mas tem de tomar cuidado pra não acabar trabalhando para as prefeituras. Diria que isso vale pra qualquer profissão, mas, enfim, divago. Quem tem dúvidas, acessem o Portal da Transparência de suas cidades. Dá pra saber o salário de todos os cargos com todos os bônus e tributos.

      Paranoid Android

      Excluir
    7. esses médicos de 20h, na prática, trabalham 1 dia na semana (e olhe lá!). Dai vale a pena pra eles.

      Excluir
    8. Meu relato, sou um médico sem especialização formado em faculdade federal há 2 anos. A Medicina saturou. Prefeituras dão calote constantemente, porque sempre tem algum recém formado desavisado para pegar esses trabalhos. Não há concursos na saúde que paguem bem. Olhem no PCI concursos o salário do concurso para médico do RJ. E lembrem que um salário de, por exemplo, 7500 num concurso equivale a 5800 líquido, para trabalhar num PSF 40 horas, por exemplo. Plantão até paga bem. Mas quem aguenta ficar atendendo 70 a 100 pacientes num plantão de 24 horas, 3 ou 4 dias toda semana? Plantão não tem natal, não tem ano novo, não tem feriado, se for o dia dele, o médico tem que estar lá. Dois plantões de 24 horas na semana já deixa o médico acabado. Viver de plantão de porta só para quem quer morrer cedo. Ganha bem e tem qualidade de vida quem se especializa, quem é diferenciado, se fizer boas residências em centros renomados, USP etc isso leva tempo, 6 anos de medicina e pelo menos mais 4 anos de residências, para começar. São 10 anos, no mínimo, sem ganhar nada ou praticamente nada só estudando para quem sabe depois ganhar o que um juiz ganha em início de carreira. Sinceramente, se o foco for estabilidade financeira, melhor um desses concursos para Auditor ou fazer Direito e focar em concurso para juiz.

      Excluir
  15. Seu madruga muito bom o post que por sinal ainda irei postar sobre valores de mercado de profissões salários tudo atualizado se possível da uma passadinha no meu blog
    http://andreysallesjr.blogspot.com/


    BANCARIO:A verdade e o seguinte voltando no passado escriturário(BB e CAIXA) realmente ganhavam muito bem sim!!!e verdade o salario era maior que de juiz federal pois antigamente como dito não existia tecnologia era tudo controlado na confiança/ser humano então era necessário altos salários. ate ai blz ?

    medicina: Curso eletista e verdade que os tempos não são como antigamente como os bancários masssssssssssssss por se tratar de um curso eletista cuja profissao e "Salvar VIDAS" sempre terám as melhores remunerações o problema da medicina e que os médicos so querem trabalhar nos grandes centros(melhor aprendizado,estrutura,aparelhos,etc etc) pois tenho amigos que aventuraram em alguns interiores e hoje já são dono de hospitais lembre-se que a lei da oferta e demanda e isso tudo que vocês disseram porem na medicina mesmo que abra milhares de faculdades de medicina são poucos que tem $$ para pagar.

    Direito: Verdade tudo que foi dito hoje em dia o mercado esta saturado única saída e sair dos grandes centros, e olha la!ou fazer concurso que pague bem infelizmente

    Engenharia CIVIL: Vive de ciclos este e o grande problema porem para aqueles aventureiros que não se importa com lugar e que busca experiência pois conta muito no currículo pode ter certeza que no longo prazo você terá uma boa remuneração.

    Concurso Publico: Vejo muita gente falando se eu passar em um concurso estou feito na vida vou aportar Xmil não vou ser demitido e trabalhar nada pessoal eu tenho experiência tanto na carreira privada quanto na publica. CONCURSADO E MELHOR Q INICIATIVA PRIVADA? SIM EM TODOS OS SENTIDOS GANHA MUITO DINHEIRO? NAO MUITO COMO VOCES PENSAM POIS TEM MUITO DESCONTO O SALARIO LIQUIDO E BEM MENOR QUE O BRUTO mas rico você não fica!

    Resumindo: Quer ganhar bem faça medicina e especialize o mais rápido que puder!ponto! mas e os concursos? ok faça concurso que pagam acima de 20mil pois você ira ter quantidade para que no futuro você acumule um patrimônio considerável pois pessoal lembrese o liquido e o que você recebe e este e muito menor que vocês imaginam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou visitar seu blog sim Andrey.

