quinta-feira, 22 de junho de 2017

Crianças de 30 anos

Não tenho filhos nem planos de curto ou médio prazo de botar uma criança no mundo, mas, após ler um post do colega Investir para Viver, ando me perguntando o que eu tenho que fazer, caso um dia eu vire pai, para educar Madruga Júnior de uma forma que ele não se transforme num completo paspalho, tal qual algumas pessoas que eu conheço. 

Refiro-me especificamente a alguns ex-colegas de universidade que estão com 30 anos de idade e nunca fizeram absolutamente nada de útil na vida desde que terminaram a graduação, se encaixando já há muitos anos no conceito de NEET.

Exemplos: 

Gabriel tem 31 anos e, após concluir a graduação, nunca correu atrás de nenhum emprego, estando até a presente data a depender financeiramente dos pais, que bancam a habitação, o carro, as viagens, a vida social e as extravagâncias do filhinho (PlayStation 4, aeromodelos, smart-relógio etc).

Renato concluiu a graduação sem conseguir seu lugar ao sol no mercado de trabalho. Ele passou anos a fio sem trabalhar, sempre me dizendo que estava estudando para concursos (estudar para concurso é uma atividade legítima, mas também é a desculpa oficial de muita gente desocupada). Passaram-se oito anos desde a formatura e pelo que sei Renato nunca chegou nem perto de uma aprovação. 

Esses foram apenas dois exemplos, mas eu tô pra dizer pra vocês que conheço pelo menos mais umas 5 pessoas que passaram dos 30 anos e, por mais que tentem esconder isso, não fazem absolutamente nada na vida a não ser sugar o dinheiro dos progenitores.

E olha que estou falando apenas de NEETs! Se for contar também a galera com mais de 30 que trabalha mas ainda depende de ajuda dos pais pra se sustentar, esse número aumenta vertiginosamente.  

Bebês gigantes
Por mais que Madruga Júnior ainda não exista, e pra ser sincero eu nem decidi ainda se quero ter filhos, não consigo deixar de me perguntar o que eu tenho que fazer para impedir que minha cria se torne uma dessas crianças de 30 anos que eu conheço, que simplesmente não se deram conta que a idade chegou e que viver da mesma forma que viviam quando tinham 12 anos é um constrangimento.

Tô longe de ser um "case de sucesso" do sujeito de 30 anos que está com a vida resolvida, mas pelo menos posso me orgulhar de não parasitar ninguém, cumprir com todas as minhas obrigações e ainda sobrar uma bufunfa pra aportar no fim do mês. 

Fica a pergunta no ar: como criar adequadamente um filho?

Não tenho experiência nenhuma com criação de filho, mas existem algumas coisas que o meu pai fez comigo e com meu irmão que definitivamente considero como acertos:

1) Dar a real desde cedo

Desde que eu era bem novo e não tinha nenhuma preocupação na vida, meu pai sempre soltava comentários do tipo "não tenho dinheiro pra pagar universidade particular, você vai ter que passar em pública se quiser um bom emprego" ou "um dia você vai ter que se virar sozinho, não vai ter ninguém pra pagar suas contas, fazer comida, lavar roupa". 

Esse papo em nada atrapalhou minha infância e plantou na minha cabeça a ideia de que um dia eu iria ter que me virar, e se não me virasse estaria ferrado. 

Acredito que isso me deu um bom senso de responsabilidade, coisa que as crianças de 30 anos não têm até hoje, e contribuiu pra formação do caráter. 

2) Palmadas

As punições disciplinares variavam de acordo com a gravidade do ato cometido. Atos de baixa gravidade eram punidos com esporro, de média gravidade com castigo, e de alta gravidade com a boa e velha agressão física.

Punição final
Acredito que palmada é instrumento pedagógico e deve sim ser usada em casos graves. Não consigo imaginar uma criança xingando o pai ou a mãe e sendo punido com "vai ficar sem internet!!". Esse tipo de desproporcionalidade entre ofensa e punição cria crianças de 30 anos. 

3) Carro de presente?!

Tendo crescido num ambiente de classe média, lembro-me de uma galera mais velha festejando os 18 anos. Em algum momento a festa era interrompida para dar o presente pro aniversariante. Iam todos para o meio da rua e...

Tcharam!!!!!
Lá estava um carro, algumas vezes com essa faixa escrota, outras não. 

Acredito que, se você dá pro seu filho um trambolho que custa milhares de reais, você acaba dando pra ele também um belo exemplo de como o mundo não funciona. 

Lá está o moleque, com apenas 18 anos de idade, no conforto de um passivo ambulante que ele não teria a menor condição de pagar sozinho, com gasolina e manutenção que ele provavelmente também não banca.

Que lição isso passa para um moleque ainda em formação? Pra mim isso só serve para gravar no subconsciente da pessoa que talvez a vida não seja tão difícil assim, além de colocá-la numa enorme zona de conforto que não deveria existir nessa fase de recém-adquirida maioridade.

Sei que dar um carro de presente não significa que você vai transformar seu filho numa criança de 30 anos, o processo educacional leva décadas e é muito mais complexo que isso, mas também não consigo enxergar como uma simples coincidência o fato de que os 7 NEETs que me vieram em mente enquanto eu escrevo esse post ganharam carro de presente dos pais, rs.

Como eu fiz questão de frisar desde o começo do post, eu não tenho experiência alguma com criação de filho. O que eu quis compartilhar no post de hoje são coisas que meu pai botou em prática e acho que de uma forma ou de outra me ajudaram, e que pretendo pôr em prática também caso Madruga Júnior venha ao mundo.

E vocês, quantos NEETs conhecem? Têm alguma boa dica de criação de filhos para compartilhar? Alguma coisa que ajudou a formar o seu caráter?

Aquele abraço!

122 comentários:

  1. meu melhor amigo:

    33 anos

    formado em ciencias sociais numa uniesquina

    nunca trabalhou

    mora em um quartinho nos fundos da casa de uma idosa que construiu uns cativeiros pra alugar

    nao faz nada o dia todo, so ficar na frente do computador assistindo anime e jogando rpg

    vive de mesada que a mae dele transfere todo mes

    quando eu tento conversar com ele, mando oportunidade de emprego sei la, ele some uns dias

    depois reaparece puxando outro assunto

    tem muito mais neet por ai do que a gente pensa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desses tem aos montes. Mas a maioria fracassa mesmo, por isso que acabam como o Madruga descreveu.

      Sobre filho:
      Madruga está na página 2, ainda estou na 1.

      Todos, isso mesmo, todos os homens casados com filhos que conheço ou tenho alguma proximidade, são FRUSTRADOS.

