sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O que fazer após a independência financeira?

Estava lendo um blog gringo de um cara que alcançou a independência financeira, parou de trabalhar e passou a viver de renda passiva. Vejam só como o sujeito descreveu a própria vida: 
Minha vida ainda é um pouco estruturada pois minha esposa tem um emprego e nós dividimos um carro, então eu tento deixá-la no trabalho e buscá-la. Eu penso em jogar golfe a maior parte do tempo. Eu joguei golfe cinco vezes na semana passada, mas geralmente jogo três ou quatro vezes por semana, tirando um dia de folga após cada partida. Em dias em que tiro folga (como hoje), eu sinto como se estivesse sem jogar há anos e fico pensando na próxima partida.
O cara alcançou meu maior objetivo, que é viver de renda passiva, e agora sua rotina consiste em levar a esposa pro trabalho e jogar golfe.

 Porra, blogueiro gringo! Fiquei entediado só de me imaginar numa vida assim.
Depois disso pensei melhor e vi que blogueiro gringo está fazendo a coisa certa. Basta reler as palavras dele para ver como ele está entusiasmado e feliz com o golfe, então quem sou eu para julgá-lo? O cara vive de renda passiva e gasta o tempo dele com o que o faz feliz, ponto final!  

Não existe certo ou errado para a felicidade, a não ser que sua felicidade consista em molestar crianças, violar sepulturas, assistir Encontro com Fátima Bernardes e outras atitudes doentias, ou em tomar decisões autodestrutivas que atentam contra a sua saúde mental, física e financeira.

Mas se eu não sinto prazer algum em jogar golfe compulsivamente tal qual o blogueiro gringo, o que a independência financeira representa para mim? Por que diabos acordo pensando em renda passiva e durmo pensando nela? 

Os meus motivos eu listo a seguir: 

1) Liberdade de não trabalhar

O maior motivador da minha busca pela independência financeira é não precisar mais trabalhar. É saber que eu estou livre de uma obrigação que ocupa manhã e tarde da maior parte das pessoas, e que posso dedicar meu tempo livre a ler livros, escrever no blog, buscar conhecimento, praticar exercícios físicos, me alimentar da melhor forma possível e fazer coisas improdutivas como ver séries, ouvir música e encher o saco das pessoas.

Há quem veja essa ideia de não trabalhar como algo anticapitalista, mas lembre-se que estou falando de parar de trabalhar por viver de renda passiva, ou seja, mais capitalista impossível.

Antes que alguém atire essa pedra, devo dizer que não sou infeliz no meu trabalho. Muito pelo contrário: tenho conforto e autonomia profissional bem acima da média e me dou bem com todo mundo que lido diariamente. Ainda assim, nada supera minha vontade de me ver livre da obrigação da trocar vida por dinheiro.

2) Mobilidade

Mobilidade é consequência da liberdade que a renda passiva pode proporcionar. Mobilidade pra mim significa estar onde eu quiser, quando eu quiser.

Seu primo está com vontade de conhecer Gramado? Poxa vida, ele não tem dinheiro nem tempo pra isso. Quem sabe um dia ele consiga, com o devido planejamento.

Você é independente financeiramente e acordou com vontade de ir para a Bulgária? Parabéns, você tem tempo e dinheiro pra isso.

Boa viagem.
Como não sou casado nem tenho filho, a única coisa que me prende geograficamente a determinado lugar é o trabalho, e parar de trabalhar significa mobilidade absoluta, podendo ir pra onde quiser sem precisar avisar pra ninguém ou me preocupar com quem deixei para trás.

3) Proximidade com certas pessoas

Tenho amigos e familiares espalhados pelo Brasil e em outros países. Raramente os vejo, pois quando você trabalha só consegue se deslocar grandes distâncias por um bom período de tempo durante as férias.

Com a independência financeira eu gostaria de visitar essas pessoas com uma frequência bem maior, e a liberdade de não trabalhar somado à mobilidade permitem isso.

4) Imigração permanente

Tá aí um assunto que eu nunca mencionei aqui no blog, mas que tenho sempre em mente. O Estado brasileiro é uma organização criminosa, e eu não necessariamente morro de amores por viver embaixo desse guarda-chuva.

Gostaria de viver em um país com menos insegurança, menos supremacia do funcionalismo público sobre a iniciativa privada e menos filhos da puta passando a rola na cara do cidadão comum todo santo dia. Não faço questão de viver num país perfeito, mas avacalhado como o Brasil aí já é demais.

Vocês devem ter visto nos jornais a Ministra que fez uma analogia ao trabalho escravo para pedir vencimentos de R$ 61 mil/mês. Parece ser um caso único de Ministra sem noção que falou besteira, mas a real é que esse tipo de deboche é diário, permanente, presente em todas as esferas dos três poderes e no Ministério Público, de forma que até o órgão que deveria lutar contra a festa do cachorro louco também mama na teta com auxílios e penduricalhos.

Gosto do Brasil, mas acho que prefiro visitar o país como turista quando der vontade em vez de ser um morador. Sem sombra de dúvida uma bela renda passiva contribui para um projeto imigração.