      Você tem razão, cargo público não é meio de enriquecimento, ou ao menos não deveria ser.

      Quem quer ficar rico, rico mesmo, deveria ir pra iniciativa privada.

      Essa tentativa de muitos funcionários públicos de burlar o teto do funcionalismo só mostra a falta de seriedade do nosso país.

      Abraço!

      Excluir
    2. madruga estes que burlam não são concurso de carreira como auditor analista técnico etc etc e sim cargos ligado a políticos como assessores pois eles pagam acima do teto e recebem por fora me entende? a grande maioria não tem como pois existe controle o que não tem controle e judiciário executivo e ministérios etc

      Excluir
  16. Madruga, não sei se vc conheceu o ZéMObral, grande blogueiro que deu uma sumida. Ele era professor de um município em Minas, ganhava, seundo ele, 2k, mas por viver com os pais, aportava 1,5k.

    Depois de 6 anos conseguiu quase 300k. Ora, acredito que um funcionário público possa fazer muita grana de maneira honesta, assim como um imigrante português, dono de marcadinho pôde dar início a uma empresa bilionária como o Pão de Açúcar.


    Juntar dinheiro no serviço público é chato, é muito complicado me sacrificar para conseguir aportar 1k todo mês. Mas todo dia 15 os meus fiis me dizem que o Capitalismo é lindo. Pode levar 15 anos, mas se tudo der certo, vou chegar ao milhão e depois lutarei por mais e mais dinheiro.

    Minha jornada não terá viagens internacionais, nem filhos (quero fazer vasectomia), nem casa própria. A única diversão serão gp´s médias, academia e programas bem baratos durante dez anos.

    Tudo isso em nome do dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon, tudo bem? Não, eu não cheguei a conhecer o blog do Zé Mobral, mas todo mundo fala dele com muita reverência, então imagino que ele seja uma pessoa querida, e essa história que você contou realmente é inspiradora.

      Ele deletou o blog pois descobriram a identidade dele, não é isso?

      Excluir
    2. Outra coisa anon, li a biografia não autorizada do Abílio Diniz, não lembro bem dos mínimos detalhes, mas se não me engano o pai dele já tinha umas 5 lojas pão de açúcar (na época eram padarias/minimercados) quando passou a empresa pra ele.

      Transformar cinco padarias em um império do varejo foi mérito exclusivo do Abílio, disso não tenho dúvidas, mas também não podemos dizer que ele começou do zero... Pois pelo que li ele teve uma base financeira/educacional boa pra chegar onde chegou.

      Abraço!

      Excluir
    3. Já tinha ouvido falar do Zé Mobral, mas não sabia dessa façanha dele conseguir quase 300k com 1,5k de aporte... Isso é algo incrível.

      Alguém sabe no quê ele investia?

      Excluir
    4. Irmão Sangue

      de tudo que vc possa imaginar...

      Excluir
    5. Porra, esse cara não brincava em serviço hein.
      Valeu Anom.

      Excluir
    6. O zé mobral investia em small caps em situação de turn around: empresas pequenas, que tavam mal das pernas, mas conseguiam se levantar. Ele conseguia valorizações incríveis, tipo 30% em quatro meses. Lembro dele conseguir mais de 100% em um ano com a Portobello.

      O cara é o maior gênio que já apareceu nos blogs, além de ser muito bacana e saber lidar com a frugalidade como ninguém. Ganhava 1900 e gastava só 400 por mês. Mesmo assim, ia pra farra e comia vadias.

      Excluir
    7. Anon 23:09, é impressionante isso que você está dizendo. Uma pena que ele não está mais entre nós. Espero que ele tenha alcançado a IF, onde quer que esteja.

      Excluir
    8. Está sim madruga, só excluio o blog pois descobriram a identidade dele. Mas de vez em quanto posta em alguns blogs.

      Não atingiu a IF, está aguardando ser nomeado em concurso em MG.

      E pode ter certeza que todos adjetivos que imputaram-no são verdadeiros.

      Excluir
    9. Valeu pela informação a mais Anom 23:09. É realmente uma pena que ele tenha deletado o blog dele.