      Infelizmente no Brasil não é permitido barriga de aluguel, meu financeiro permite com sobras ter um filho e tenho vontade de ter. Mas não posso assumir uma mulher, engravidar e segurar o altíssimo risco/probabilidade de separação. Ficando sem o filho e ainda com o financeiro devastado.

      Excluir
    2. Anôn das 20:28, parece algumas pessoas que eu conheço, rs.

      Anôn das 15:57, é complicado mesmo. Nem adoção você conseguiria, pois eles vão sempre priorizar um casal em vez de um cara solteiro querendo adotar.

      Abraços!

      Excluir
  2. Isso é uma tendência do Millennials, que são aqueles nascidos entre 1980 e metade dos anos 90.

    Dizer sobre geração não é uma regra, apenas uma inclinação que certas pessoas agirão de uma maneira especifica.

    Os Millennials normalmente são bancados pelos pais que são X (nascidos entre os meados de 60 até final dos 70) ou baby boomers (nascidos no pós guerra).

    Enquanto praticamente os X e os baby boomer são os que "mandam no mundo", pois são Chefes de familia, gerentes, diretores, CEOs das empresas, politicos, etc. e fazem o mundo funcionar e rodar, os Millennials focam em mais em ser do que ter.

    Não há dúvidas que é legal focar em ser alguém, contudo, a ausência de querer sua própria casa, carro, coisas, dinheiro faz eles ficarem sugando os pais até o decidirem qual é o momento que realmente viraram alguém.

    É exatamente essa pessoa citada que estuda para concurso. Até passar no concurso ela se considera inútil. E também a mesma pessoas que sai da escola com 18, faz com que o pai pague 3-5 anos de cursinho para passar na pública para passar em medicina/direito e ficar 5/6 anos só estudando com o pai pagando tudo. Há vários casos, onde o Millennials precisa de mais tempo para ser alguém, enquanto X e muitos do baby boomers sairam de casa aos 18.

    Como muitos dizem, antes a adolescência ia até os 18, mas agora vai até os 35.

    Grande abraço

    Astro.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou um Millennial mas meus pais deixaram claro q iam bancar meus gastos até os 18 anos. Após sair do colegial a cobrança foi monstruosa pra começar a contribuir com a renda em casa.

      Faculdade pública e cursinho ? Nem pensar! Eles não me bancariam o mínimo que é transporte e alimentação durante o curso. A não ser que eu fosse a pé e comesse marmita fria todos os dias (o que era impraticável). Mesmo assim bati de frente e reprovei na FUVEST por ter vindo de escola pública.

      Não tive outra alternativa, a não ser trabalhar e pagar minha própria faculdade. Com isso saí de casa com 22 anos ainda cursando a faculdade, pois fui subindo na carreira enquanto estudava.

      Fui ser independente por parte pressão e parte escolha própria. Isso formou o caráter de um homem de verdade que sou hoje em dia.

      Excluir
    2. Como eu disse, é apenas uma inclinação que certas pessoas agirão de uma maneira especifica.

      Considero também que tive uma visão errônea não mencionando que há Millennials, assim como eu e como você, que já saíram de casa e/ou ajudam nas contas de casa.

      É importante então agora enfatizar que esses de 30 anos que ainda ficam na casa dos pais são uma apenas uma pequena parte da população brasileira. Um pequena parcela, onde os pais possuem recursos para manter os filhos "grandes".

      Excluir
    3. Olá, Astro! Gostei da análise! Se os Millenials já são assim, como será que vai ser a próxima geração? Tô curioso de verdade.

      Abraço!

      Excluir
  3. Madruga nas ultimas décadas a sociedade vem mudando muito, essa é uma das mudanças.
    A natalidade diminuiu, a cobrança por casamento diminuiu, separações aumentaram, exigência do mercado de trabalho aumentou, salários brasileiros são meia bocas na maioria das profissões, país caro... enfim, são muitos fatores que colaboram para essa situação.
    Mas concordo em gênero, número e grau que gerações passadas foram mais corajosas no enfrentamento do mundo e mais independentes, mesmo vivendo em épocas onde as comunicações eram muito mais limitadas que hoje.
    E tem mais, as pessoas que entram no mercado de trabalho muito tarde ou passam por longos períodos de desemprego dificilmente conseguirão chegar perto da IF, sendo assim esse estilo de vida deve ir por longo tempo.

    Posso estar falando uma besteira, mas acho que hoje há mais homens que mulheres nessa situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre sua frase: "Posso estar falando uma besteira, mas acho que hoje há mais homens que mulheres nessa situação."

      Não querendo ser machista, mas muitas mulheres conseguem resolver essa questão com o casamento. Homens também conseguem, mas ocorre em menos casos.

      Excluir
    2. Concordo em partes com você. Realmente o casamento quebra esse galho para muitas mulheres.
      Mas ainda assim boa parte das mulheres casadas também trabalha, cada vez mais ocupando cargos de maior destaque e valorização.
      Será cada vez mais comum mulheres ganhando mais que os maridos. Não sou machista, nem feminista, essa é apenas uma impressão que tenho.
      Acho que parte dos homens de hoje não estão levando a vida tão a sério como os homens de gerações passadas parece que levaram

      Excluir
    3. homens que falharam na vida não tem a quem recorrer a não ser parentes

      mulheres tem essa vantagem: se tudo deu errado, acha alguém pra casar e finge que optou por nao trabalhar pra se dedicar a familia

      nao é machismo, é a mais pura verdade. digo mais: se eu fosse mulher e falhasse na vida, faria a mesmissima coisa

      tenho 36 anos e cansei de ver isso acontecer

      a mulher nao consegue nada alem de um empreguinho que paga uma merreca, vê que nao vai conseguir muita coisa alem disso na vida, casa e encontra alguem que a sustente

      nao falo isso com o intuito de criticar mulheres. como eu disse, eu faria a mesma coisa. instinto de sobrevivencia é isso aí.

      Excluir
    4. Anôn das 21:09, conheço uma galera com 30 anos dependendo dos pais ou com emprego merda que não tem a menor perspectiva de nada na vida. É realmente uma geração perdida. Tô curioso pra saber o que diabos eles farão da vida. Será que vão depender dos pais até os 40? 50 anos? Que coisa horrível... eu me sentiria muito mal se estivesse nessa situação.

      Anôn 18:17, existe essa facilidade mesmo, não dá pra negar. Deu tudo errado? Casa e vira mamãe que "não trabalha pq resolveu cuidar dos filhos".

      Abraço!