Vai sair do país? Poxa, fica mais.
Breve conclusão:

Meu sonho de independência financeira não inclui carro importado e uma mansão com 30 mulheres dançando na piscina ao som de Mc Rodolfinho.

É algo bem mais simples que isso, e consiste em parar de trabalhar, possivelmente sair do país de forma definitiva, estar onde eu quiser e quando eu quiser, estar mais próximo de boas companhias, aprender novos idiomas e conhecimentos práticos úteis, abandonar as refeições apressadas e os exercícios físicos com sono, enfim, usar meu tempo na terra com mais qualidade.

E aí, pessoal, quais são seus planos pós independência financeira?

Aquele abraço!

100 comentários:

  1. Meu plano é exatamente igual ao seu.

    Abraço
    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. Cara, vc tocou em um ponto fundamental! Mobilidade é tudo!!!
    O ruim de quem sonha com isso é que a independência financeira fica mais cara, afinal viajar não é tão barato né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho observado essa explosão de escritores que são nômades digitais e comecei a questionar essa questão dos custos de viagens contra alguém que tem que bancar uma estrutura fixa.

      Mas é um tema novo, preciso dw mais fontes para poder dizer qualquer coisa com certeza. Mas a ideia é poder comparar.

      Excluir
    2. Cara, eu acho que é bem relativo. Digo isso pq faço minhas viagens meio mochileiro mas sem perrengues e digo que geralmente o gasto mensal disso fica bem próximo do custo de vida de uma cidade grande como SP, por exemplo.
      A questão de viajar pode ficar cara se a gente cair nos contos de turista haha, se viajar e viver como um local você pode evitar altos custos com coisas supérfluas.
      Eu acho bem possível sim, ainda mais com planejamento bom. É possível planejar os locais que quer ir, ganhar milhas e etc.
      Meu objetivo é virar um cidadão do mundo após a IF, abraço.

      Excluir
    3. Acho que no geral dá pra viajar barato. Ao longo do ano surgem várias oportunidades e promoções para comprar passagens internacionais com baixo preço.

      Estive na Europa em julho e, apesar do euro a quase 4 temers, consegui viajar barato. Existem empresas aéreas low cost (Ryan Air, Wyzz Air), empresas de ônibus internacionais low cost (Flixbus, Eurolines), estadia lowcost (hostel ou alugar um quarto via AirBnb), alimentação low cost (sanduíches naturais de +- €1,50 em qualquer supermercado), passeios com guia low cost (free walking tours), enfim... dá pra gastar pouco, basta não desejar mordomias e evitar as armadilhas que a maioria dos turistas caem.

      Sobre ser nômade digital, aí eu realmente já não sei, é algo bastante fora da minha realidade.

      Abraço a todos!

      Excluir
  3. quero:
    1 - não ter que trabalhar;
    2 - fazer uma faculdade de exatas;
    3 - aperfeiçoar inglês e aprender alemão;
    4 - cuidar dos meus filhotes (2);
    5 - viver pelo menos um ano no litoral brasileiro;
    6 - viver pelo menos dois anos nos EUA;
    7 - viver pelo menos dois anos na Alemanha.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom plano! Só a parte de cursar exatas que eu não faria, rs.

      Abraço!

      Excluir
  4. qualquer plano que nao envolva penetrar o maximo de mulheres possiveis representa uma sub-utilizacao do poderio da independencia financeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk esse comentário entra como um dos melhores de 2017 na blogosfera.

      Um Oscar para o estimado Anônimo.

      Excluir
    2. idéia de punheteiro de 15 anos. Se tiver mais que 15, vai se tratar filhão. A vida é mais que buceta.

      Excluir
    3. Vou ter que concordar com o Anôn das 14:48, acho meio 15 anos essa visão fornicocêntrica.

      Excluir
  5. Poxa Madruga, seu post foi um baixar spoiler do que eu penso.

    Quando comecei a ler seus motivos, mentalmente já fui lembrando dos meus. Aí quando eu li sobre liberdade de morar fora do país, viajar bastante, visitar amigos distantes, pronto, me identifiquei totalmente. Creio que isso é motivo pra grande número de colegas por aqui. Mas vendo o Brasil do jeito que está, como você bem disse, avacalhado, não dá vontade nenhuma de permanecer por aqui. Penso nisso assim que conseguir a independência financeira, e finalmente me aposentar do meu serviço, pois me aposento mais cedo.

    Um abraço aí Madruga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, me identifiquei muito também.
      Creio que a pior coisa de não ter a IF é desperdiçar nosso tempo de vida com coisas e pessoas que não merecem.
      Abraço.

      Excluir
    2. Pensamos da mesma forma, então! Abraço!

      Excluir
  6. IF é algo pessoal e intransferível. Como você mesmo disse cada um sabe o que acha melhor pra sí. (Apesar que muitos não sabem...).