      O Migrante Fudido fez um post há uns dois anos, falando do método de investir do Mobral.

      http://migrantefudido.blogspot.com.br/2013/09/o-risco-de-querer-ficar-rico-rapido-mmi.html

      Excluir
    10. Tem umas histórias muito engraçadas dele. Uma vez, ele ficou de papo com uma vadia e tava sem grana pra motel e conseguiu levar ela pra dentro de uma caçamba de lixo vazia. Transaram lá mesmo, com a mulher apoiada num caixote. E, já que tava no lixo, deixou a camisinha lá mesmo (camisinha de posto de saúde, claro, ele só tinha dessas)

      Por isso, passaram a chamar ele de "rei da caçamba".

      Acho que ele não devia ser bonito, mas era atlético. Lembro até que ele dava dicas de um suplemento de uns 40 paus que tinha um ótimo efeito, melhor que esses de 200 pila. E como era professor, sempre arranjava umas ex-alunas e parentes de alunas. Aí nunca faltava putaria. O cara era frugal mesmo, mas não vivia trancado no quarto reclamando da vida como um certo sujeito aí que ganha 7 mil por mês.

      Excluir
  17. Muito interessante essa questão sobre as profissões. Tem vários pontos que devem ser levados em consideração:

    Já vi algumas matérias que até em alguns países de primeiro mudo está acontecendo de profissionais de nível superior abandonarem suas áreas de formação porque o mercado de trabalho não absorve mais essa mão de obra.
    A Engenharia é muito afetada pelo momento econômico em que país se encontra, Direito e Medicina nem tanto. Mas a tendência de médio a longo prazo é que a Medicina também fique saturada, como já é a Odontologia.

    Mas ponto principal é a qualidade, mesmo em Direito os bons e bem formados profissionais são mais competitivos e respeitados. Acredito que que se fossem feitos exames de avaliação mediamente exigentes para os formados no ensino superior uns 40% do total de formados seriam reprovados, fora os que abandonam seus cursos durante os mesmos.
    O inchaço em determinadas profissões é prejudicial.Mas ficam as perguntas:

    Você gosta do que cursa ou cursou?
    Confia no seu nível de formação e conhecimento?
    Gosta do seu rumo profissional?
    Escolheu sua profissão apenas pelo dinheiro?
    Realmente tem alguma aptidão pelo seu curso/profissão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odontologia se prostituiu brutalmente. Ta aí uma profissão da saúde que era muito boa antigamente e hoje virou um lixo. Será que Medicina ficará igual? São MUITAS vagas abrindo.

      Excluir
    2. Anon 16:37. Não sei se a Medicina ficará igual a Odontologia, mas certamente no médio ou longo prazo o nível salarial cairá graças ao aumento da oferta e assim a profissão irá perdendo essa aura que ainda tem.
      Temos que levar em consideração a dificuldade de se levar ou manter médicos trabalhando em cidades pequenas ou em periferias de grandes cidades, geralmente os que podem escolher não querem trabalhar nesses locais, portanto nessas localidades a oferta de empregos deverá continuar aquecida por um bom tempo.
      Há ainda o fato de que quem escolhe medicina deve ser bem pago, mas não deveria se escolher essa profissão apenas pelo desejo de ficar "rico". Acredito que é pelo fato de tantos escolherem medicina por dinheiro e/ou status aliado a outros fatores que temos médicos que mau enxergam o paciente que está a sua frente.

      Excluir
    3. Anon das 11:10, tudo bem? Vou responder as perguntas, caso elas tenham sido direcionadas a mim.

      Você gosta do que cursa ou cursou?
      R: Gosto! Preferiria não ter que trabalhar, mas considerando que preciso fazer isso pra sobreviver, estou satisfeito sim com o curso que escolhi.

      Confia no seu nível de formação e conhecimento?
      R: Essa é difícil. Confio na minha capacidade de aprendizado, sinto que posso pegar um trabalho sobre algo que nunca estudei antes, estudar sobre o assunto e fazer melhor que muita gente experiente... Ao mesmo tempo, sinto que ainda tenho muito que aprender, e dependo muito dos meus sócios pra tocar minha vida profissional.

      Gosta do seu rumo profissional?
      R: Gosto. Sinto uma certa insegurança em ser empresário, mas acredito que estou fazendo a coisa certa, acredito que existe uma chance plausível de eu ganhar um belo dinheiro fazendo o que faço.