      Excluir
  4. É isso aí Madruga, eu não tive faculdade paga pelos pais e não ganhei carro de presente. Saí de casa cedo (antes dos 18) e sobrevivi sem ajuda dos pais. Não foi fácil, mas aprendi desde logo a dar valor ao dinheiro e isso me deu forças para evoluir e alcançar meus objetivos. Pelo menos é o que tentarei passar para o meu filho. Procurarei incentivar a buscar as coisas e fazer ele entender que nada vem fácil. Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, temos histórias parecidas (já escrevi um post sobre aqui no blog).

      Abraço!

      Excluir
  5. neets deveriam cometer seppuku

    alem de envergonharem a propria familia sao tao inuteis para a sociedade quando hippies e ciganos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só não concordo pra não parecer que estou induzindo os outros ao suicídio, rs.

      Abraço!

      Excluir
  6. Vergonhoso quem se encontra nesta situacao.

    Eu penso que a idade "maxima" e quase ideal pra sair de casa seria entre os 28 a 30 anos, pois, em teoria a pessoa ja tera alcançado um bom emprego, tera reservas e podera se manter longe dos pais. Isto faz parte do crescimemto pessoal!

    Na minha casa meu pai sempre ensinou a importancia e o quanto e dificil ganhar dinheiro, nunca esbanjando e sendo um poupador nato.

    Ja tive algumas brigas quando adolescente com meu pai, pois, ele tinha um carro de passeio e uma saveiro para o trabalho, e nunca deixava eu usar o carro reserva, nem quando tirei carteira.

    Ele dizia "agora que voce tirou carteira deve trabalhar pra comprar seu carro, pq o meu voce nao vai usar nunca."

    Fiquei com muita raiva do meu pai, mas hoje vejo que esta raiva e o sentimento de "vou conseguir um excelente emprego para ter meu proprio carro e minhas coisas sem depender deste cara egoista que eu chamo de pai" foi a melhor coisa que ele me ensinou.

    A medida que arranjei bom trabalho, comecei a juntat, fazer faculdade, ele sempre foi me ajudando com dinheiro que faltava, emprestou parte pra eu comprar meu primeiro carro pra ir oara a faculdade e chegar mais cedo em casa, ajudou no primeiro apartamento emprestando na epoca uns 15 mil, reduzindo meu financiamento, e nas obras semprr me ajudou.

    Hoje tenho 30 anos e tenho patrimonio praticamente igual ou um pouco maior ja, a diferença que meu pai tem a aposentadoria em imoveis.

    Madruga, tambem penso nisto de filhos e temos que ensinar o valor do dinheiro, mostrar que nao é facil e temos que guardar dinheiro sempre para as eventualidades.

    Este negocio de dar carro para filhos que completam 18 anos é na minha opiniao um dos piores erros na educacao de alguem, pois ja vi casos assim na minha familia e o resultado é: Como a pessoa ganhou um carro de premio, um empreguinho de 1000 e pouco que pague a gasolina e as baladas e suficiente ...

    Sem o carro, a pessoa buscaria estudar e aumentar a renda pra comprar um carro.

    Abraçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, VDC! Legal a sua história! Também acho que é um erro horrível dar carro aos 18! E curioso o jeito que você expôs a coisa, pois eu conheço uma menina que ganhou um carro dos pais aos 25, e diz que o salário dela só serve pra bancar o seguro, a gasolina e a vida social. Engraçado é que ela diz isso sem o menor pudor, como se o fato de que ela não está construindo nada na vida fosse algo normal.

      Bizarríssimo!

      Abraço meu amigo!

      Excluir
  7. Respostas
    1. E EU também. Foda-se! Meus pais tem aposentadoria de servidores públicos, ou seja, renda alta, girando em 15K.

      Para que vou me esforçar, se alguém já se esforçou o suficiente por mim. A vida é assim, e eu dei SORTE.

      Sou formado, tenho pós-graduação(no IBMEC inclusive), já fui aprovado em concurso do BB e não quis assumir.
      Vivo de boas, apenas alocando corretamente o capital deles e dando todo suporte necessário.

      O elemento histórico é fundamental na vida de um Homem, nessa vida eu venci com o esforço dos outros(mas eles são meus PAIS e essa é a lei natural).

      Excluir
    2. Se eu fosse seu pai, guardaria todos as notas de gasto que tive desde o nascimento e quando você fizesse 18 anos, geraria os boletos pra você pagar.

      Se alguém atinge a IF com filhos, o correto é torrar toda a grana na aposentadoria e não deixar nada para os filhos.

      Se nasceu em berço de ouro, tem que dar valor e multiplicar o patrimônio dos pais e não viver de sangue suga.

      Concorda seu madruga ? oq vc faria nesse caso ao ter um filho ingrato assim ?

      Excluir
    3. Na verdade nao sao seus pais que estao te sustentando, pois quem paga a aposentadoria deles somos nós que estamos na ativa produzindo algo, logo vc é mais um parasita que nós temos que sustentar. Só se liga que pode esta proximo dessa mamata acabar...deficit de 200bi anuais manda lembranças....

      Excluir
    4. É a primeira vez que comento no blog apesar de acompanhar a mais de anos.

      Anônimo23 de junho de 2017 11:02

      É obvio que é os pais deles que o estão sustentando, trabalharam durante anos e o governo roubou parte do salário deles durante todo esse tempo.

      Essa grana roubada, em teoria, deveria ter sido aplicada pelo governo o que geraria uma receita da onde viria a aposentadoria deles. Agora se o governo pegou toda grana enfiou no rabo e ainda continua roubando a população hoje em dia isso não é culpa dos pais dele.

      Excluir
    5. Anôn 10:56, não sei se vou mandar a conta pro meu filho pagar quando ele fizer 18 anos, afinal a escolha de botá-lo no mundo foi minha, e a responsabilidade por suportá-lo na menoridade também é minha.

      O que eu pretendo fazer é exigir que ele trabalhe desde cedo. Preferencialmente que arranje estágios desde o primeiro período de faculdade, e com isso banque a própria vida social, além de bancar contas dentro de casa, pra dar a ele a noção de que ele tem contas a pagar que vão muito além de lazer.

      Abraço!

      Excluir
  8. E a situação só tende a piorar dados os fatos correntes.

    Eu sou Millenial, estou na faixa de 20 a 30 anos e não sei o que aconteceu na criação desse povo da minha geração...

    NINGUÉM MAIS SABE CRIAR FILHOS!

    Eu passo raiva de visitar amigos que já tem filhos. São todos mal educados! E os pais acham normal a criança ficar fazendo merda, quebrando as coisas em casa e desobedecendo os pais.

    E pior do que a situação que você relatou, Madruga, é a seguinte situação: jovem que tem filhos e depende dos pais pra criar os próprios filhos. Isso é o fim da picada! É pior do que só receber uma mesada pra se manter sozinho.

