segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Crônicas da Matrix Financeira: Luísa, a musa do protelariado

Era o longínquo ano de 2005 quando Luísa chegou aos 18 anos de idade sem a menor dúvida do que queria para a vida: cursar ciências sociais.

Depois de enfrentar uma dificílima concorrência de três candidatos/vaga, Luísa obteve sua aprovação no vestibular e garantiu sua vaga na universidade federal. 

Seguindo a tradição de 12 anos atrás, Luísa comunicou sua aprovação a todos os seus amigos e amigas no Orkut, e depois entrou na comunidade mais marrenta das redes sociais brasileiras daquela época: 


No primeiro semestre letivo, a certeza de que Luísa estava no lugar certo só aumentou. 

Professores ministravam aulas sobre a contribuição de Carl Grünberg para o marxismo; o Centro Acadêmico promovia acalorados debates sobre a socialização dos meios de produção; as festinhas no campus eram cheias de gente descolada e de todas as tribos.

Finalmente Luísa encontrou seu habitat natural, sentindo-se parte de um seleto grupo de pessoas que não aceitam ser escravas do sistema capitalista e que sabem que a salvação do Brasil consiste em conscientizar as massas acerca da luta de classes.

Luísa mergulhou de cabeça na militância. Filiou-se ao PSTU; fez parte do Centro Acadêmico; visitou o assentamento do MST que tinha no interior do estado; arranjou um namorado com cabelo dreadlock e que fazia discursos inflamados; foi no Fórum Social Mundial em Porto Alegre e participou de toda e qualquer reunião, debate e protesto, embelezando o ambiente por onde passava.

No sofá tão vermelho quanto o sangue revolucionário dos bolcheviques
O problema é que o tempo passa, o tempo voa, e a poupança Bamerindus e gastar sua juventude sonhando com a revolução do proletariado não é lá uma boa forma de garantir estabilidade financeira no futuro.

A graduação acabou, os dias de universidade federal ficaram para trás, a vida adulta chegou e a necessidade de pagar as próprias contas veio como um tapa na cara:


Quando você é um recém-formado em ciências sociais, tem basicamente três caminhos a seguir: 

1) Arranjar um trabalho não relacionado às ciências sociais.
2) Fazer um mestrado e ganhar bolsa tipo Capes ou Faperj. 
3) Dar aula de sociologia em instituições de ensino públicas e particulares.

Luísa optou pela terceira opção, e conseguiu um contrato temporário (sem concurso) para dar aula em escolas públicas estaduais, passando assim a ensinar sociologia para a molecada que estava mais interessada em aprender a coreografia da Gaiola das Popozudas do que em prestar atenção na matéria.

Tchu tchá tchu tchá
Se você acha o seu trabalho ruim, imagine-se tendo que dar aula para crianças desinteressadas em uma escola sucateada na beira de uma favela, e depois ter que ir voando pra chegar a tempo em outra escola do outro lado da cidade, tendo esse deslocamento todo só porque a administração pública não consegue fazer algo tão simples quanto organizar os professores de forma que eles consigam trabalhar em escolas próximas uma das outras.

Assim foi a rotina de Luísa por quatro anos, não podendo mais continuar como contratada temporária do Estado pois o prazo de contrato havia chegado ao limite.

Desanimada com a carreira, Luísa optou por arranjar um trabalho não relacionado às ciências sociais. Com a ajuda do pai, conseguiu arranjar um emprego reconhecendo firmas em um cartório de títulos e documentos.

4 anos de estudo pra isso. O que será que houve com o "Ih, foi mal, a minha é federal?"
Ninguém pensa "quando crescer quero ser auxiliar de cartório e ganhar R$ 1.200,00/mês", então Luísa não estava necessariamente feliz com o rumo de sua vida profissional. Até mesmo seu ex-namorado cabelo dreadlock dos tempos de universidade estava ganhando mais que ela, e olha que o cara trabalha de garçom em um restaurante mexicano.

Se você acha que essa história caminha para um final triste, provavelmente se esqueceu que no Brasil moças bonitas como Luísa só se dão mal financeiramente se quiserem.

Aproximando-se dos 30 anos de idade, Luísa parou de dar moral pra mendigo formado em curso de hipster e passou a se preocupar mais com a estabilidade financeira dos seus pretendentes.

Ela não tardou a iniciar um relacionamento com um cara que nos tempos de universidade era conhecido pelo apelido Peitinhos, em razão de uma ginecomastia tão protuberante que nem camisas pretas escondiam suas tetinhas masculinas.

Peitinhos fez um curso de exatas e hoje é servidor público federal, ganhando em média R$ 14 mil/mês, segundo o Portal da Transparência.

O que me motivou a escrever o post de hoje foi justamente o fato de que neste feriadão andei olhando as redes sociais e vi fotos do luxuoso casamento dos dois: Peitinhos com aquela cara de "venci na vida, casei com uma mulher bonita", e Luísa com cara de princesa da Disney, certamente sentindo um enorme alívio por ter conquistado a estabilidade financeira que seus anos de esquerdismo não puderam lhe proporcionar.

Parabéns aos pombinhos (foto aleatória tirada do Google Imagens)
O ex-namorado de Luísa, por sua vez, continua trabalhando como garçom no restaurante mexicano, provavelmente ganhando uns 1.500 funaros por mês, vivendo em uma república com mais três caras e sem a carta-coringa do casamento-com-beta-rico para melhorar a condição de vida.

Pelo amor de Zapata, me dá uma gorjeta boa aí, brother.
A lição do post de hoje é: se você quiser brincar de viva la revolución enquanto deveria estar estudando, ao menos tenha certeza que você terá uma válvula de escape quando chegar na vida adulta, tal qual beleza o suficiente para arranjar um cônjuge que te sustente, ou pelo menos um pai disposto a te bancar enquanto você envelhece.

Aquele abraço!

PS: seguindo as dicas de segurança dadas por um simpático Anôn, não mencionei no post qual é o meu vínculo com Luísa. O que posso dizer é que a conheço há bastante tempo.

145 comentários:

  1. Excelente post Madruga! hahahaha tchu tchá ri alto rsrs

    Peitinhos também foi de matar auhauhahuahuha

    Agora sério, se é que é possível. O estado não está nem ai para os professores. E esses que trabalham sem concurso, ganham uma miséria.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a lógica do mercado meu amigo. Você é capaz de entender?