      Escolheu sua profissão apenas pelo dinheiro?
      R: Escolhi a graduação pois senti afinidade pelo curso. No geral só trabalho por dinheiro mesmo, no dia que eu tiver renda passiva o suficiente eu jogo tudo pro alto e vou embora.

      Realmente tem alguma aptidão pelo seu curso/profissão?
      R: Tenho. Dentre todos os cursos que existem por aí, escolhi o que entra com mais facilidade no meu cérebro.

      Excluir
    4. Eu sou dentista e terminei a faculdade a pouco tempo, de fato a odontologia ta inflada, estão abrindo cursos assim como o direito, o pior que as pessoas, pelo menos a maioria, escolhe o profissional.
      Algo comum de acontecer nas cidades menores é que o dentista não cobra a consulta, resultado, já vi colegas meus falarem que as pessoas vão de consultório para consultório, fazem o orçamento e depois escolhem o menor preço, isso quando não pedem para fazer um desconto pois o outro colega cobra mais barato.
      Outro fator desse aumento de faculdade e baixos salários são os Conselhos, não se manisfestam quanto a isso, no final pagamos uma anuidade absurda, paguei quase R$ 500,00 esse ano, para eles passearem e mandarem um jornalzinho com as fotos das viagens.
      Acho que medicina ainda esta acima das demais devido ao seu conselho que é bem unido e procura proteger os interesses dos seus.
      Abraços

      Excluir
    5. Vocês dentistas é verdade que aquelas cadeiras odontológicas custam o preço de um carro popular? Ouvi isso de uma dentista esses dias, mas pesquisando no Google achei cadeiras de R$ 3k.

      Excluir
    6. Madruga, eu sou o dentista do comentário anterior, cara que existe cadeiras que custa um carro popular existe sim, mas existe de vários modelos, elas variam de cerca 17k até uns 30k, uma cadeira nova de uma marca boa, a maioria delas são customizadas, você escolhe quais acessórios que gostaria de possuir. Essa cadeira de 3k provavelmente é usada e bem velha.
      Abraços

      Excluir
  18. Seu Madruga tudo bom?eu tava pensando em fazer um curso técnico integrado ao ensino médio, de técnico em agropecuária, será que é uma boa? quem puder me ajudar eu agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon, vou ser bem sincero contigo: não faço a menor ideia. Espero que outra pessoa possa te ajudar, eu mesmo não entendo nada de agropecuária.

      Excluir
  19. Gostei muito do comentário do companheiro no qual dizia que a graduação hoje é nada mais que extensão do ensino médio comum.

    Nostálgico o post Madruga! Realmente, até no máximo 96 os bancários cultuavam algum status. Porém, hoje em dia, sonho de muitos brasileiros anteriormente, já ficou obsoleto.

    Após 2002,2003 houve o 'boom' de diversas universidades. Lembro-me ano passado quando visitei uma cidade no interior do país, cerca de 38000 habitantes, girava em torno da economia rural e pequenos bicos. Ainda sim havia uma EAD parcial a 189 a 450 reais a mensalidade, direito, adm, gestão. Fiquei impressionado ao ponto que chegou essa farra!

    O que vários já disseram é verdade. O valor de plantão de médicos generalistas, foi diminuído em questão da oferta de mão-de-obra. Porém, ainda não muito difícil encontrar salários que variam de R$6500,00 a 14,200 reais por 40 hrs trabalhadas.

    Medicina é um curso muito elitista. O curso mais barato do país gira em torno de 3300,00 por mês a mensalidade. A demanda de estrutura em faculdades, felizmente, permite que o curso não seja popularizado. Porém, se os PTralhas continuarem no poder é capaz que a profissão seja desvalorizada.

    Agora imaginem vocês. Média de mensalidade no país de escolas médicas+gastos: 6000,00*72 meses=432k.

    ''Atualmente, o Brasil possui 182 escolas médicas. A Índia, com uma população de 1,2 bilhão de pessoas - seis vezes maior que a brasileira - possui 272 cursos. De 2000 a 2010, foi autorizado no Brasil o funcionamento de 80 escolas de Medicina.''

    ''Meta do Mais Médicos é abrir 11,5 mil vagas de medicina até 2017''

    ''“Não há falta generalizada de médicos no país. São as desigualdades de distribuição que conduzem a focos de escassez em determinados municípios, regiões, redes de serviços de saúde”, disse Mário Scheffer, coordenador do levantamento e pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).''