    Eu e a senhora patroa já decidimos. Até os 30 só vai ser estudo, buscar melhorias na carreira e arranjar um bom lugar pra morar. Depois de tudo isso decidido que vamos começar a pensar se vale a pena ter um filho.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Wannabe!

      Cara, eu conheço algumas pessoas nesse estilo aí que você mencionou: pedindo ajuda pros pais pra cuidar do filho.

      Também acho isso o fim da picada.

      Tenho um amigo que teve uma filha junto com a esposa. Ele me disse que ganha R$ 2.000,00 de salário dando aula como professor numa uniesquina e que a esposa está desempregada.

      Curioso é que eles moram num apartamento cujo aluguel + condomínio não saem por menos de R$ 1.500,00.

      Será que uma família de 3 vive com R$ 500,00, que é a sobra do salário dele? Óbvio que não.

      Tá rolando uma ajuda dos "vovôs" com força nessa história.

      Acho isso o cúmulo da irresponsabilidade.

      Mas enfim, cada um com suas escolhas...

      Excluir
    2. Agora imagina Seu Madruga se esse cara fosse o seu filho. Você bancaria ele, a esposa e o seu neto. Ou faria ele amargar a difícil consequência de suas escolhas ? A maioria dos pais de hoje em dia passam a mão na cabeça.

      Esse cara tá vivendo no limite, não tenho dúvidas de quem pagará o aluguel caso ele fique desempregado.

      Excluir
    3. Anôn 17:21, acho que depende muito do contexto.

      Se meu filho é um cara que sempre trabalhou e por um fato extraordinário se viu sem condições de sustentar a família, acho que eu ajudaria sim, mas com a consciência de que eu errei em algum ponto da educação dele, já que ele sequer preparou uma reserva de emergência. Mas ainda assim, eu ajudaria a título de empréstimo, não seria dinheiro que eu aceitaria perder.

      Se meu filho é preguiçoso, vagabundo, nunca se esforçou o suficiente, aí acredito que eu não ajudaria não.

      No caso do meu amigo, confesso que fiquei meio decepcionado. É um amigo de infância, conheço desde os 11 anos. É um cara bem articulado pra cacete, e mesmo novo eu achava que ele ia ter um futuro brilhante.

      Aí está ele, com essa vida medíocre. Uma pena.

      Se ele merece ser ajudado pelos pais? Eu diria que não. Mandaria a esposa dele arranjar um emprego, pra começo de conversa.

      É foda, não gosto nem de pensar nisso rs.

      Excluir
    4. Você matou a charada Seu Madruga.

      Eu sai novo da casa dos pais (21) e mudei de emprego com muita frequência desde então.

      Em um momento da minha vida me vi desempregado e após o meu colchão de 3 meses de reserva de salário na época, não consegui outro emprego.

      Mas por orgulho não falei para os meus pais e não pedi ajuda pra eles. Continuei vivendo minha vida normal.

      Deixei de pagar contas que venciam por falta de dinheiro, prestação da faculdade, cartão de crédito e aluguel.

      Ligaram na casa da minha mãe atrás de mim falando que eu tinha dívidas para pagar porque eu tinha falado no telefone quando me ligaram cobrando que ia pagar quando eu pudesse.

      Ela se sensibilizou com a história e se ofereceu a pagar. De pronto recusei e falei que era problema meu, mas ela insistiu argumentando que se eu ficasse com o nome sujo não conseguiria arrumar outro emprego. Aceitei.

      Ela pagou minhas contas de casa, aluguel, cartão, faculdade por 2 meses até eu consegui outro emprego e mais 1 outro mês até eu receber o novo salário.

      Prontamente ao receber, assumi as dívidas novamente e comecei a pagá-la de volta com o resto que sobrava mês a mês, até quitar a dívida toda com um pequeno acréscimo voluntário da minha parte.

      Acredito que os pais podem sim ajudar os filhos em momentos de crise, mas pela educação que eu tive, não parasitei em cima deles, devolvi quando precisei e temos uma relação de profundo respeito.

      Excluir
  9. Olá Madruga!

    Belo texto! Também vivo me perguntando como educarei o inglês jr... Com esse mundo mimizento sei lá, até penso em não ter...mas acredito que terei filhos.

    Sobre os pontos vamos lá;

    Palmadas; meu pai nunca bateu em nenhum de nós (somos eu, irmão e irmã) Mas ele sempre soube se impor, e isso sem ser agressivo nem nada...

    Dar a real; SIM! determinada idade meu pai sempre chegava na gente e começava a cutucar, já pensou no que quer ser? Já está se preparando?

    Aqui o ponto divergente! Assim que peguei a cnh, meu pai se apressou em fazer eu dirigir. E seu carro passou a ser "meu" no inicio (depois de um tempo, virou meu mesmo)
    Porém, apesar de ter dado o carro, ele me ensinou como cuidar e que esses cuidados seriam por minha conta.

    e o ponto que acrescentaria no seu texto madruga. A arte de dizer não! Meu pai não hesitava em dizer não para nós. Não adiantava espernear, gritar. Quando ele dizia não era não.

    Ah e conheço alguns semi-neets rsrs

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu nick com o assunto da postagem lembra a situação da Inglaterra, os ingleses não querem fazer filhos e estão tendo o país tomado por muçulmanos que fazem, em média, 8 filhos por família, tá foda.

      Excluir
    2. Os ingleses não querem fazer sexo. Filho é consequência.

      Excluir
    3. Situação de carro foi parecida comigo também. Rachamos a entrada e eu assumi as parcelas.

      Teve uma época que mudei de área e comecei a fazer estágio ganhando mal pra caramba, onde meu pai assumiu as parcelas. Depois de um tempo consegui reassumir elas e agora eu que mantenho o carro sozinho (gasolina, impostos e manutenção).

      Excluir
    4. Legal Wannabe! Lobo Branco e Anônimo, não tinha ideia dessa situação ai na Inglaterra... Mas acredito que isso não seja só lá não viu...

      Excluir
    5. Investidor Inglês, legal o seu relato!

      Quanto ao lance da Inglaterra, eu sou bem pessimista com o futuro (longo prazo) da Europa ocidental como um todo, a não ser que de alguma forma eles consigam reverter essa invasão de refugiados, o que eu acho muito improvável que aconteça, pois o discurso politicamente correto é de que é preciso recebê-los e dar assistência social.

      Abraço!

      Excluir
  10. Eu, embora concursado desde os 19 anos, fiquei inerte após frustrações diversas, desmotivação foi grande que atrapalhou meu desenvolvimento, dificuldade em estudar e aprender me preocupam hoje porque caso fosse excluído, eu seria como essas pessoas, embora na corporação há muito trabalho e cursos, fora dela isso é o mesmo que nada, retomei os estudos de um tempo pra cá mas a sensação de tempo perdido que sinto me corrói, o mercado não olha o homem de meia idade da mesma forma do jovem entrando no mercado, como se perguntasse: o que você fazia nos vinte e poucos pra está só agora iniciando?