      Faça uma pergunta a qualquer professorzinho qual seria o "salário justo", eles se acham o suprassumo da sociedade e na verdade muito pouco ou quase nada acrescentam...

      Agora professores de verdade ganham muito bem.
      Quanto você acha que ganha um professor da FGV ou do IBMEC, a grande maioria são de caras de alto nível que dão aula porque gostam.

      Não entrei no mérito se vale ou não cursar essas instituições.

      Excluir
    2. A educação no Brasil é um ralo de dinheiro.
      Realmente vi caras na FGV muito bons que davam aula porque gostavam já que já eram ricos, mas sem salário bom não dariam aula.

      Excluir
    3. A verdade é que "qualquer um" tem conhecimento suficiente pra dar aulas no ensino fundamental/médio, portanto, uma profissão acessível, automaticamente é menor remunerada. Fácil fácil de entender.

      Excluir
    4. Fala, Investidor Inglês!

      Essas contratações temporárias são horríveis mesmo. Imagina 4 anos trabalhando num lugar, ser considerado trabalhador de segunda classe por não ter concurso, e depois de 4 anos ali você é mandado pro olho da rua.

      Nada justifica se submeter a isso além da mais pura e simples necessidade de sobreviver.

      Excluir
  2. Excelente crônica, Madruga! E este retrato de alunos de Federais não se restringe ao curso de Ciências Sociais. Conheço inúmeros de outros cursos 'menos vermelhos' que acabaram penando posteriormente. Parece que uma cultura de inércia atinge a maioria deste pessoal. É muita teoria/ filosofia/utopia de como o mundo deveria ser e pouca aplicabilidade prática de como ele realmente é. Aí quando a realidade aparece é um tapa na cara, como você bem mencionou.

    Sorte da Luísa! Azar do nosso amigo Bob Marley Japaleño.

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Termos Reais.

      Cara, não tem aplicabilidade prática nenhuma mesmo a não ser pra dar aula.

      Já ouvi gente formada em sociologia dizendo que tem outras utilidades, tal qual trabalhar em ONGs, assessorar vereadores e outras pessoas com mandatos eletivos. Francamente, 99% vai acabar dando aula em escola mesmo ou arranjar profissão não relacionada ao curso.

      Abraço!

      Excluir
  3. Esse Peitinhos é um otário. O chifre virá rápido.

    ResponderExcluir
  4. Mais um caso dos milhares desse país chamado cuckil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá longe de ser o primeiro caso que eu conheço, diga-se de passagem.

      Excluir
  5. Ótima história, Madruga! Como dizem em inglês, é uma "cautionary tale" ou, em bom português, quem avisa amigo é!

    Conte-nos como anda a vida da musa marxista e peitinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia esse termo em inglês, mas é exatamente isso.

      Abraço, Nerd!

      Excluir
  6. Rapaz, moro em uma cidade do interior de MG, que possui uma universidade federal muito boa, cuja força maior é a área de exatas.
    O que eu conheço de mulher da cidade que "caça" marido enquanto eles ainda estão se formando (geralmente em engenharia).
    Dificilmente se vê um engenheiro formado nessa faculdade casando com alguém "do nível" dele. Uma médica ou outra engenheira por exemplo. Sempre é com alguma moça daqui da cidade, de classe mais baixa, e com alguma faculdade genérica (quando tem).
    Tem um caso interessante até pra contar: uma moça nova até, na faixa dos 25 anos, de classe mais baixa, até que bonita, mas rodada até dizer chega, com 2 filhas (1 e 6 anos de idade). Ninguém da cidade levaria a sério. Era só pra comer mesmo.
    O que aconteceu? Um engenheiro da França veio pra cidade, fazer um intercâmbio ou algo do tipo, apaixonou nela, levou ela e as filhas pra França.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, era mais fácil falar logo que vc é de Itajubá, rsrs

      Excluir
    2. Nao sou o mineiro que comentou ai em cima

      eu nunca tinha ouvido falar de itajuba

      menos ainda de universidade federal de itajuba

      tem uma universidade federal por metro quadrado em minas gerais, puta que pariu!

      e ainda tem gente que tem a coragem de criticar lula FILHO DO BRASIL e dilma CORACAO VALENTE

      Excluir
    3. Disse tudo Animal, o cara só faltou soletrar Itajubá mesmo, bem pensado!

      Excluir
    4. Hahaha
      Vocês que estão dizendo... Não eu.
      Daqui a pouco vão descobrir até o nome da guria da história...

      Excluir
    5. É óbvio que é Itajubá, não precisa nem ser mineiro para perceber.

      Excluir
    6. Digo com bastante conhecimento sobre o assunto que muitos gringos vêm pra cá e parece que escolhem a dedo o pior tipo possível de gente pra se relacionar. Não sei se é burrice ou só ingenuidade mesmo.

      Excluir
  7. Bela esposa, parabéns meu caro. Continue o trabalho de desesquerdização da moça mantendo sempre um bom tanto de louça na pia.

    ResponderExcluir
  8. Nao me orgulho nem um pouco disso mas fiz filosofia em federal. Fiz durante um ano e meio, nao aguentei e pulei fora.

    Tive apenas um professor muito bom. Ele era recém-concursado e ainda não tinha sido picado pelo funça-vírus, aquela doença que tira toda a produtividade e vontade de viver dos funças nojentos.

    O resto dos professores eram um lixo.

    Sei que vcs vao dizer que eu estou mentindo, mas eu tinha professor que chegava de havaianas, bermuda e chapado de maconha. Ele falava meia hora de bosta e liberava todo mundo, isso numa aula que deveria durar de 18 as 22h.

    Tive professor que jamais apareceu pra dar aula. Os alunos reclamavam, mas a coordenação protegia o cara. Protegia pq os professores odiavam o cara, entao preferiam tolerar a ausência dele do que tê-lo por perto. Essa é a lógica funça nesse país lixoso.

    Tive professor que nao ia dar aula pq tinha um outro emprego na iniciativa privada no mesmo horário da aula. Ele recebia R$ 15k+ pra ser professor com dedicacao exclusiva na federal, mas ligava o foda-se pra federal e ia dar aula em particular.

    Isso sao os professores.

    Agora imaginem os alunos.