    Hoje, o grande dilema é que podemos considerar sendo a única profissão com futuro rentável.

    A diferença é que consequentemente bons profissionais irão se diferenciar de profissionais medianos e medíocres. Tenho colegas no curso de medicina e hoje tudo gira em torno do currículo para futura residência e especialização.

    Acredito que em 30 anos no máximo, médico também perca o status e seja uma profissão mediana. Contudo, com boa rentabilidade para os BONS.

    Sinceramente, não enxergo outra possibilidade aqui no Brasil senão emprego público de alta patente (concorridíssimos), medicina ou sair fora dessa verdadeira latrina.

    Sigamos na luta companheiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lance dos bancários me surpreendeu bastante. Eu sabia que o sindicato dos bancários era poderosíssimo, mas que bancário era emprego de luxo eu não fazia a menor ideia.

      Mas o que um comentarista disse acima faz sentido: era preciso pagar bem os bancários, do contrário eles fariam todo tipo de fraude.

      Já os médicos... acho que a catástrofe deles será em 10 anos mais ou menos. Vamos ver...

      Abraço!

      Excluir
  20. Realmente "Seu madruga" a cada dia que passa o governo continua com sua tarefa de ferrar com as profissões, mas isto já fazia parte do plano deles, realmente, o único curso que salva no Brasil, chama-se Medicina, o resto acabou, vou fazer uma licenciatura para ser professor, do contrário morrerei de fome pela próxima década, seu blog é muito bom, se você autorizar vou adicionar seu blog na minha listagem, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Bacharel, tudo bem? Minha namorada fez isso daí, virou professora, tá ganhando bem considerando que é a primeira profissão dela. Espero que isso dê certo pra você também.

      Vou dar uma olhada no seu blog, abraço amigo!

      Excluir
    2. Caralh...., Engenheira que virou professora!!!??
      A melhor opção para uma pessoa inteligente no Brasil é fazer um concurso bom.
      Não existe mais essa de curso superior que banque luxos. Quem quiser ter vida boa vai ter de comprar ações e fiis. Emprego não deixa ninguém rico.

      Excluir
    3. Virou, ela faz mestrado na UF em que formou e surgiu a oportunidade de dar aula. Está ganhando R$ 4k líquidos... pra um primeiro emprego está fantástico.

      Excluir
  21. Senhores, aquela conversa fiada de que era posível ter vida digna de classe média, comprar carro e colocar os filhos em boas escolas foi uma mentira inventada pelos americanos depois da segunda guerra.

    Quem queiser luxo e dinheiro vai ter de comprar ações, fiis, ou montar empresas, construir casas para venda e aluguel.

    Emprego nenhum garante segurança, status, dinheiro vida mansa.

    Aportem forte, comprem mais e mais ativos se quiserem vida melhor, ter carro bom, amantes, casas na praia etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá difícil ter essa vida aí que você descreveu mesmo.

      Excluir
  22. Madruga, já trabalhei em hospital público e conheci um médico, oficial bommbeiro que me falou da vontade de ser agente da PRF para ganhar mais e trabalhar menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto isso milhões sonham em ser médico. "O Jardim do vizinho é sempre mais verde"...

      Excluir
    2. O cara é médico e quer ser PRF pra ganhar a mais... eu não acho que seja ruim trabalhar na área que pague melhor, desde que a pessoa tenha pelos uma certa afinidade/aptidão para o trabalho.

      PF também ganha muito bem, mas os 3 primeiros anos o cara passa vigiando fronteiras, trocando tiro com traficante e os caralho.

      Excluir
  23. Rapaz, aqui o nível é bem melhor, seu post é bem escrito, suas opiniões são equilibradas.

    Mas em alguns blogs a burrice impera!!!! Socorro. Se esses empresários são a elite do Brasil, estamos fud...


    Tem um empresário ,swingueiro viciado em ver a mulher chupando buc...., que sonha em emigrar para os EUA(acho que ele sertia capaz de dar a b.. para isso ) que a cada dia está mais alucinado e imbecil. Só falta dizer que os americanos são mais bem dotados que os brasileiros.


    Pelo menos aqui, o autor tem bom nível intelectual. Acho que deve ter estudado Comunicação Social pelo alto nível do texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, anon. Não sei de quem você está falando, vejo muita gente falando em imigrar blogosfera afora. Comunicação social não rs, tenho um certo preconceito contra esse curso.