    Sobre ter filhos, a experiência que temos é em ser filho, pra ser professor você tem que ser aprendiz antes, logo, você teve educação de um pai e aprendeu a ser alguém com isso, irá saber passar em diante, problema mesmo são as más influências que seu filho poderá encontrar na escola ou na faculdade, chega a ser um paradoxo falar em má influência na escola e faculdade, mas é a realidade com a atuação de comunistas em nossa nação.

    Boa postagem madruga, abraço do norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rei do Norte, beleza?

      Concordo contigo, esse lance das más influências é perigosíssimo.

      Você pode criar o filho da melhor forma possível, mas se por algum motivo ele ficar impressionado com a rebeldia das más-influências, aí tudo pode ser colocado a perder a qualquer momento, e isso é algo que tá fora do controle do pai.

      Sabe quando um menor de idade faz merda e todo mundo joga pedra no pai, acusando de não ter educado direito e tudo mais? Acho isso uma acusação muito precipitada. Filho tem vida própria e pode sim fazer merda independentemente de ter recebido a melhor educação do mundo dentro de casa.

      Abraço!

      Excluir
  11. a palavra chave é zona de conforto

    crescer em familia de classe media ou melhor que isso é uma zona de conforto muito grande

    vc passa decadas recebendo sempre do bom e do melhor, entao seu corpo e seu espirito acostuma com essa facilidade

    escola nao ensina a ser adulto, so ensina a passar de ano mesmo

    escola nao da uma nocao de como é a vida fora dela

    nao ensina o que é pagar conta, pagar imposto, ter emprego, ter divida, passar fome, enfim, escola é um mundo ficticio, uma bolha isolada do mundo real

    se em casa o cabra sempre recebe tudo do bom e do melhor e a escola nao ensina como é o mundo real, entao tem tudo pra dar merda

    ensino universitario ja e mais ou menos mundo real, pq vc ta batendo na porta do mercado de trabalho

    no ensino universitario muitas pessoas tomam consciencia disso e tomam jeito na vida

    outras nao

    outras continuam no mesmo ritmo que tinham antes, que é de apoio total da familia e sentimento de que universidade é uma bolha isolada do mundo

    esses sao serios candidatos a ser neet

    saem da universidade se dao conta de que nao sabem nada de nada ai apanham da vida

    ResponderExcluir
  12. Quem ganha carro é abençoado mesmo. Eu prefiro ganhar do que ter de tirar milhares de reais de meus ativos pra comprar um!

    Com 25 mil dá pra pegar um bom carro usado. Mas são 25 mil reais num passivo! Vamos supor que uma pessoa tenha 250 mil e tire 25 mil pra comprar um bom carro usado.

    Isso iria doer no meu coração! Por mais que eu goste de carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo prefere ganhar carro e casa e comida e mesada do que tirar dinheiro do próprio bolso. Acho que tu não pescou muito bem o objetivo do post que é ensinar a pirralhada a se tornar adulto com autonomia. Preferir ganhar tudo de mão beijada todo mundo prefere, se isso faz bem ou não pra formação do individuo ai já é outra história.

      Excluir
    2. Você tem razão anon, todo mundo prefere ganhar as coisas sem fazer nada. (vide esquerdistas mortadelas parasitas do estado).

      A questão fundamental é ser forçado a ser independente, é uma sensação assustadora mas libertadora ao mesmo tempo, já que a sua sobrevivência só depende de você.

      A mesma coisa acontece quando se decide não ser mais funcionário e abrir um empresa, igualmente assustador mas libertador, pois sua fonte de renda só depende de você.

      Liberdade custa caro, já dizia meu professor de sociologia na faculdade.

      Muita gente prefere viver acorrentado como escravo e ter o pão garantido todos os dias do que ser livre e ser responsável por caçar sua própria raposa diariamente pra sobreviver.

      Só que me acostumei com o gosto mais saboroso da raposa e não volto mais a comer pão. ;)

      Excluir
    3. Concordo com o Anôn das 10:40. Faço minhas as palavras dele.

      Abraço!

      Excluir
  13. Atuação de comunistas? Sofre má influência quem é influenciável, cara-pálida.

    Madruga, não tem bula nem manual. Não me julgo o melhor pai do mundo, mas entendo que vc pegou o ponto principal: expor a realidade sem piedade. Quando vejo as crianças imbecilizadas de conhecidos meus, percebo que a gênese está na mentira preguiçosa. Enquanto digo para meus filhos "atravesse a rua distraído e seja esmagado por um carro" ouço os imbecis contando histórias do homem do saco. Educar os filho com mentiras preguiçosas é a perfeita receita do fracasso.

    Outra prática que adoto: expor meus próprios erros, dar a eles a dimensão da minha humanidade e a oportunidade de aprender previamente, minorando toda variedade de sofrimentos evitáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou um s. Segue:

      s

      Excluir
    2. Fala, Charlito!

      É isso aí, quero educar meu futuro filho da mesma forma que você educa o seu: dando a real desde cedo.

      Até uns poucos anos depois do nascimento tá OK deixar ele achar que vive num mundo mágico, mas depois disso vai ser tapa de realidade atrás de tapa de realidade.

      Abraço!

      Excluir
  14. O conceito de NEET é outro, você está equivocado.

    Temos que "abrasileirar" o conceito.
    O "NeetBr" em quadro geral se vê diante de tal:

    1 - Péssimo ambiente no mercado de trabalho (CLT aprisiona, baixa remuneração, horários fixos, atividades massantes)

    2 - Canto da seria de concurso público com altos vencimentos e estabilidade funcional

    3 - Pais babacas e superprotetores(carroça para o filhote, pagar a faculdade, mesada sem cobrar retorno)

    Etc... O Tempo é implacável, passado alguns anos, essas pessoas se veem com 24 à 28 anos, sem conquistas, viveram todo esse tempo na matrix e agora já não possuem forças para mudar a rota e acabam como NeetBr's.

    Assinado,
    EuMesmo, usuário de maconha(recomendação médica em off) para amenizar minha artrose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato isso tudo contribui. Eu tenho uma curiosidade enorme pra saber o que vai acontecer com essa galera que está nos 30 anos e não conseguiu nada. 30 anos você ainda consegue viver sustentado pelos pais, por mais que isso seja uma espécie de constrangimento. Mas e aos 40 anos? 50 anos? O que essas pessoas vão fazer?

      Abraço!