    Cada sala tinha 2 ou 3 alunos mais velhos, que trabalhavam e já eram estáveis na vida (meu caso).

    O resto dos alunos eram góticos, emos, comunistas, RPGistas, gordos, homem vestido todo de preto com maquiagem e daí pra pior. Todo tipo de escória rebeldinha se reunia ali.

    O curso era (provavelmente ainda é) um enorme desperdicio de dinheiro publico. A taxa de evasão era tão alta que até o inútil do MEC percebeu que tinha algo de errado ali (mas nao fez nada).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foda é sustentar isso tudo. Senão... nem importava.

      Excluir
    2. Que merda hein Motorista de Uber? A minha universidade enrolava pra caramba pra desligar alunos que sumiram. Enrolavam com o intuito de mentir nos dados que enviavam ao MEC. Davam como ativos alunos que não davam as caras por lá há anos. Aposto que essa é uma realidade bem comum nas federais.

      Excluir
  9. Peitinhos me fez lembrar de um colega de faculdade que foi apelidado de Tetinhas (pelo mesmo motivo de Peitinhos) heheheh.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peitinhos, Tetinhas ou qualquer coisa do gênero é um apelido bem degradante para um homem. Não dá pra ser feliz com um nome desses, rs.

      Abraço!

      Excluir
  10. "O fracasso financeiro e profissional é o fim da linha para nos Homens".

    Para as mulheres - especialmente aquelas com atributos estéticos bem definidos - a coisa procede de forma diferente. O case do Madruga é um entre tantos, que variam apenas em grau a "negociata".

    Tenho um desses cases na família. Faz parte do jogo da vida, cada um com suas cartas. Ser mulher e bela é trunfo.

    Não há motivos para indignação, revolta, extremismos. Apenas assimile e não caia na mesma.

    Dr. Putão
    OAB SP

    P.s.: Visitei o Bahamas Club (do implacável Oscar Maroni) no feriado, senhores, tem muita coisa boa por lá, recomendo fortemente. Desculpe a propaganda Madruga kkk, na próxima pago seus royalties.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. perfeito seu comentário

      é exatamente isso!!!!

      se o homem fracassou financeiramente e profissionalmente nao tem pra onde correr, vai ser um fudido na vida ou depender dos pais e todo mundo vai olhar pra ele de cima pra baixo pq ele é a escoria da sociedade

      se a mulher se fracassou profissionalmente e financeiramente, casa com algum trouxa carente, bota um filho no mundo e finge que ser mamae e ficar criando o filhinho sempre foi seu maior sonho

      QUE VANTAGEM!

      Pro homem é game over, pra mulher existe um botão "Continue" em que ela consegue ter uma vida boa mesmo que tenha falhado!

      E ainda ficam de xororo no "feice" falando que sao oprimidas e nao tem os privilegios que os homens tem

      Elas tem o maior privilegio de todos!!!!!!!1

      Excluir
    2. O Pobreta falava muito disso.

      No caso dele, citavas as "Cartas". Cada pessoa tem um conjunto de Cartas que são as melhores qualidades ou as oportunidades que a pessoa tem. Essas cartas serão úteis para a pessoa "vencer" na vida.

      A sociedade diz que para as mulheres cartas boas são: rosto bonito, tempo para academia.

      No caso dos homens, as melhores cartas seriam aquelas: "pode estudar pois o papai banca", "meu tio tem um contato nessa empresa".

      O engraçado é que a beleza importa mais para as mulheres do que para os homens. O cara pode ter um fisico incrível, rosto de galã, estiloso e tals, mas se ele for um fodido financeiramente dificilmente vai arrumar algo. Tem as coroas ricas viuvas que gostam dos novinhos mas é bem raro.

      abs

      Excluir
    3. "O fracasso financeiro e profissional é o fim da linha para nos Homens".

      Nem precisava dizer mais nada. Comentário perfeito. Tô vendo isso em alguns conhecidos que chegaram aos 30 sem nada definido na vida financeira e profissional. Quando se está nessa situação, não existe lugar pra correr nem pra se esconder. Só lhe resta dar a volta por cima (de alguma forma bem improvável) ou passar o resto da vida recebendo olhares tortos de todo mundo.

      Abraço a todos!

      Excluir
  11. Muito legal, lembro de uma calourada de federal que fui que eles simplesmente humilhavam quem não era.
    Fiz particular e posso garantir que estou bem melhor que muitos que cantavam rimas de zoação contra os pagos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estudei em uma particular famosinha (por não ser uniesquina já que existia a uns 80 anos) e certa vez vi uma turba berrando "ih foi mal a minha é federal" e comparei pra ver se tinham motivos pra comemorar. Eles gastavam mais que eu pra viver pois moravam longe dos pais e eram festeiros, os laboratórios de seus cursos eram da idade da pedra e os professores eram velhos comunistas que mal davam aula (na minha eram demitidos fácil). O pior é que o campus era longe da cidade e eles não trabalhavam pois consideravam indigno e nem teriam muito tempo.

      Excluir
    2. Eu estudei em curso de humanas em federal e os meus professores nem eram dos piores, mas ainda assim o slogan deveria ser "ih, me dei mal, a minha é federal".

      Excluir
    3. Fiz federal e estou melhor posicionado financeiramente que qualquer bostinha de faculdade particular.

      Aos haters só tenho uma coisa a dizer.

      IH Foi Mal A Minha É FEDERAL

      Excluir
    4. Anôn 20:08, eu conheço muita gente formada em federal que está melhor que gente formada em particular.

      Também conheço muita gente formada em federal (gente da minha turma, inclusive) que se fudeu e nunca conseguiu profissão na área, e gente formada em particulares (uniesquinas bizarríssimas, inclusive) que estão muito bem no mercado.

      Quando eu entrei na universidade e vi todo aquele "orgulho de ser federal", eu tinha a leve impressão de que estudar em universidade pública não era "sucesso garantido" tal qual a galera esbanjava. Hoje tenho certeza disso. Networking e estágios que você faz durante o curso costumam ser muito mais definidores de sucesso do que "procedência acadêmica".

      Aliás, eu tô pra te dizer que, ao menos no ambiente profissional em que eu vivo, a "procedência acadêmica" da pessoa pouco importa hoje em dia. Raramente vejo esse assunto sendo abordado. Tem algo meio infanto-juvenil nesse lance de "sou foda, estudei na X".