    Uma das grandes vantagens da IF é a liberdade. Não ser obrigado a trabalhar e consequentemente aceitar e conviver com quem não se tem vontade.
    Não se cagar de medo de perder o emprego ou se sujeitar a dinâmicas de grupo escrotas para empregos medianos pra baixo, não ser mais obrigado a engolir sapos. Pra mim essa é a grande vantagem, não ser dependente de emprego.
    IF sem ocupação é como se fosse uma grande fase de desemprego, pode ser ruim se a pessoal não souber levar.
    Afinal ocupação é sim positiva pras pessoas.

    Porém as pessoas tem ter expectativas realistas, inclusive comentei isso no blog do Sr. Bufunfa, tem cara que acha que vai sair por aí degustando todas as xoxotas possíveis, que se casarão mulheres honradas e donzelas para formar família (O cara com mais de 40 anos e a mulher com 20, 20 e poucos..).
    Acham que vão conquistar todo o respeito e destaque que nunca tiveram, enfim que viverão adoidado uma vida de prazer sem precedentes.
    Essa é a impressão que temos ao ler comentários na blogsfera de pretendentes da IF. E pelo jeito alguns creem realmente nisso tudo. Não é por aí.
    Até porque depois de 20 anos seguidos na rotina do mundo do trabalho, o cara fica muitas vezes meio que viciado nisso.
    Tem que se ter muito equilíbrio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Muita gente sonha com uma independência financeira parecida com a vida que o Dan Bilzerian leva.

      Tenho uma ideia bem pé no chão do que seria (será) minha independência financeira. Vai passar longe de ser um bacanal regado à ostentação, até porque nunca fui disso e não vejo razão para ter uma súbita mudança de personalidade, e além do mais meu planejamento não comporta grandes luxos.

      Abraço!

      Excluir
  7. Excelente texto, como sempre! Ninguém está preparado para a independência financeira, fato! Podem falar o que for mas ninguém sabe muito bem o que fazer uma vez atingida a IF. Nêgo diz que vai ir pra academia 2x por dia, assistir netflix e ler livros mas porra, duvido que consiga manter essa rotina muito tempo.

    Muitos me criticam por ter optado por trabalhar após atingir a IF, ainda mais trabalhar CLT com todos os problemas inerentes a isso. Poucos entendem o porquê disso, mas como vc disse, felicidade é relativo, não existe certo ou errado. Estou feliz e isso é o que importa pra mim.

    A liberdade de não precisar trabalhar é justamente o que deixa o trabalho interessante.

    A mobilidade é sim muito importante. Hoje estou "preso" a SP devido ao trabalho mas justamente por não precisar do trabalho posso larga-lo a qualquer momento e me mandar pra qq lugar.

    "Meu sonho de independência financeira não inclui carro importado e uma mansão com 30 mulheres dançando na piscina ao som de Mc Rodolfinho.

    É algo bem mais simples que isso," - sim, IF é bem mais simples que o imaginado, não tem nada de glamuroso, ao mesmo tempo que é algo pra qq um que tenha um mínimo de educação financeira e boa renda.

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Corey! Entendo perfeitamente porque você está trabalhando após a IF, e não descarto essa possibilidade nos meus planos.

      Trabalhar por necessidade de pagar as contas é uma coisa, e trabalhar sem essa necessidade é outra completamente diferente!

      Fora o fato de que, mesmo após a IF, botar mais dinheiro pra dentro não faz mal a ninguém.

      Pra mim você só está fortalecendo ainda mais a sua IF, e se está feliz fazendo isso, ótimo!

      Abraço!

      Excluir
  8. madruga vc mencionou fatima bernardes, viu que ela ta namorando um esquerdista de 29 anos? se vcs querem independencia financeira logo, sigam o exemplo do esquerdista kkkkkkkkkk

    https://f5.folha.uol.com.br/celebridades/2017/11/namorado-de-fatima-bernardes-e-filiado-ao-pdt-faz-oposicao-a-temer-e-chama-globo-de-golpista.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esquerdista metendo o pau na globo, mas namorando a principal funcionaria desta. Ainda defensor da turma CUT, MTST, MST e provável que seja bem rico. Ela nao namoraria um quebrado.

      Excluir
    2. Fátima Bernardes fugiu de casa
      Fátima Bernardes mandou um beijo
      Fátima Bernardes foi baleada
      Fátima Bernardes chupando dedo

      Glória Maria

      Fátima Bernardes pra presidente
      Fátima Bernardes em carne e osso
      Fátima Bernardes tem corrimento
      Fátima Bernardes, William Bonner

      Glória Maria

      Fátima Bernardes investe tudo
      Fátima Bernardes com arroz 'la grega'
      Fátima Bernardes é vagabunda
      Fátima Bernardes tem caderneta

      Glória Maria

      Fátima Bernardes cheirando cola
      Fátima Bernardes com a pica dura
      Fátima Bernardes experiência
      Fátima Bernardes também é cultura

      Glória Maria

      Excluir
    3. Eu vi. Fátima Bernardes mostrando seu lado sugar mommy, rs.

      Excluir
  9. Fala Madruga,

    Só faltou incluir quem assiste 'Ixquenta' da Regina Casé, se bem que acho que aquilo acabou né?