      Excluir
    2. E o blog do cara que usa o nome do cara do Trato Feito, que já confessou que gosta de ver a mulher com outros caras

      Excluir
  24. Esse post me lembrou uma notícia que eu li sobre a Índia, onde doutores e cientistas engenheiros se matavam para trabalhar de faxineiros e guardinhas do Estado, recebendo pífios 300 reais de salário kkkk

    ResponderExcluir
  25. Triste realidade... Eu lembro bem das manchetes do jornal falando da falta de engenheiros no mercado, todo mundo acreditou... Eu já estava na faculdade de engenharia nessa época, uma uniesquina, já que precisava trabalhar e infelizmente não tem como conciliar trabalhar com estudo em faculdade pública aqui no Rio de Janeiro. Felizmente me formei, trabalhei por 4 anos com o belo salário de engenheiro, mas hj estou desempregada. Ou melhor, estou curtindo o sabático que minha educação financeira me proporcionou. Provavelmente não vou voltar para engenharia, se eu voltar será por pouco tempo, percebi que não é o que eu quero pra minha vida... Mas ainda há esperanças para quem é bom em Engenharia, meu marido é um exemplo disso, mesmo com a crise recebeu promoção esse ano... Enfim, o segredo é sempre buscar ser o melhor na profissão escolhida. Abraços

    Daysi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daysi o que você pretender fazer? Empreender, fazer uma nova faculdade e um novo emprego ou prestar concurso público?
      Abraços.

      Excluir
    2. Anon esqueceu da opcao 'parasitar o marido' kkkkkkk

      Excluir
    3. Daysi, espero que encontre um trabalho que te agrade.

      Excluir
  26. Muito bom o texto. Essa proliferação de uniesquinas são uma tristeza. Agora todo mundo pode ter um diploma, fazendo com que as pessoas tenham que passar mais tempo ainda fazendo outros cursos além da universidade.
    Direito foi um curso que já me interessei, porém depois de ler um pouco mais sobre deixei de gostar.
    Engenharia, apesar de gostar bastante de exatas, não me vejo trabalhando com ela. Existem muitas pessoas com o diploma e além do mais, depende da situação econômica do país, ou de estado.
    Medicina foi algo que já fiquei interessada por bastante tempo, porém também não me vejo exercendo a profissão, é necessário estudar por muito tempo e os custos são bem altos.
    Ainda estou com aquela dúvida sobre o que cursar, porém acredito que acharei realmente a minha vocação até o ENEM.
    Tenha bons investimentos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, se você curte exatas e não quer nenhuma engenharia, talvez ciências econômicas ou contábeis (para trabalhar com auditoria, mais especificamente) talvez sejam uma boa opção. No momento estou viajando, lerei seu blog assim que chegar em casa. Abraço e bons investimentos pra você também!

      Excluir
  27. A questão positiva da engenharia é que não é bem assim para formar entra 40 e sai 4 por turma em universidades federais. Se não consegue emprego na área é dinâmico e sabe estuda e geralmente passa em concursos concorridos porque sabe lógica sabe sentar e estudar, se fosse fácil não deixaria tantos para trás. Oque preocupa é universidades EAD ofertando engenharia, aliás se eles tão podendo oferta engenharia também deveriam poder ofertar medicina EAD.

    ResponderExcluir
  28. A questão positiva da engenharia é que não é bem assim para formar entra 40 e sai 4 por turma em universidades federais. Se não consegue emprego na área é dinâmico e sabe estuda e geralmente passa em concursos concorridos porque sabe lógica sabe sentar e estudar, se fosse fácil não deixaria tantos para trás. Oque preocupa é universidades EAD ofertando engenharia, aliás se eles tão podendo oferta engenharia também deveriam poder ofertar medicina EAD.

    ResponderExcluir
  29. Sou médico.
    Tenho colegas mais velhos que ganhavam 30 anos atrás equivalente hoje a uns 150k por mês.
    Medicina só tá piorando. Vagas de graduação e residencia dobrando.
    Em 10 anos estara igual o direito.

    PS: Antes de consultar procurem saber onde o médico se formou. Federais ainda são as melhores.