      Excluir
  12. O pior é saber que a gente paga imposto para o peitinhos manginar e sustentar folgada nas nossas costas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É foda. Mas pelo menos não somos nós que estamos sustentando a dondoca, rs.

      Excluir
  13. Excelente post SM,

    Conheço várias pessoas que fizeram esses cursos de humanas, mas partiram para outras coisas, pois não conseguiram se manter.

    Acredito que a mente da Luisa não mudou. Acho que é esquerdista, ela só se casou para aproveitar.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Cowboy! Também acho que ela só casou por esse motivo.

      Aliás, eu poderia fazer uns cinco crônicas da matrix financeiras diferente só sobre moças que eu conheço e que fizeram a mesma coisa. Só não escrevo pois ficaria repetitivo demais.

      Abraço!

      Excluir
  14. Aproveitando o gancho do post.
    Como tem gente que baba ovo de Universidades Ferderais...
    Acho que se a pessoa puder agar vale a pena cursar uma faculdade particular mediana ao invés de federais.
    Essas faculdades sofrem dos mesmos problemas das escolas públicas em geral, falta de materiais, problemas estruturais, greve de professores etc.
    Tem cursos bons, mas também tem cursos ruins.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os professores ganham rios de dinheiro e os laboratórios são da idade da pedra. Em alguns cursos ocorre o oposto das particulares e os alunos tem que comprar material.

      Excluir
    2. Uma federal é uma federal sem mais.

      Muitos aqui hateiam, uns por inveja outros por odiarem o bostil e etc.

      Mas uma faculdade federal te abre muitas portas(depende do curso).

      Meu amigo está trabalhando na Austrália depois de cursar federal, outro na Europa e o
      Último fazendo mestrado em uma universidade pica nos states.

      Podem hatear à vontade, que a infraestrutura é péssima(e é), professores dão aulas desmotivados(muitos dão), mas o ensino supera qualquer fgv, insper, puc, ibmec e etc.

      Excluir
    3. Anôn das 08:30, se você tem uma federal como opção ou uma particular de igual nível, faz a federal. A lógica do dinheiro vem em primeiro lugar. Entre pagar e não pagar mensalidade, prefira a qualquer hora não pagar.

      Eu acredito em estado mínimo, mas aqui no Brasil o Estado se meteu em educação e usa o dinheiro dos seus impostos pra isso, queira você ou não. Essa é a realidade, faça bom uso dela, rs.

      Abraço a todos!

      Excluir
    4. Alguém pensar que federais superam insper, ibmec e fgv é muita falta de noção mesmo. Demonstra que a pessoa parou no tempo há pelo menos uns 20 anos, está totalmente desatualizada, ou simplesmente repetindo coisas que os pais sem conhecer nada. Ou então trabalha no setor público e não nunca teve contato com alguma empresa privada de grande porte ou multinacional. Federais são o padrão para funcionários comuns dessas empresas. Já insper/ibmec/fgv são o padrão para os presidentes e diretores delas.

      Excluir
    5. Onde doidão?? Os top das federais são alto nível.

      Muito superior a insper, ibmec, fgv.

      Excluir
  15. A cada texto que passa você se supera!!!! Meus parabéns !!! Não deixa de escrever no blog!! Suas "historias" são fodas!!!

    ResponderExcluir
  16. Tenho vários colegas que queriam cursar federal. Não importava o curso. Mas tinha que ser federal.
    Mas, um em especial queria a UFMG.
    Formamos juntos no ensino médio e eu passei para direito em uma particular. Ele foi para a capital tentar a UFMG, em engenharia mecatrônica (ou algo assim). Não passou.
    Lembro que, quando nos encontramos em um clube, ele ficou chocado por eu estar fazendo direito em uma particular enquanto que ele estava fazendo cursinho para a federal.
    Tentou ciência da computação e ... não passou.
    Próximo ano tentou administração e, enfim, passou na UFMG.
    Ficou todo proza. Todo orgulhoso porque era Federal. kkkk
    Resumindo para não ficar chato. Eu formei em direito numa particular e passei em um concurso FEDERAL (kkkkk), ganhando inicial - hoje - de 14 mil líquido, enquanto ele se formou na "federal" e não conseguia colocação no mercado. Depois de três anos formados e não conseguindo colocação no mercado, se suicidou. Detalhe: ele não conseguia a colocação que ele achava que merecia. É lógico que ele conseguiria colocações outras (não honrosas na posição-idéia maluca dele).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara se matou ?! Putz... sinceramente fiquei mal por ele.

      Excluir
    2. Cara, que história merda e triste. Nem devia publicar assim, com esses requintes de "eu venci" que li na sua mensagem. Se for verdade, um grande foda-se pra você. Suicídio é tenso.

      Excluir
    3. O que você contou é consequência da alienação que os jovens sofrem desde muito tempo. Quando eu estava estudando pro vestibular há 13 anos já era assim. Fala-se em passar em federal como se fosse garantia de sucesso, ao ponto do jovem ingressar em uma e pensar "PRONTO, RESOLVI MINHA VIDA" e achar que a Nossa Senhora das Federais irá garantir o futuro dele.

      O sucesso não está na faculdade que você ingressou, o sucesso está no esforço que você faz para aprender, para adquirir conhecimento prático e para se relacionar com pessoas que já estão no mercado.

      Abraço a todos!

      Excluir
    4. e vc parasitando o povo

      Excluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. O que mais vejo no meu redor são esquerdistas devedores de classe média se fazendo de ostentadores. Tenho um amigo que tem um carro de valor alto. Salário dele já cai no cheque especial, respondendo 4 processos na justiça (penhora de carro e outros bens), fez emprestimo com a SIMPLIC e BMG(juros de 20% ao mes) e ainda sim gosta de postar fotos no face como se tudo estivesse bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Gari! Pra muita gente ser bem de vida não importa, o que importa mesmo é aparentar ser bem de vida!

      Abraço!