    Hoje tive mais ou menos um dia de IF, tipico dia onde liguei o foda-se e faltei ao trabalho, emendando o feriado. Minha segunda falta em menos de um mes :)

    Eu nao sei bem o que farei.

    Quero ter tempo pra me dedicar a alguma atividade, sei la, voltar a praticar baixo (eu tinha banda e poderia voltar a ter), ir duas vezes a academia (fui d manha e vou hoje a noite), poder ir passear atoa no shopping sem comprar nada, ir numa cachoeira, ir num clube, etc.

    Ou mesmo ficar atoa em casa.

    Visitar meus pais, parentes, ir em cidades proximas.

    Pra isto preciso ter mais renda passiva, acho que minha renda atual "certa" que esta entre 3K a 5K ainda acho bem baixa, nao tem margem nenhuma, mas ja me propicia ficar sem trabalhar uns bons meses ate encontrar outro.

    Abraçao Madrugas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, VDC! Eu consigo viver tranquilamente com R$ 3-5k, considerando minha situação atual (não sou casado, não tenho filho...). Mas ainda assim não me sentiria seguro. É o que você disse: 3-5k não tem margem nenhuma, qualquer imprevisto e a IF vai pro brejo!

      Abraço!

      Excluir
  10. Olá Madruga, pensamos bastante parecido.

    Eu também não sonho em esbanjar, para mim o principal é a liberdade:

    - Não precisar trabalhar, podendo parar de vez se eu quiser.

    - Poder viajar igual você disse, sempre que eu quiser e na época que eu quiser. É osso ver oportunidades maneiras de viajar até mais barato em baixa temporada, mas não poder por causa dessas obrigações de trabalho.

    - Visitar meus amigos nos outros estados também.

    - Em questão de emigrar eu quero morar em Portugal. Você já viu aquele visto especial para aposentados e pessoas que vivem de renda, o visto D7? Se você puder comprovar que tem vive de rendimentos próprios eles te dão esse visto que depois de 6 anos morando lá ininterruptamente você pode pedir a cidadania portuguesa e ficar livre para transitar pela União Européia inteira.

    Enfim, não consigo entender como tem gente que não quer parar de trabalhar. Tem tanta coisa para se fazer. Milhões de livros, filmes e jogos para aproveitar. Inúmeros esportes e hobbys. Tantos destinos turísticos maravilhosos. Sério é tanto coisa para fazer que não entra na minha cabeça como que tem gente que vive só para o trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anôn, pensamos bem parecido mesmo.

      Interessante esse visto aí, não conhecia.

      Pior que gente que não pensa em parar de trabalhar é a pessoa que, quando pensa no assunto, diz que não conseguiria viver sem trabalhar, que provavelmente morreria de tédio. A pessoa que não consegue imaginar uma vida sem trabalho vive numa prisão mental enorme.

      Abraço!

      Excluir
  11. Fala Madruga, esse é um tema muito bom de se debater. Acho que a palavra que resume bem o que significa a IF é liberdade. No meu caso é para morar no exterior e proporcionar uma qualidade de vida melhor pra minha familia. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Finansfera! Também penso bastante em morar no exterior...

      Abraço!

      Excluir
  12. Fala SM, eu acho que existe IF e ficar rico, IF não significa que vai poder sair por ai fazendo tudo o que quer, IF vai te proporcionar não trabalhar e ter uma renda que cubra seus gastos mensais, nos valores de hoje acredito que o ideal seria entre 5k até 10k, a partir de 10K já dá para ter maiores regalias, viagens e coisas mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Stifler! É isso mesmo, são duas coisas bem diferentes. Não quero perder anos tentando ficar rico, IF pra mim já estaria bom demais.

      Abraço!

      Excluir
  13. Eu quero uma namorada mais nova e gostosa. Não precisa esperar chegar até a if pra isso, seria loucura.

    ResponderExcluir
  14. viver e ter uma vida normal em Portugal seria muito bom, ainda mais podendo visitar toda a Europa, seja de carro, seja de trem.

    abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, ST! Pelo visto bastante gente na blogosfera tem uma preferência por Portugal.

      Abraço!

      Excluir
  15. Muito bom Madruga! A minha IF já seria tipo a mansão onde MC Doguinha fez o clipe dele, cheio de piranha.

    Iria fazer um tour pelos puteiros do mundo e possivelmente iria fincar minha base na Rússia ou outro lugar cheio de LCR para fazer meus progenitores.

    Não irei viver o suficiente até começarem a vender a poção dos 200 anos ou a transferência de consciência, então vou aproveitar o máximo que puder.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Pobre Sofredor! Parece um bom plano. Não sei se gostaria de morar na Rússia, mas visitaria com bastante frequência, rs.

      Abraço!