    ResponderExcluir
  30. Bom dia!!! Li seu Post e adorei suas colocações e sua visão, bate exatamente com o meu ponto de vista sobre o assunto. Fiz questão também de ler todos os comentários e concordo com a maioria deles. A engenharia (eu sou engenheira mecânica) me formei na UFF é tenho 2 pós graduação o que tenho a dizer é que a engenharia, assim como o direito e como tantas outras profissões com esse PTMERDA no governo, fez com que os diplomas se tornassem exatamente um mero pedaço de papel. Outro dia me deparei com um Eng Mec formado na iniesquina e que não sabia nem o que um engenheiro mecânico fazia (5 anos de formado sem exercer a profissão por não saber o que a mesma o habilitava). Atualmente qualquer um pode fazer a faculdade que quiser. Moro em uma região extremamente afastada das grandes capitais, e o que eu posso dizer é que é uma ilusão achar que todo lugar falta profissionais. Medicina, meu marido é médico, e só quem não conhece de fato a realidade da profissão que acha que medicina é a galinha dos ovos de ouro. Os salários de médico por 40h semanais as vezes é até mais baixo do que de outras carreiras. E ouvi dizer das 11.000 vagas criadas pelo nosso governo federal,mais esqueceram de dizer das milhares de pessoas que fazem medicina na Bolívia, no Paraguai, na Venezuela e na Argentina lugares que a mensalidade não chegam a um salário mínimo e que daqui a pouco vão inundar o Brasil. Só para terem uma noção da realidade, na cidade que eu moro, de 20.000 habitantes, tem 120 pessoas fazendo medicina fora do Brasil. Ah, só não é pior do que na cidade onde eu nasci que tem 10mil habitantes e que em um raio de 100km existe 5 faculdades de medicina (UFV, UFJF, Fagoc, Unipac, Suprema) ou seja, em um raio de 100km, são 600 profissionais sendo jogados no mercado por ano. Sem contar que essas vagas não existiam há 3 anos atrás. A realidade é essa antigamente fazia medicina filho de rico ou gente inteligente. Hoje em dia faz todo mundo. Seja pelo Fies, seja fora do Brasil, família pede empréstimo e por aí vai. Acho uma verdadeira ilusão, e quem esta no ramo acho que deveria fazer um bom pé de meia porque daqui uns 5 anos tenho até medo do que pode vir acontecer..... Direito hoje em dia tem até a distância, lamentável !!!!Acho que faltou falar da odontologia que o Brasil é o País que tem mais dentistas do mundo. Essa pátria educadora de analfabetos funcionais está difícil gente que realmente estudou e que tem compromisso com a profissão se dar bem.

    ResponderExcluir
  31. O pior que o analfabetismo funcional É o político. Esses idiotas playboyzinho aqui ficam jogando culpa na inclusão intelectual pelo caos do país. Até da vontade de sorrir em cima de alguns comentários esdrúxulas. Nossa país da fudido quem deveria gerir os sistema econômico, aprovando leis e parceria para economia e o social girar, está GAGANDO para isso. Podem até eleger e "deseleger" até o papa q nada mudará. Precisamos mudar nossa sistema urgente.

    ResponderExcluir
  32. Realmente Madruga a situação da engenharia do nosso país está uma merda.

    Me formei em uma boa universidade federal do sul do país, fiz um curso muito difícil e fui extremamente cobrado. Ou seja... Não sabe? Não passa!

    Agora estou trabalhando nesse estado fedorento chamado SP, e vejo pessoal que faz engenharia não sabe nem o básico, não sabe nem fazer uma regra de 3, muito menos escrever direito... futuro? Um mestre de obras melhorado.

    ResponderExcluir
  33. Um ano depois eu ressucito o post!
    Achei o texto maravilhoso, trabalho no Banco do Brasil, vejo como os antigos (antes do FHC destruir as carreiras do BB) ganham absurdamente bem é coisa de 7 mil de licença premium td ano e gerente geral ganha la 30 mil de plr 2 vezes por ano, fora outros direitos que n existem mais.
    Eu fico no piso de 2k.

    Sou advogado e a vida profissional de quem faz direito hj é só uma eterna vergonha. Tudo é superconcorrido, paga mal, e o QI indica. Eu me sinto sem faculdade. A soma de uniesquina+cotas destruiu a vida profissional de quem gosta de estudar.

    Faço meus aportes e investimentos mas é patético ver patrimonio crescer 1,5k-3k por mês. Sou um pobre estudado.