      Excluir
  19. Daqui a pouco o seu madruga vai fazer um post de atualização do caso, contando que a luisa se divorciou do tetinhas e agora, além de ter ficado com metade dos bens, recebe pensão pra ela e pro filho, este o tetinha pensa que é dele, mas não é, mas não importa, pois apesar da criança não se parecer com o betoso e ser fruto de uma traição, o mesmo perdoou a esposa, o ser ignóbil o ama com todas as suas forças, não entende como o divórcio aconteceu, vive depressivo, triste, resmunga pelos cantos, tem pensamentos suicidas, pensa sempre em reatar, faz de tudo, mas é em vão, enquanto isso, luisa, acaba de publicar um livro sobre como era maltratada durante o casamento, vivia sob a opressão machista, o livro logo se torna um best-seller e todos passam a odiar o tetinha, enquanto isso, luisa aproveita o seu empoderamento, vive livre e feliz o seu sonho esquerdista tardio que somente foi possível, graças a estupidez do tetinha.
    Ou, então, em outra alternativa, eles vivem felizes para sempre em sua fachada de pseudo felicidade, sem divórcio, apenas uma rotina cheia de mágoas, lembranças de estórias felizes dos tempos áureos que se perderam na imensidão do tempo.
    Faço a ressalva que isso é apenas ficção, apenas uma situação futura e hipotética, criada na mente fantasiosa de um ser humano, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.
    Abraço Madruga.
    Anon com devaneios de escritor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É anon, apesar de "fictícia" creio que a sua história condiz com a futura realidade do peitinhos.

      Excluir
    2. Gostei dos seus devaneios, Anôn. Faça um blog.

      E sim, são dois cenários bem plausíveis.

      Abraço!

      Excluir
  20. Vaginas bonitas sempre conseguiram dinheiro fácil. Homens gordinhos sempre serão cornos. Isso é assim desde o tempo dos Faraós.

    Cabe aos investidores lutar para juntar mais e mais dinheiro.

    Ainda quero passar num concurso que pague 14k. Sei que será um longo caminho, mas vou chegar lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com esforço e planejamento chega. O foda é o Temer sucateando o serviço público. O meu cargo está 6k com descontos fuleros 5100 livre.

      Excluir
    2. Espero que alcance seus objetivos, Anôn.

      Abraço!

      Excluir
  21. Muito bom Madruga!

    É foda, cada mulher bonita que cai nos encantos dessas merdas por causa de moda. O pior, ainda influencia manginas a fazerem o mesmo, pois se o mendigão consegue, os manginas acham que conseguirão também. Afundando todo mundo no lixo de ideologia que eles seguem.

    Infelizmente meu estilo e poderio financeiro não é nem do mendigo de dreadlocks e nem do tetinha. Fico naquela zona cinza sem qualquer tipo diferencial, nem a grana e nem a malandragem. Até o estilo nerd reneguei em minhas tentativas fracassadas de dar uns pegas em umas patys. Aí tenho que me virar, no já famoso entre o meio JFBP, PPS, arrochar os gastos para saciar a necessidade biológica de furar um couro.

    Luísa já nasceu vencedora na vida, mas preferiu jogar tudo fora. Quem não dá valor ao dinheiro é porque já tem muito.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zona cinza, hahahaha. Sei bem do que você está falando, Pobre Sofredor.

      Excluir
  22. Esse caso do Peitinhos trás uma reflexão pertinente sobre casamentos/namoros.
    O personagem em questão seja fictício ou não se casou com uma mulher de passado nebuloso.
    Vejo que muitos aqui acreditam no poder masculino de barganha após os 30 anos ou após a semi IF ou IF propriamente dita.
    Mas e aí vão se casar?
    Se sim como esperam escapar de mulheres como a Luísa ou semelhantes?
    Será mesmo que após certa idade esncontrarão mulheres que realmente valiam a pena ou se enquadrem nos seus anseios morais e comportamentais?

    As vezes me pego refletindo: O cara estuda, trabalha, aporta, investe. Outros vão até mais além e investem no físico.
    Provavelmente só colherão os frutos de forma mais plena após alguns anos. Financeiramente provavelmente após os 30.
    Tudo isso pra casar com uma mulher com pefil totalmente diferente, ou mesmo que financeiramente tenha um perfil parecido, mas mais rodada que pneu de bicleta de cicloativista. Como proceder?

    Acho que para quem pensa em casamento o ideal seria casar ainda novo até uns 25 anos, com essa idade se consegue mais facilmente mulheres até 20, 20 e poucos anos, menos rodadas, sem filhos, sem tantos traumas de relações anteriores.
    Só que a maioria dos homens e mulheres desssa faixa etária não querem saber de casar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fictício? Você já viu o desespero nos olhos de uma mulher com 28 anos+ que ainda não encontrou um homem, sabe que sua fertilidade está em declínio e vê que está ficando para titia enquanto todas as amiguinhas estão casando e parindo criança? Esse desespero é a força AVASSALADORA que resulta nas gostosinhas casadas com gordos calvos cebosos que eu vejo na rua quase todo dia! Elas baixam E MUITO o padrão que sempre mantiveram quando eram jovens só pra garantir o seu próprio macho provedor!

      Sobre casar ainda novo, nem comento!

      Excluir
    2. casamento é foda. Mesmo o meu casamento sendo um bom casamento, mulher é linda, eu sou bonito tb, tenho 1 filha, ganhamos ambos mto bem (15k+ liq cada), temos já 1 kk + em investimentos. Dá vontade as vezes de jogar tudo para o alto e sair curtindo a vida adoidado. Casamos com pouco menos de 30 e temos 30 e poucos cada.
      Imagina um casamento em que a vida é uma merda, com dificuldade financeira ou com uma relação cheia de brigas etc. Rapaz, deve ser o Deus nos acuda.

      O que quero dizer é, o meu casamento, que é um casamento massa no sentido emocional E no resto, ainda assim dá vontades de jogar para cima, imagina um casamento com N problemas. TENSO.

      Excluir
    3. Sou o anon 15:29.Não sou fictício.
      17:26 Acho que você não entendeu o que eu quis passar no meu comentário.

      Não duvido que um homem encontre pretendentes depois dos 30, sei que ainda tem mulheres em busca do macho provedor.
      Elas podem ficar menos exigentes, mas no fim das contas são tão ou mais rodadas que as jovens, vem com traumas e vícios de relações anteriores ou mesmo com filhos. Cadê as vantagens?