      Excluir
  16. Meu plano:
    Acorda de manhã e fazer yoga.
    Depois ir estudar algum idioma.
    Aí se preocupar com as coisas importantes: o que vou almoçar e qual série vou assistir ou livro ler.
    A tarde ir pro treino de Muay Thai.
    A noite assistir um filme.
    Seria basicamente minha rotina diária.
    Ir no cinema pelo menos uma vez por semana, fazer pelo menos duas viagens por ano.
    Assistir filmes, séries, ler livros e treinar Muay Thai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples e interessante. Minha rotina também não fugiria muito disso. Provavelmente eu incluiria algum curso de idioma no meio em vez de yoga (que nunca pratiquei).

      Abraço!

      Excluir
  17. Muito bom Madruga, eu possuo basicamente os mesmos planos que você.

    Na minha opinião, o principal fator é a possibilidade de não ter rotina, pensar fora da caixa e buscar novas experiências. No meu caso, por exemplo, tentaria me aprimorar no música, trabalhar em um restaurante, trabalhar como voluntário em causal sociais, ministrar aulas de graça de informatica, etc...

    Mas eu não preciso esperar chegar a IF para desenvolver alguma dessas habilidades, a cada dia posso melhorar como pessoa.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Aportador Financeiro! Com certeza tem muita coisa aí que não precisa de IF para aprimorar.

      Abraço!

      Excluir
  18. Eu DUVIDO que alguém iria parar de trabalhar!! Quem tem uma renda de 20k, por exemplo, nao iria deixar de trabalhar e deixar de ganhar 20k.
    Agora se a pessoa ganha só 1000 reais, fica fácil meter o pé.
    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, sumido! Viu o post recente do SoulSurfer? Ele pediu exoneração de um cargo que pagava 20k+...

      Mas concordo contigo, largar um peixe desses deve ser bem difícil!

      Excluir
  19. Eu adoraria largar meu emprego e deixar de ser funça, tenho meus motivos, mesmo agradecendo por não estar desempregado, na realidade ficaria feliz com uma IF simples. Acredito que por estar muito longe dela, ainda não sei o que faria.

    ResponderExcluir
  20. Boa pergunta. Quando eu atingir minha IF continuarei trabalhando porém meus hábitos e hobbies ficarão mais sofisticados. Me darei ao luxo de viajar todo final de semana (minha meta é conhecer todas cidades do Estado de São Paulo), comprar um carro mais possante e construir uma piscina na minha casa.
    Outro ponto a observar é que o valor do IF é muito subjetivo. Pra mim, com 1kk só trabalho em um emprego, agora abrir mão da vocação talvez só faria com uns 7kk, mas cada investidor tem uma perceção diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Boqueta. Com certeza é muito subjetivo. Fora as questões objetivas que também existem por aí, do tipo a pessoa ser casada, ter filho e tudo mais. Tudo isso influencia no "número mágico" de cada indivíduo.

      Abraço!

      Excluir
  21. Excelente post SM,

    Meu projeto é morar no interior, fazer uma casa na terra de meus pais. Lá ainda é bem tranquilo. Caso piore meu projeto vai ter que mudar. Depois da IF pretendo fazer:
    - Plantar para minha subsistência.
    - Fazer umas 2 duas viagens longas por ano.
    - Passear de moto (Harley-Davidson).
    - Praticar tiros.

    Às vezes eu penso em morar em outro país, mas não gosto muito de morar em cidades e não tenho pretensão de comprar terras por lá.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, cowboy! Também penso em interior como uma opção. Não levo uma vida agitada, então um interior cairia bem (desde que tenha internet, rs).

      Abraço!

      Excluir
  22. Grande madruga.
    Minhas razões para buscar a IF são semelhantes as suas.
    Um sonho que alimento, mas não sei dizer se colocarei em prática, é o de ir morar em um barco por cerca de três anos e dar uma volta ao mundo pelo roteiro clássico de cruzeiro, passando por Caribe, Galápagos, Polinésia (marquesas tuamotos e sociedade), Cook, Fíji, Samoa, Vanuatu, Nova Zelândia, Austrália, Papuda nova guiné, Indonésia, Reunião, Maurício, Cabo e Santa Helena.
    Financeiramente é viável. Só não parto agora porque ao retornar de três anos de viagem teria empregabilidade zero. Prefiro adiar o sonho alguns anos e realizá-lo quando dinheiro e trabalho não forem preocupações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Papuda = papua, segundo meu corretor ortográfico.
      Meu sonho de IF não envolve uma visita aos presos da lava-jato.
      Rsrsrsrs

      Excluir
    2. Fala, Anôn! Será que é seguro esse plano da volta ao mundo? Na boa, eu não gostaria nem um pouco de alcançar minha IF e depois sumir no oceano, rs.

      Com certeza 3 anos afastado do mercado do trabalho não te faria bem algum, melhor alcançar a IF primeiro.

      Abraço!