      Excluir
  15. Tenho um conhecido com 36 anos de idade, que se trabalhou 2 anos na vida foi muito!
    - formado em administração e tem umas 4 pós graduações e milhares de cursos;
    - morou no exterior 1 ano;
    - largou o emprego pois achava que ganhava pouco e depois de anos sem emprego está vivendo bancado pelo pai;
    - ganhou carro quando era moleque;
    - milhares de oportunidades na vida!

    RESUMO DA SITUAÇÃO

    Hoje está desempregado com 36 anos e com os pais bancando tudo. Sempre fazendo um curso atras do outro! Tem milhares de cursos no currículo, mas com apenas 2 anos de experiência profissional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho só a graduação da uniesquina e 11 anos de experiência na minha área de atuação. Estou empregado e ganhando bem. O que vale mais ? Cursos inúteis ou experiência ?

      Excluir
    2. Sou o anônimo que postou a mensagem:

      Na minha opinião experiência vale muito mais que milhares de cursos no currículo! O que adianta o cara ter 300 cursos e não saber colocar a mão na massa!?
      Contratar um cara com quase 40 anos nas costas e com apenas 2 anos de efetivo trabalho ou contratar você com 11 anos de experiência? não tenho duvida que você seria contratado!

      Excluir
    3. Anôn 11:14, esse é o famoso ultra-qualificado, mas sem experiência prática nenhuma, rs.

      Aliás, algo interessante de se notar é que muita gente não está conseguindo emprego, daí resolve fazer mestrado para não ficar parado, depois doutorado... Conheço gente seguindo esse caminho, embora nunca tenha tido nenhuma ambição acadêmica. São ultra-qualificados inexperientes em construção.

      Anôn 11:39, experiência com certeza!

      Excluir
  16. Que excelente reflexão seu madruga!

    Acredito que o maior erro dos pais é serem super protetores e querer viver a vida dos filhos. Tem que ensinar os princípios e deixar eles livres.
    Quem recebe tudo de mão beijada não dá valor e acaba se tornando um fracassado preguiçoso como você mesmo disse e eu também atesto ter visto tantas vezes adolescentes de 18 anos recebendo carros de presente sem verdadeiramente merecerem.

    Agora uma reflexão mais profunda, imagina você chegar na IF e seu filho crescer os olhos no seu patrimônio que lutou tanto para juntar. Vai dar tudo de herança de mãos beijada pra ele ? Ou vai ensinar ele a investir e incentivá-lo a guardar seu próprio dinheiro desde cedo ?

    Vai torrar toda a grana que juntou na aposentadoria ou vai juntar forças com seu filho para multiplicar o patrimônio da família e construir um império ? Acredito que isso tudo dependa da criação, pois já vi filhos que parasitam e extorquem os pais velhinhos ricos deles. Acham que por eles terem dinheiro, são obrigados a sustentar o estilo de vida de vagabundo deles pra sempre.

    Mas também já vi casos em que a criação foi boa o suficiente para trabalharem junto com os pais e triplicar o patrimônio e a fortuna da família, investindo corretamente e os filhos trabalhando, claro.

    ResponderExcluir
  17. Muitos caras estão chegando nos 35,40 e nunca tiveram namorada nem nada.

    Não vejo nada demais ter 30 e não ter filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma escolha sábia fazer vasectomia. Mas para um virjão de 40 não faz muita diferença.

      Excluir
    2. Thiago, se eu alcançar a IF e tiver filho, algo que farei é nunca deixar ele ter uma real noção do tamanho do meu patrimônio, pra não correr esse risco dele pensar "ok, sou herdeiro" e tentar montar em cima de mim (no bom sentido).

      Abraço!!

      Excluir
    3. Anôn 11:20, não tenho filho aos 30 anos e pra mim isso é motivo de orgulho, rs.

      Abraço!

      Excluir
  18. Madruga, a única solução que vejo a criançada é o internato religioso/militar.

    Se você coloca a criança em escola pública ela estará exposta ao esquerdismo, drogas, marginalidade, gravidez precoce, violência extrema...

    Se vai para uma escola particular estará em contato com youtubers imbecis, rpg, pokemón, jogos eletrônicos, viadagens, netflix, obesidade...

    Não adianta porra nenhuma botar disciplina em casa, se fora as crianças estarão expostas ao amiguinhos escrotos. Ou mora no meio do mato ou matricula a criança em um internato religioso ou militar. E deixa a mulher o mais distante possível da criação dos rebentos

    Incitatus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Militar principalmente. Já estudei em escola religiosa que não mudava quase nada em relação às outras, só rezava no começo do dia.

      Já a militar fornece disciplina. Se tirar uma nota abaixo da média, leva um puxão quente de orelha. E por aí vai.

      Excluir
    2. Os colégios militares são os melhores do Brasil.

      Excluir
    3. Aqui um excelente colégio pra vcs botarem seus filhos. Super tradicional:

      https://extra.globo.com/noticias/rio/colegio-pedro-ii-no-rio-libera-saia-para-meninos-short-para-meninas-20144252.html

      Excluir
    4. Hahahaha pior que é "tradicional" mesmo

      Excluir
    5. Colégio Pedro II é tradicional pra cacete mesmo, mas estão avacalhando com força por lá.

      Excluir
  19. Enquanto pai eu concordo integralmente com o que foi dito no post.

    Quanto aos comentários, não posso dizer o mesmo. Muita gente bostejando, mas só vão perceber isso quando experimentarem a paternidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É anon, quando experimentarem o desprezo dos filhos pela estreiteza de visão de mundo desses paspalhos.

      Como o idiotés acima querendo criar um filho numa bolha.

      Excluir
    2. se você cria seu filho dando tudo pra eles sem eles merecerem de verdade, eles crescem pisando em você e acham que você tem obrigação de sustentá-los pra sempre.

      Pais duros e que criam os filhos com disciplina não tem o desprezo dos filhos quando eles crescem, e sim respeito e admiração.

      Excluir
    3. Anon 15:42, não existe receita infalível para criação de filhos, tá cheio de famílias humildes, com pais humildes e trabalhadores que também tem problemas parecidos.

      Criar os filhos com uma educação realista e sem terrorismo, penso ser o melhor caminho, mas cada filho e um universo diferente.

      Excluir
    4. Anôn 12:41, não sei de que bostejada você está se referindo, então fica difícil comentar, rs.

      Abraço!

      Excluir
  20. Ótimo texto, Madruga!!!
    Frase chave:
    "1) Dar a real desde cedo
    Desde que eu era bem novo e não tinha nenhuma preocupação na vida, meu pai sempre soltava comentários do tipo "não tenho dinheiro pra pagar universidade particular, você vai ter que passar em pública se quiser um bom emprego" ou "um dia você vai ter que se virar sozinho, não vai ter ninguém pra pagar suas contas, fazer comida, lavar roupa".