      Quando disse sobre casar até os 25 anos mais ou menos, me referi a maior facilidade de se relacionar com mulheres de 20 menos rodadas, menos traumatizadas, muitas ainda sem filhos etc. Embora no meu comentário tenha reconhecido que a maioria dos homens e mulheres não queira casar cedo.
      O que você acha melhor casar com uma mulher de 20 anos, pouco rodada, ou com uma de trinta que já degustou diversas rolas?
      Pra quem acha ótimo ser apenas um bosta provedor tá ok.

      Excluir
    4. Questão interessante. Não existe resposta pronta. Se você sabe o passado da pessoa e não está confortável com ele, não se relacione, simples assim.

      Se não sabe o passado da pessoa e sente que ela é de boa índole, é melhor não ficar procurando saber, rs.

      Abraço!

      Excluir
    5. Acho engraçado tanta gente pensar que pra um cara de 40-50 anos que tem uma situação financeira mediana é difícil pegar meninas de 18-25 anos. Vocês estão totalmente por fora da realidade, rs.

      Excluir
    6. 04:52 você que está por fora um beta feioso de 40 ou 50 anos fica só na mão.

      Excluir
  23. Seu Madruga,

    Sensacional! Hoje meu dia estava particularmente difícil e seu texto me fez dar boas risadas. Todos os trintões que frequentaram federal reconhecem uma Luisa entre as antigas colegas de faculdade.

    Parabéns, e continue assíduo no blog, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Mascada! Que bom que o post ajudou a melhorar seu dia.

      Abraço!

      Excluir
  24. Fala Madruga,
    Cara vc merece o prêmio Nobel de literatura pelos seus textos.
    Madruga volto a pedir para vc, escreva sobre o golpe MMM Brasil,de um russo pilantra chamado Mavrodi, eu sinceramente gosto de ver piramideiros de dando mal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele escreve bem desse jeito pra coletar migalha no adsense uma vez por ano enquanto Rute Manus ganha fortunas pra escrever lixo atrás de lixo nos maiores jornais do brasil

      Se existisse justiça divina isso nao aconteceria

      Anon 17:26

      Excluir
    2. Obrigado, Conde! Preciso pesquisar sobre isso aí antes de escrever, tô muito por fora desses golpes.

      Anônimo, vou pesquisar sobre essa mulher aí, o nome não me é estranho...

      Excluir
  25. Madruga, suas crônicas são sensacionais! Parabéns! kkkk

    ResponderExcluir
  26. O blog do madruga será o novo recanto dos betas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, Anôn. Não tenho essa pretensão, rs. Acho que o blog do Diabo já é esse novo recanto.

      Abraço!

      Excluir
  27. SENSACIONAL!!! Não tem outra palavra. Assim como todos os outros posts da série.

    Depois manda notícias de como está o casal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anôn! Se eu souber de alguma novidade mando sim.

      Abraço!

      Excluir
  28. Como tem idiota endinheirado nesse mundo.

    Com o salário do tetudo, dava pra descolar uma esposinha sub-20 ao invés de sustentar arrombada em fim de carreira.

    Se for pra pagar caro, que seja por mercadoria nova...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ele não tinha consciência disso e foi na primeira moça que lhe deu atenção, rs.

      Abraço!

      Excluir
  29. Essa série de crônicas no blog está fantástica Madruga. Continue nessa linha. Abraço!

    ResponderExcluir
  30. Eu cursei o próprio curso de ciências sociais na federal de São Paulo. Sempre curti questões ligadas ao pensamento e tal. Acabei virando Professor, sou concursado do Estado. Olha os alunos estão um lixo pessoal, só se preocupam com celular, lamentável. E isso que o governo quer mesmo. Então, acabo tendo 2 cargos , um no Estado com salário de 2400,00 líquido e outra na Prefeitura com 3500,00 líquido, mesmo sendo efetivo , considero um bico, é um bico desgracado. O que ajuda e que trabalho das 7 até às 17:30 no máximo somando os dois cargos, e ai to estudando e buscando outras alternativas. Se viver na ilusão da universidade federal , vai virar estatística de desempregado com diploma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anôn.

      Só pra constar, eu não tenho nada contra o curso propriamente dito, só acho uma loucura fazer esse curso pra depois viver dele. Se for pra fazer como hobby, depois que você já está estável, aí sim.

      Você ainda está bem, pelo que eu estou vendo. R$ 6k líquido não é a coisa mais maravilhosa do mundo, mas já está melhor que muita gente e garante uma vida com dignidade.

      7 às 17h30 lidando com aluno é puxadíssimo e desgastante. Espero que você consiga melhorar isso aí.

      Professor em Universidade Federal só com muito estudo, doutorado, inúmeras publicações e networking. Talvez um concurso para IF seja mais viável.

      Abraço!

      Excluir
  31. O tetinha está feliz, e provavelmente não será corno, uma vez que a esquerdista não iria arriscar perder tudo caso o tetinha descubra. Ela conquistou sua liberdade, agora é só deixar a ppk em fogo baixo satisfazendo o gordinho tetudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um cenário possível, também...
      Apesar de que trair é muito fácil.

      Abraço!

      Excluir
  32. Todo mundo sabe que gordinhos e magrelos são cornos, pobres ou ricos. Nunca escaparão dos chifres. Mulheres querem um marombeiro para trepar e um bobão para pagar as contas.

    O tetinha sabe que sem dinheiro ele seria lixo solitário pelo resto da vida. É uma troca.

    Agora cabe aos caçadores de IF acordarem e buscarem mulheres que ganhem bem para poder casar. Do contrário, não tenha filhos e não namore.

    Lembrando que betas não têm direito a ter filhos nem podem ter família se forem pobres fudidos.

    ResponderExcluir
  33. Nada de novo no front, como dizem por ae. Conheço muitas histórias parecidas.

    O que me deixa mais put* é que enquanto essa mulher passava de homem em homem, aproveitava a juventude no máximo, creio que o tetinha, foi ao contrário, vivendo num celibato terrível.

    Lamentável...

    Abraços e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PORRA, O TETINHA DEVIA TER MALHADO EM VEZ DE FICAR NA PORRA DO VIDEOGAME. Podia ter caminhado se estivesse sem dinheiro para academia, fizesse flexões e abdominais em casa.

      Reclamar da natureza é ser demente.

      Excluir
    2. Apesar do passado bastante diferente, agora os dois se encontraram e vivem uma linda história de amor, rs.

      Excluir
  34. Mano,

    Eu queria pelo menos uma crônica por semana.

    Historia otima, texto melhor ainda.