      Excluir
    3. Dependendo de como se executa, é seguro sim, milhares de pessoas fazem todos os anos, inclusive famílias com crianças pequenas, principalmente entre os europeus.
      No Brasil é algo incomum, por isso vemos como algo perigoso. Eu mesmo achava que era algo para malucos até conhecer melhor.
      Risco sempre existirá, assim como existe risco ao se atravessar a rua ou dirigir um carro.
      Porém, pode-se reduzir sensivelmente os riscos navegando-se predominantemente em mares um pouco mais calmos (nada de altas latitudes), esperando-se condições climáticas favoráveis para o início de qualquer travessia (não há pressa nem prazos para chegar ou sair de algum lugar), manutenção adequada do barco, treinamento para situações de emergência e tendo equipamentos de segurança redundantes.
      Com estes cuidados mínimos, a chance de naufrágio reduz significativamente. Naufrágio seguido de morte, torna-se ainda mais improvável.

      Excluir
    4. Interessante, Anôn das 08:12. Realmente, não se fala muito disso aqui no Brasil. Só conheço aquela família Schumman (é assim que escreve?) e o Amyr Klink.

      Excluir
  23. muito bom.


    esse é o meu pensamento sobre a independência financeira.

    ResponderExcluir
  24. Madruga, por incrível que pareça, não penso em parar de trabalhar com a IF. Mas a sensação de NÃO DEPENDER DO TRABALHO, pq isso é bom d+ (já experimentei uma vez). Você vai trabalhar com outro ânimo... Parece incrível, mas as pessoas não conseguem te importunar no trabalho.rsrsrs....

    Além disso atrelo muito trabalho a me sentir útil fazendo algo. Então por isso não penso em parar de trabalhar, mas a verdade é que prefiro ter a opção de largar se achar melhor.

    O meu pensamento de IF não tem carros importados nem mansão. Só um tempo a mais para curtir com a família, fazer algum trabalho voluntário (quem sabe ensinar finanças pessoais pra jovens) e poder viajar. Acho que é bem simples. heheh...
    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, FPI! Imagino que deva ser uma sensação muito boa mesmo, mas eu com certeza gostaria de parar de trabalhar por um tempo. E se for pra voltar a trabalhar um dia, acho que vou preferir algum emprego mais mecânico e menos intelectual... chega de queimar neurônio e me estressar.

      Abraço!

      Excluir
    2. Eu tô com o seu madruga. Qnd me tornar independente, vou parar de trabalhar um tempo e, se voltar, vai ser para plantar em uma fazenda junto com os funcionários, praticar artes marciais, tiro, etc., nada intelectual demais, só um pouco, e muito físico. Na verdade, já estou começando, corro dia sim dia não e pratico artes marciais 3x por semana, mas ainda trabalho infelizmente. Acho que só em 5-8 anos, vou me tornar independente de fato, mas já estou curtindo uma semi-independência tbm, pq pra morrer basta estar vivo.

      Excluir
  25. Madruga, manda o link deste tal blog gringo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://anonlawyer.wordpress.com/2017/09/14/passive-and-active-living/

      PS: Não tem muito conteúdo, ele deletou os posts antigos.

      Excluir
  26. Olá, Madruga!

    Olha, é o tipo de reflexão que sempre fazemos... tenho algumas ideias de como aproveitar o tempo. Na verdade, aprecio e muito meu tempo, pois gosto de fazer várias coisas - sou leitor compulsivo, gosto de viagens, pratico esportes... Enfim, são muitas as coisas que faço com meu tempo. Porém, nos últimos anos, esse tempo tem sido encurtado devido às atribuições do trabalho.

    Aliás, por falar em trabalho, confesso que gosto do que faço, não me vejo abandonando as minhas atividades assim que consiga a IF, apenas diminuiria a quantidade de clientes - acho que exerço a mesma profissão que a tua - e, portanto, ganharia flexibilidade ainda maior que a presente.

    Para finalizar e organizar o meu pensamento, pretendo fazer muitas atividades - há muitos livros de literatura, filosofia e economia para ler, há poesias a serem feitas, lugares a serem visitados, treinos e esportes a serem aproveitados. No entanto, não pretendo me desligar da carreira que sigo, apenas não segui-la integralmente.

    Abraço!

    Anderson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Anderson! Com certeza há muita coisa a ser lida, muitos talentos a serem aprendidos (artes marciais, instrumentos musicais, novos idiomas...). O céu é o limite pra quem quer ocupar o tempo com coisas interessantes!

      Abraço!

      Excluir
  27. Buenas, Madruga! Como já comentei no passado, meu objetivo para a IF é ter menos coisas do que tenho hoje. Ter renda para viver e curtir. Viajar e conhecer lugares e culturas diferentes. Dedicar-me a coisas de meu interesse e prazer, o que pode incluir um 'trabalho' por prazer e não pela necessidade financeira.

    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, investir para viver! Pra mim quanto menos, melhor!

      Abraço!

      Excluir
  28. Madruga.

    Acho que, no caso do RJ, só de poder ficar quietinho em casa no horário de rush já é uma Vitória. Morando num local bem posicionado, talvez experimentemos uma vida alheia a essa dura realidade. Afinal, estaríamos vivendo fora da grande ciranda.

    "What if..."

    Saberemos quando chegarmos lá

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felipe!´É verdade, cara, só de poder ficar no conforto do lar enquanto está todo mundo na muvuca da hora do rush já tá bom demais!