    ResponderExcluir
  21. Meus filhos serão malhados no fogo forte como o aço.

    Se isso é correto? Segundo o bando de filósofos pedófilos comunistas franceses que dominaram a educação após os anos 60, não.

    Conheço gente como você descreveu e por anos buquei analisar os motivos de terem se tornado páreas. Você está certo em fazer este tipo de ponderação se deseja ter filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa, CF! Eu também pretendo criar dessa forma!

      Gostei dos "filósofos pedófilos comunistas franceses" rs, é bem isso mesmo.

      Abraço!

      Excluir
  22. Incrível a capacidade de adaptação do Homem.

    Quebrei o braço direito no Jiu-Jitsu e rapidamente aprendi a PUNHETAR com o braço esquerdo. Fantástico, foi a prova cabal de que sou capaz.

    ResponderExcluir
  23. Madruga discordo de vc na parte sobre dar carros pois o pobreta ja disse
    "Você pode dar carro para seu filho quando completar 18 anos? Se seu círculo social é classe média baixa um popular? Se é alta pode dar um Hatch legal fodão pra ele? Carro é um instrumento VITAL para seu filho principalmente na faculdade. Não ter carro é uma das maiores humilhações para um jovem e ele precisa de um para nunca sofrer humilhações cruéis de ver gatas com outros machos."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não ganhei carro de papai nem me pagaram faculdade. A humilhação no meu caso, foi ter que trabalhar duro e dar o sangue pra subir na carreira e conseguir o carro e a faculdade com meu próprio esforço!

      Excluir
    2. Olá, Anôn!

      Acho que são duas abordagens diferentes para a questão "dar ou não carro pro filho".

      A minha abordagem é no quesito educacional. Nesse quesito, acho que dar carro pro filho é uma péssima ideia, pelos motivos que expus no post.

      A sua abordagem é na vida social do filho. De fato não ter um carro atrapalha a vida de solteiro do moleque, mas é possível amenizar isso de várias formas, especialmente pra pegação sem compromisso.

      Pra começo de conversa, lei seca é uma excelente desculpa para estar sem carro no local da pegação. Você diz que não foi de carro porque está bebendo. É uma desculpa plausível e você ainda paga de responsável. Quer levar alguém pro abatedouro? Táxi, uber...

      Mas nada impede que o pai empreste o carro pro filho também. Isso resolve o problema, pois emprestar o carro pro filho é algo bem diferente de dar um carro pro filho.

      Abraço!

      Excluir
  24. SMI,

    Hoje em dia a geração é mimimi, infelizmente. Falam que é geração Y, Z, é uma ova. O que falta é palmadas dos pais para colocar o filho na linha desde pequeno e mostrar que o mundo não é fantasia. Apanhei quando era criança, quando fazia escândalo no mercado por chocolate e hoje sou o que sou graças a isso também. Nunca tive carro, sempre andei e ônibus e isso fez eu batalhar para conseguir algo que parecia impossível e hoje moro e trabalho no exterior. Abraços e da uma passada no meu blog, acompanho o seu e ele ja esta no meu blogroll. Abraços,

    Um brasileiro na Arábia,
    http://brasileironaarabia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sempre andei de ônibus. Inclusive acho que andar de ônibus ajuda a formar caráter, rs. Não que a pessoa deva andar de ônibus pro resto da vida, mas durante esse período de formação educacional eu acho importante.

      Vou adicionar ao blogroll. Só te aviso de antemão que eu tiro e boto gente do blogroll o tempo inteiro. Dentre os critérios que eu uso pra excluir do blogroll está a galera que pede pra ser adicionada e depois nunca mais aparece aqui no blog.

      Abraço!

      Excluir
  25. Eu acho que o cara só pode ter filhos quando ele tiver milionário e com mais de 35 anos e é claro casado com uma mulher gata de genética boa pois assim você terá um filho com boa genética e tera condições de dar uma boa alimentação e pagar escolas particulares tops para ele e também você terá alguém para deixar a sua herança milionária

    ResponderExcluir
  26. Primeiro quero parafrasear o autor: "me orgulhar de não parasitar ninguém" E rir um pouco, rs. A coisa tá tão feia que não parasitar é uma comemoração no meio de tanto bunda mole folgado!
    Comigo ocorreu o mesmo, meu pai sempre foi transparente quanto a condição financeira de nossa família e alertava que faculdade só federal, em função da gratuidade.
    Eu saí de casa aos 18, em função do trabalho, e hoje ajudo minha família que tanto fez por mim, tudo fruto de trabalho, esforço e claro, orientação e planejamento!
    Já os mais jovens gastam seu tempo com o universo digital e inutilidades, sendo que a grande massa continua sem progredir, entorpecida com essa distração da contemporaneidade.
    Também não quero ter filhos, tenho esse medo de ser permissivo e dar merda ou ser rígido e a atual realidade corromper a prole, tornando-a alienada e acomodada. Tá foda viver, rs..
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lorde! De fato a galera mais jovem tem uma preocupação fora do comum com o universo digital. Ter um comentário ou foto bem aceito no Facebook/Instagram é o ponto alto de muita gente. Um dia a realidade vai bater na porta de quem só se preocupa com esse tipo de futilidade.

      Abraço!

      Excluir
  27. Grande post Madruga! Mais um motivo pra não ter filhos... não preciso me preocupar com isso.

    Pior q viver as custas do papai é a falta de maturidade de muita gente de 30 e poucos anos. Com 20 eu já trabalhava, tinha carga de gerência, carro, moto, namorada... mas isso pq comecei trabalhar com 14, acho que todo mundo deveria começar trabalhar cedo.

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Corey! Isso é o que mais me motiva a não ter filho: uma preocupação a menor. Não que eu ache que ter filho é uma experiência ruim, definitivamente não acho isso, mas definitivamente não tô com disposição pra me tornar responsável (em todos os sentidos da palavra) pela vida de uma outra pessoa.

      Abraço!