    Parabens ai Madruga.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Astro! Está nos planos pós-independência financeira virar um blogueiro com dedicação exclusiva, rs.

      Abraço!

      Excluir
  35. Muito boas essas crônicas, serve de aprendizado para muitos. parabéns!! seu Madruga...

    ResponderExcluir
  36. Certamente o tetinha pegou um c* de trap durante a graduação. Um anel de carne de traveco que custa R$40,00 está ao alcance de universitário pobretão.

    Hoje com 14k ele pode comer uma buc* todo dia.

    O dinheiro abre os buracos deste mundo.

    ResponderExcluir
  37. Excelente Madruga,

    Muito boa a historia e reflete bem a realidade atual.

    Abraçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está totalmente errado, VdC, essa história acontece há 5 mil anos, desde o tempo do Faraó que os ricos casam com as mais gostosas. E os pobres e lascam pra viver.

      Dinheiro sempre abriu as melhores buc*.

      Dinheiro paga comidas maravilhosas, casas na praia, viagens deslumbrantes. Dinheiro é muito bom.

      Excluir
  38. Postagem excelente!
    Incrível como o texto se encaixa com exatidão em mais de um caso que eu conheço em vida.
    Essa tipo de redpill só encontramos aqui na blogosfera.

    Valeu Sr Madruga,
    Grande abraçoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Burguês! Conheço outras histórias parecidas com essa que eu contei no post. É uma realidade bastante comum.

      Abraço!

      Excluir
  39. história q se repete muito!
    Se puder add meu blog ao seus futuros milionários!

    https://senhorbufunfa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Bufunfa! Eu vou fazer um post sobre ampliação do blogroll, comente com o link lá...

      Abraço!

      Excluir
  40. Madruga,

    Você tem o dom da escrita. Seus textos são fantásticos.
    É um texto grande e ninguém fica com preguiça de ler, pelo contrário: vai chegando o final e eu vou pensando: pqp já acabou?

    Parabéns cara e vê se não deixa de escrever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Yuri, se o blog desse dinheiro eu escreveria com mais frequência. Como não dá, o jeito é trabalhar pra ganhar a vida, e assim o blog vai ficando de lado, rs.

      Abraço!

      Excluir
  41. Já virou até meme que se a mulher que ao sair duma federal não for lésbica, esquerdista e maconheira, já venceu na vida, rs.
    Mas não é novidade pra ninguém que as mulheres próxima de se tornarem balzacas usam de todos seus atributos físicos para fazer uma hipergamia e poder amarrar seu burro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato é algo bastante recorrente. Não acho que é uma questão de gênero, homens fariam a mesma coisa se tivessem a oportunidade, rs.

      Abraço!

      Excluir
  42. Filosofia Diabetica por stifler.

    1.Mesmo sendo broxa nao aceitar ser xifrado (apelido antes era Schifrer de chifre)

    2. Ja ser pobre e ser ainda mais pobre botando um catarrento no mundo (pai é quem cria mesmo)

    3. Separar da mulher e perder todos os bens.

    4. Ver a mulher dizer que a piroquinha broxa nao atendia no sexo e mesmo assim se considerar alfa

    5. Ter 40 anos e criar um blog para pessoas jovens

    6. Ter um Shape rolha de poço, com a pancinha saliente.

    7. Usar pochete

    8. Manginar blogueiras virtuais

    É isto ai ta publicada a Filosofia Diabetica do Stifler Pobre

    Vou ali aplicar uma insulina no bumbum,

    Stifler Pobre deslogado usando proxy pra estar seguro

    ResponderExcluir
  43. "Pelo amor de Zapata, me dá uma gorjeta boa aí, brother." Chorei de ri.

    Eu estudei em Universidade Federal, fiz adm (curso inútil), o que tinha de pseudo intelectual metido a revolucionário.
    Conheci alguns casos como o da sua conhecida, inclusive tenho uma prima que era metida a feminista, que mulher faz o que quer. Ficava com um e com outro (inclusive comigo) e falava que a vida era dela e que o homem que quisesse ela teria que aceitar que ela tinha curtido muito.
    Hoje vive no facebook reclamando da vida, dos homens, da sociedade machista. Resolveu agora com 30 e tantos fazer faculdade de psicologia com fies. Eu encontrei com ela na ksa de minha mãe e falei com ela que ao invés de faculdade ela deveria fazer cursos técnicos ou profissionalizantes, que poderia trazer mais retorno financeiro, ela disse que dinheiro não é tudo e que quer buscar satisfação pessoal. Ela trabalha como recepcionista numa clínica oftalmológica, o pai é aposentado e a mãe dona de ksa. Só possuem um imóvel e 2 filhos e ela acha que não precisa de dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz... trinta e tantos anos? Fala com essa prima que é melhor ela arranjar logo um príncipe encantado, a idade já está pesando contra ela.

      Abraço!

      Excluir
  44. "A juventude é uma longa intoxicação: ela é a razão em estado febril. la rochefoucauld (1665)"

    Madruga,
    Saiu o novo ranking da finansfera...
    http://blogdouo.blogspot.com.br/2017/10/ranking-dos-blogs-de-financas.html
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem está na 16ª posição já pode se considerar subcelebridade?

      Excluir
  45. Ótimo post. Obrigado madruga.

    ResponderExcluir
  46. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  47. Excelente post!!!
    O triste é saber que pagamos com nossos impostos toda essa situação nas federais.
    Tavez o dreadlock ainda venha a estudar, se forme e vire professor em uma federal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Samurai! Obrigado!

      Triste mesmo, cara. Não gosto nem de pensar nisso.

      Dreadlock não tem salvação. Ele já está com mais de 30 anos e pra começar a se tornar uma pessoa competitiva num concurso pra federal ele teria que enfrentar 6 anos de mestrado e doutorado pela frente... e isso é só o começo, como eu disse.

      Excluir
  48. A verdade é que travesti é que faz caridade para betas gordinhos durante a graduação. Sem travestis os nerds iriam se matar.

    R$ 30,00 cuta um c* nas madrugadas de nossas cidades, só assim para estudante pobre poder gozar.

    Depois dos 30, um beta vai poder pegar uma feinha beeeem rodada, mas é isso ou o inferno da punheta eterna. Ser cuckold é parte do estilo de vida beta nerd.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é o mesmo Anôn do dia 19 de outubro de 2017 14:45, não é? Rs.