      Excluir
  29. Viver fora do Brasil, já consegui e não me arrependo! agora o que gostaria mesmo era ter a sonhada independência financeira,fazer o que quero e quando quero, deixar de ter medo de perder o emprego, não me preocupar com o dinheiro da prestação da casa, do leite da pituquinha, enfim!

    ResponderExcluir
  30. Minha if é estar preparado, 0 preocupação, tudo sob controle.

    ResponderExcluir
  31. Não está nos meus planos obter a independência financeira. Meu objetivo é conquistar uma liberdade financeira, algo mais suave, que me permita abrir mão de um trabalho exclusivamente pelo salário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, concursado! Parar de trabalhar por depender do salário é o primeiro passo...

      Abraço!

      Excluir
  32. Seu Madruga, seu post veio ao encontro de tudo que penso e tenho feito desde minha independência financeira, há quase 8 anos.

    A liberdade de ter seu próprio tempo é o fator determinante. Tenho escrito sobre isso em vários posts em meu blog. A partir disso que derivam-se todas as outras coisas e, como comentou, tudo é permitido desde que os direitos de outros não sejam violados. Assistir Rede Globo também não deveria ser, mas vamos ser um pouco complacentes com a idiocracia da sociedade rsrs.

    O que minha vida é algo diferente da sua é que sou casado e minha mulher está na rotina da CLT. Assim, viagens do nada são mais difíceis (embora antes do compromisso eu aproveitei para viajar 7 meses pela Ásia rsrs). Tenho pais idosos também que dia a dia dependerão mais de mim, e assim fica complicado sair em definitivo do país por ora.

    Os comentários finais são certeiros: enquanto as pessoas acharem que independência financeira é posar de milionário, ou vão ter que ralar muito mais do que acreditam, ou vão torrar toda a grana antes de irem ao túmulo. Ao menos para quem não nasceu em berço de ouro, não há outras alternativas...

    Abraço e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, não conhecia teu blog! Muito legal, já está nos meus favoritos.

      Luísa

      Excluir
    2. Obrigado Luisa! Espero que goste dos próximos textos!

      Excluir
    3. Olá, André, legal o seu relato! Oito anos de independência financeira, quero isso pra minha vida rs.

      Abraço!

      Excluir
  33. Madruga,

    Acho que a chave ai é o que vc disse: Tempo + Dinheiro. No caso, acho que tempo é tão importante quanto o dinheiro, senão mais. Atualmente vivo como um cara que conquistou a IF, porém ainda não conquistei. O que estou fazendo é trabalhando para gerar rendas passivas online, e fazendo freelas para manter o fluxo de caixa.

    A questão é: existem diversas formas de se viver uma "semi-IF" e acho que a galera perde muita oportunidade. Quanto tempo toma gerenciar uma obra, por exemplo? Ou então comprar e vender ítens? Sei lá, citei alguns exemplos pra mostrar que a IF é algo muito mais complexo do que "Escravo do Trabalho" x "Vagabundo nato".


    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Enriquecendo! Eu não tenho um conceito muito bem definido de semi-IF. O que seria semi-IF para você? Abraço!

      Excluir
    2. Não sou o anom de cima, mas vou dizer o que é semi-IF pra mim. Bom, para mim, IF é ter a capacidade de colocar em prática desejos que são limitados somente por dinheiro, e não por causas naturais, doença, etc. Essa definição traz um espectro: IF é ter 100% dessa capacidade. Semi-IF é ter menos de 100%, mas mais que 50%, sei lá, algum número que torne a vida já relativamente boa, com tempo para fazer exercícios, conversar, trepar, dormir, passear, comer fora de vez em quando, viajar, etc. Quanto mais você tem essas coisas, mais semi-IF você tem. Ter isso por completo seria ter IF de fato.

      Excluir
  34. Excelente post! Gostei muito da menção ao programa da fátima bernades, concordo totalmente! Que porcaria!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E pensar que ela ganha milhões com aquele troço...

      Abraço!

      Excluir
  35. Mais um post top! Madruga, você devia falar um pouco mais sobre países que você tem vontade de visitar ou quem sabe, até ir morar um dia.

    Não encontrei uma forma de entrar em contato contigo então tô deixando meu e-mail aqui. Quando puder, me passa um "oi" ou algo do tipo pra eu falar contigo !!

    e-mail: cabaldadepressao@gmail.com

    Forte Abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Albino! Boa sugestão de post! Escreverei sobre isso, sim.
      Acabei de mandar um oi por e-mail. Abraço!

      Excluir
  36. Realmente algumas pessoas acham que quer parar de trabalhar é anticapitalista. Isso sempre da treta quando comento, tanto que parei de comentar até com pessoas próximas.

    Isso ocorre bastante com o pessoalzinho de escritório que eu conheço. Para eles é o fim do mundo não trabalhar pois estão reféns do Sistema (leia-se dívidas de cartão de crédito + LIS + status social no insta).

    Nem compensa explicar para esse povo como se para de trabalhar para viver de renda. Eles não conseguem guardar nem 100 reais mês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Astro! Já li sobre isso no livro do blogueiro Early Retirement Extreme: existe um estigma muito grande contra quem não trabalha, até mesmo quando a pessoa parou de trabalhar por um bom motivo (viver de renda passiva, por exemplo).