    ResponderExcluir
  34. engenharia ainda tem chance caso o bostil volte a crescer como prometido

    ResponderExcluir
  35. Não me levem a mal, mas se alguém aqui gostasse mesmo de estudar o fato de haver profissionais de péssima qualidade no mercado não faria diferença alguma. Uma empresa deseja um profissional de qualidade, uma empresa corre atrás dos bons profissionais. A área de TI é a menos protegida do mundo, a regulação que ocorre nela é exclusiva do mercado, dos consumidores, na teoria um bacharel em direito poderia trabalhar com tecnologia de informação, na prática as empresas filtram apenas profissionais qualificados, que são poucos.
    Conclusão, se você fez um curso que lhe garante uma reserva de mercado e foi trocado por um profissional de uma uniesquina, é porque o profissional da uniesquina sabe mais que você.

    ResponderExcluir
  36. Não é novidade para ninguém que o primeiro curso a se dar mal com essa história foi o de direito. Justamente, recomendo a leitura de fábrica de diplomas de felipe pena. É ficção mas aborda sobre o caso das uniesquinas no Brasil.

    Li teu post do autobiografia, mano. Só avisando porque não deixei comentário lá, mas adorei.

    A consequência disso é patética: o Brasil passou a ter mais cursos de direito do que todos os outros países do mundo juntos. E mesmo assim um amigo meu do antigo trabalho teimou em fazer direito. Mandei a real pra ele, só que ele disse que não existe só advogar aí eu entendi que ele pretendi seguir concursos públicos. Ele seguiu direito e eu entrei em medicina, ainda que passando um aperto enorme aqui, pois não peguei nenhuma bolsa.

    ResponderExcluir
  37. Engraçado como os filhotes da classe média são,não conseguem se destacar nas suas carreiras colocam a culpa nas inclusões sociais do governo.Se isso fosse lógico me expliquem então por que a engenharia estava em crise nos anos 80 e 90 quando só uma pequena parte da população tinha acesso as faculdades?A verdade é que muito playboy que estudou em escola particular que acha que vai fazer curso superior e ficar rico e ainda sente raiva de ver o coleguinha de escola pública fazendo o mesmo curso e pegando as vagas de emprego.O problema do Brasil ficar sempre nesses "voos de galinha econômicos¨é que brasileiro independente da classe social não sabe votar,vota no que acha bonito,no que lhe convém,o povo vê politica como time de futebol,uma prova da desunião e egoismo está aqui nesses comentários.

    ResponderExcluir
  38. No curso de medicina só no Paraguai tem uns 30 mil alunos brasileiros, e cada ano entra mais uma penca. O futuro da Med é incerto; para aqueles que tem coragem de trabalhar em interiores no meio da lama, sem Net e as vezes sem sinal de celular, será possível tirar seus 15-20k. Isso trabalhando 12 horas por dia de segunda-sáb, atendendo 80-100 pacientes por dia sem NENHUMA estrutura de avaliação ou diagnóstica pois falta tudo. Não esqueça que após os plantões tera que rodar mais 200-300kms na buraqueira pra ir pro próximo interior pegar outros plantões. Tb não esqueça que levará MUITOS calotes de prefeituras e trabalhará de graça, pois não vão pagá-lo. Resumo: Qualquer birrosca que venda churrasquinho ou hot dog com metade da carga horária é um bom local vc ganha perto de um "Dotô". Se decidir ficar em Capitais o salário fixo pra médicos já beira os 5k! Ou seja... Medicina ERA uma boa opção!

    ResponderExcluir
  39. Complementando... Medicina é a faculdade com maior carga horária, são aulas em período integral por 6 anos! Depois quem consegue passar na residência terá a certeza que será estuprado pro mais uns 4 anos trabalhando 80 hrs semanais pra ganhar 3k!. Após esses 10 anos de dedicação extrema e integral será,(seria!) possível ganhar muito bem, pois num futuro próximo teremos tantos médicos aqui que ganhar 10k será para poucos, talvez 1 em 100. Mas o melhor de tudo é saber que no futuro a medicina será exercida por quem realmente tem aptidão e é humanista, e não por uma escória que faz Med,(90%), simplesmente porque é o curso atual com melhor remuneração, esquecendo que a finalidade da Med é curar e salvar vidas. Fica "a parte" a máfia farmacêutica e a indústria da doença.

    ResponderExcluir