      Excluir
  49. Sr. Madruga,

    Muito legal seu blog, acompanho a algum tempo, muito bons seus textos, gosto da franqueza e que você joga a real sem dó. Compartilhamos a mesma "energia" pra cima dos esquerdopatas. Pior que tenho na família gente assim e não tem o que fazer, eu procuro é evitar...

    Começei meu próprio blog de finanças e ele debate um ativo pouco explorado na finansfera.

    Já adiconei você no meu blogroll e ficarei contente se fizer o mesmo.

    um abraço.

    https://umativodiferente.blogspot.com.br/

    Um Ativo Diferente.

    ResponderExcluir
  50. Sobre esse "complexo de superioridade" que muitos alunos de federais demonstram ter, me declaro culpado! Mas mais por ingenuidade tipica da pouca idade e desconhecimento do "mundo real" do que por qlr coisa, isso pq quando eu entrei numa federal ao 18 anos não sabia como o mercado de trabalho funcionava na realidade, os professores também não ajudavam, destacavam o quanto aquele curso era importantíssimo e já sairia dali empregado; quando me formei que me dei conta da cagada, o diploma de federal ñ me servia de nada, tive que me reinventar, cada um pode achar uma saída pro buraco em q se meteu na vida, a minha foi começar a me dedicar a concursos públicos, o diploma não é inteiramente inútil pq o uso para fazer concursos d nível superior; agora sei q um curso numa uniesquina como direito é bem mais util do q 90% dos cursos das federais, o q importa mesmo no fim das contas é o diploma.

    No mais, sei que devo ser o centésimo a dizer isso, mas não posso deixar de falar: ótimo texto, vc realmente escreve muito bem, continue assim, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse dai está bem perdido.

      Curso de uniesquina ainda mais direito melhor que cursar federal?

      Tu tá louco? Concordo que 90% dos cursos em federal são lixo mas em uniesquina são mais lixos ainda.

      Faculdade privada é lixo. Mesmo fgv, insper e outras bonibices.

      Excluir
  51. Queria muito ser a Luiza e arrumar um macho provedor bem gostoso pra me sustentar

    ResponderExcluir
  52. haha caramba.
    Vejo exemplos parecidos como esse direto. Nos tinders da vida o que não falta é Luisas.

    abraço

    ResponderExcluir
  53. Excelente relato madruga!
    Mas fico triste. Os homens precisam começar a boicotar essas candangas folgadas.

    ResponderExcluir
  54. 135 comentários machistas..
    fazia tempo que não olhava a finansfera e tinha esquecido de como tem gente cabeça fechada... certeza que muito marmanjo que comentou adoraria dar o golpe do baú mas não consegue porque tá careca e barrigudo. kkkk

    posso falar que tem muito homem interesseiro viu? vi uns (e não era feio não) se vendendo até por tapioca.

    Afinal qual é o problema com a Luisa? Por acaso são vocês que tão dando pro tetinha? Ou são vocês que tão bancando a gostosa interesseira?

    Ahhh, vão fazer o fechamento do mês e trabalhar pelos seus milhões em vez de comentar da vida dos outros... Quem sabe assim vocês não podem pagar uma PRO e depois colocar um textinho no blog se gabando da foda paga

    ResponderExcluir
  55. Cheguei ao blog aleatoriamente e achei interessante de boa parte do conteúdo. Mas confesso, em tom de lamento, que me entristeço ao notar que parte do público parece produzir (reproduzir, na verdade) um discurso fácil de ilegitimidade da Universidade pública. Isso me dói. E por quê? Porque o Brasil é um país carente em alfabetização e em ensino superior de qualidade. Falta interiorização da educação de qualidade, manutenção de infraestrutura e respeito entre os conhecimentos oferecidos à população.
    Se os cursos tecnológicos (financeiros, industriais e agronômicos) parecem sugerir um prospecto de "vida melhor", não é igualmente verdade que eles possuam um prospecto de "melhores cidadãos". Talvez melhores investidores -- que querem, no fim, renda. Não se importam com exercício de cidadania. E o ponto é: se estamos em ruínas, caros conterrâneos, é porque nossa cidadania está em frangalhos.
    A FGV não está nem aí para uma formação cidadã. Mackenzie tampouco, PUCs tão pouco. A Universidade pública, sobretudo a federal (por se tratar de uma autarquia com mecanismos bastante democráticos nas deliberações), é o lugar aonde investimento em cidadania se converte em custo com educação. E é só neste ambiente, minha gente, que essa operação pode acontecer.
    Se estamos em uma república (res publica), a coisa pública deveria ser ainda uma circunstância de luta pela qualidade e universalidade.

    No mais, se for pela vontade e pelo conhecimento da maioria das pessoas "pró renda" sobre as Humanidades (da História à Psicologia), elas simplesmente deixariam de existir. Mas prefiro lembrar que esse desprezo gratuito é uma reação daqueles que acham que desconhecem com profundidades exorbitantes o que as Humanidades oferecem e possibilitam à experiência intelectual de nossa história. Sem Humanidades, cara gente, não há conhecimento possível -- eis minha provocação a vocês.
    Quanto à crônica de Luisa, achei legal mas muito simplista quanto às C. Sociais. C. Sociais = "revolução"? Hmmmm... me parece o mesmo que afirmar: economia = análise da divisão do trabalho "capitalista".
    Vamos lá Madruga, você não precisa ser simplista e dar continuidade a uma visão tão curta (e limitada) sobre um gigantesco (gigantesco, oras!) campo de interesses chamados de C. Sociais. Ela é uma grande área; fiquei chateado com essa generalização tão pouco criativa -- e tão padrão. Não deveríamos evitar essas experiências padrões, inclusive aquela das caricaturas de coisas que não entendemos e por isso ridicularizamos tão rápido e facilmente?

    Um abraçao a vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é a síntese das universidades públicas. Gasta, gasta e, no fim, não fala nada consistente. Pelo menos, vc não usou dinheiro público pra isso.

      Excluir
  56. Seu Madruga, me explica uma coisa. Luiza fazia um curso de humanas e peitinhos um curso de exatas, como diabos esses dois se conheceram dado o fato de que um campus universidade federal é algo bem grande e dado o fato de que eles tinham estilos de vida completamente diferentes?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...