      Abraço!

      Excluir
  37. Magnífico Post Madruga, acho muito mas muito engraçado como ainda tem gente que "precisa" pensar no que fazer depois da IF. Pra mim é extremamente simples e é uma pequena parte da minha lista. Eu tenho certeza que vai faltar tempo pra fazer tudo que eu gostaria.

    1) Poder preparar minhas refeições diariamente.
    2) Desfrutar das refeições em família. 3x por dia.
    3) Praticar no mínimo 1 hora de esporte por dia, indo do surfe ao vôlei.
    4) Cuidar e passar um tempo com os avós, e pais, e também passear com cachorros.
    5) Praticar alguma atividade para mente como ioga, meditação, xadrez.
    6) Fazer cursos de culinária, marcenaria, mecânica, elétrica.
    7) Teria minha oficina das engenhocas em casa, aonde poderia restaurar carros e objetos antigos, confeccionar móveis, criar engenhocas, fabricar uma luminária p ex, etc.
    8) Ter uma bela horta, 100% orgânica, e também um pomar e uma composteira. (dá muito trabalho ter uma horta)
    9) Desfrutar de livros e mais livros, variando entre uma rede embaixo das árvores no sol das 8:30 da manhã, ou em uma cadeira na beira de praia no final de tarde quando o sol já está se pondo.
    10) Por fim (pra ficar bonitinho somente 10 itens rsrsr porque teria muito mais): Dormir diariamente simples e puramente até acordar no dia seguinte, sem qualquer despertador ou compromisso de horário.

    Eu vou fazer um post dedicado no meu blog com essa lista explicando item a item em breve.

    A propósito, acabei de postar no meu blog um Post bem interessante"Casa de Praia 3 em 1" acho que você vai gostar da leitura, claro que não precisa concordar, por favor amigo fico muito agradecido se me colocar aqui no seu Blogroll. Você já está no meu. Um grande abraço.

    https://viverdealugueldetemporada.blogspot.com.br/

    VAT - Viver de aluguel de temporada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver de Aluguel, gostei dos seus planos, isso sim é gastar o tempo com qualidade!

      Vou olhar o post sim, com certeza!

      Abraço!

      Excluir
  38. Eu costumo dizer que meu objetivo de vida é não ter que programar o despertador no celular todos os dias. Quando eu atingir a IF eu provavelmente chegarei nesse objetivo. Acho que a melhor coisa na IF é ter liberdade, sair dessa rotina, acorda, trabalha, lazer alguns dias, dorme. viagem nas férias e volta tudo de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom objetivo, rs. O foda é que eu tenho dificuldade em dormir até tarde. Acordar 9h já é tarde, pra mim. Quem sabe isso muda após a IF.

      Abraço!

      Excluir
  39. O que fazer após a independência financeira? O que der na cabeça! Tem coisa melhor que isso?

    Concordo com todos os seus pontos madruga, trabalhar em si não é horrível (depende de cada caso), mas ter que gastar 8 horas de segunda a sexta por quase 50 semanas do ano fica desgastante depois de um tempo.

    É legal reparar que não trabalhar é o que abre espaço pros outros itens da sua lista. Se você não trabalha é mais fácil aproveitar promoçōes pra viajar, consegue aproveitar descontos no supermercado, existe a liberdade pra aceitar algum outro trabalho que te interesse naquele momento, menos pressão, estresse, etc. Até hoje ainda não encontrei alguém na blogosfera que tenha se arrependido de se "aposentar cedo".

    Bom post pra refletir, abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jovem Poupador! Com certeza parar de trabalhar abre bastante espaço... trabalho via de regra ocupa manhã e tarde da maioria das pessoas, isso é muito tempo!

      Abraço!

      Excluir
  40. Olá Madruga.

    Achei seus motivos para desejar a independência financeira (IF) bem saudáveis digamos.

    Eu não procuro a IF, apenas uma vida financeira com certa segurança.

    Mas como você mesmo disse cada pessoa tem seus motivos.

    Abraço.

    PS: seus posts são muito divertidos. Tente não morrer num acidente de automóvel em Niterói.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, alemão. O que posso dizer é que nos últimos 30 anos tenho tido muito sucesso em não morrer em acidente de automóvel!

      Abraço!

      Excluir
  41. Depois da IF, pretendo participar de grupos de consciência política e ajudar a Esquerda crescer mais no Brasil. Quero ajudar a diminuir a burrice do povão e da classe média.

    Acredito que os funas são os maiores capitalistas do mundo, pois investem em concursos para ter excelentes salários.

    Gostar da iniciativa privado como empregado é assinar atestado de demente.

    Posso morar num balneário com 8k de renda mensal, irei a academia duas vezes por dia, de manhão treino com pesos, de tarde treino aeróbico.

    Por 4 horas por dia posso acompanhar meus investimentos e "trabalhar" com finanças para algumas pessoas.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...