      Excluir
  28. Eu posso estar errado, mas acho que a grande maioria das pessoas vivem completamente fora da realidade.
    Eu sou servidor federal. Tenho 32 aos e tenho 10 anos de serviço público.
    Comecei a trabalhar com 17 anos e nunca parei. Com 18 aos eu trabalhava numa franquia dos correios e fazia cursinho a noite. Isso não impediu de, mesmo tendo feito ensino médio na escola pública, passar em administração na federal.
    Meu curso eram 4 anos e levei 6 pra me formar, basicamente por que trabalhei durante todo o período. E mesmo trabalhando de segunda a sábado e fazendo faculdade consegui passar em 3 concursos públicos. Me formei e passei em outro.
    Aí fico olhando, tenho colegas no trabalho que os filhos tem 28, 29, 30 anos e não fazem porra nenhuma a não ser estudar pra concurso e não passam.
    Tenho uma colega de sala que os 2 filhos formados estudam pra concurso de tribunal, vivem viajando pra fazer prova. Ela se aperta pra bancar cursinho, inscrições, viagens. Os caras nunca trabalharam. Já conversei com eles algumas vezes, são totalmente imaturos. E conversando sobre alguns assuntos deu pra notar que eles deixam muito a desejar.
    E o que é pior é que não passaram na época do boom, quando vários órgãos incharam seus quadros. Agora a tendência é ter muito menos. E essa galera não têm plano B.
    Eu acho isso muito preocupante. Toda uma geração querendo ser servidor público. Isso por si só é um problema. E não tem vagas pra todo mundo.
    O que essa galera que não passar irá fazer daqui a 10 ou 15 anos ou quando a ficha cair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu plano b é me alistar no exército e entrar na aman(academia militar agulhas negras) é sair como oficial subalterno ganhando 5,4k

      Excluir
    2. É o que você mesmo falou, nada impede uma pessoa de trabalhar durante o dia e estudar para os concursos à noite.

      Emprego existe, mesmo que seja de garçon, sempre tem vaga, mas o ego não deixaria uma pessoa formada "se humilhar" fazendo faxina, não é ?

      Morei nos Estados Unidos uma época e fazia faxina, era garçon, mesmo sendo formado. Não há nada mais gratificante do que trabalhar sendo garçon, ser independente e não depender do dinheiro dos pais.

      Mas isso porque eu quis, se eu quisesse meus pais deixavam eu ficar lá na casa deles sem trabalhar, eu que tive consciência e não quis ser um peso morto de 30 anos na vida deles.

      Excluir
    3. Também tenho essa sensação de que tem muita gente vivendo completamente fora da realidade. Digo isso não só em relação a alguns concurseiros que conheço, mas também em relação a uma galera que trabalha em troca de menos de R$ 2k/mês num trabalho sem nenhum plano de carreira e parece estar OK com isso.

      Vivo olhando para alguns conhecidos e me perguntando "será que essa pessoa não se toca?", "será que não percebe que ela não está construindo nada e que se continuar nesse ritmo vai ter um futuro cruel?".

      Abraço a todos!

      Excluir
    4. Eu percebo que isso acontece mais com as mulheres em ficar em empreguinhos de quinta categoria ganhando pouco, porque na visão delas, ou os pais sustentam ela e o salário é só pra bancar a vida boêmia, ou esperam receber no mínimo a casa dos pais de herança, por isso não se preocupam com o futuro, ou tem o objetivo de fisgar algum otário para sustentá-las.

      Tenho tias na família com mais de 50 anos sem trabalhar, onerando a pobre da minha vó aposentada que é obrigada a dar casa e comida e talvez alguns mimos.

      Graças à Darwin, esses genes da vagabundice e da folgadice não herdei e vivo pleno, morando sozinho, trabalhando duro, frugalidades e aportes ao máximo, em busca da IF.

      Excluir
  29. Só não concordo com a questão da palmada. Acho desnecessário. Muitas vezes só serve para descarregar a raiva dos pais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anôn! Parece que sobre isso não existe um consenso até mesmo entre os especialistas. No meu caso, sinto que ajudou.

      Abraço!

      Excluir
  30. Anon: 20:19, penso que as pessoas que não tem experiência profissional e se focam apenas em estudar para concurso tendem com o passar da idade e com o acumulo de possíveis insucessos em concursos a desenvolver uma insegurança muito grande com relação a sí mesmo.
    Eles sabem que aos 30, 30 e poucos anos em teoria já era esperado estarem num estágio mais avançado da vida (com algum patrimônio, com uma certa experiência profissional, com uma boa dose de independência emocional e financeira etc) e não ter nada disso costuma pesar, mesmo pra quem não admite e isso derruba a auto estima da pessoa.
    Por isso a insegurança e a consequente imaturidade.
    Apostar todas as fichas em concursos eu considero um erro, a chance de não ser aprovado em bons concursos é alta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anôn, excelente comentário. Nunca fui concurseiro, mas conheço bastante gente que tá nessa, e vejo que de fato, depois de uns anos acumulando insucesso a insegurança bate com força.

      Abraço!

      Excluir
  31. Fala seu Madruga, grande post!

    Infelizmente essas crianças vem se tornando cada vez mais presentes na nossa sociedade.

    Esses dias estava lendo alguns materiais do Walter Schloss e estava escrito que a cada 3 gerações 1 delas perdia todo o capital construído pelas gerações anteriores.

    Hoje não sei dizer se é a nossa geração que está destruindo o capital dos seus pais e avós ou se essa proporção de gerações que perdem todo o capital está aumentando porque realmente é incrível a quantidade de pessoas que continuam vivendo sem sequer fazer um esforço pela sua independência.

    Tudo bem estar em uma situação desconfortável e precisar de ajuda, ficar um tempo desempregado e pedir socorro para os pais, mas mexe a bunda e tenta sair dessa situação, algo que não acontece, neguinho tá fud&#@ e fica sentado no sofá assistindo netflix...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você colocou um ponto bem interessante Gabriel, realmente o que mais vejo por aí é a geração de folgados destruindo o patrimônio dos pais. Isso aconteceu com meu avô, que fez fortuna mas os filhos torraram toda a grana da herança quando ele morreu. E o pior que nem casa própria nenhum deles foram inteligentes o suficiente para investir.

      Aquela máxima né, vem fácil, vai fácil, brotam muitos "amigos" do nada, quando sabem que você tem muita grana e desaparecem quando você já não tem mais nada.

      Eu não vou cair no erro do meu avô e nem dos meus pais. Quando atingir a IF vou torrar tudo até o final da minha expectativa de vida e não deixar nada pros meus filhos. E obviamente eles não podem saber da minha grana, senão serei apenas mais um velhinho que será extorquido pelos filhos e serei obrigado à sustentar vagabundo esquerdista que não quer saber de trabalhar, nem ao menos fazer uma faxina em casa e lavar a louça quer.

      Excluir
    2. Cara, se Agora já tá difícil acomular um milhão que dirá a 30 anos isso me lembra um posto do pobreta que ele ficou puto com o Bill Gates quando o Bill Gates disse que não deixara nada para o filho dele mas eu não deixarei tudo ao mês filhos ex se eu tenho 10 milhões e tivesse 2 filhos eu daria 3 milhões pra cada um e pronto. Se meus filhos forem 1 menino e uma menina eu irei deixar 6 milhões ao meu filho e nada para minha filha pois mulher nasceu no modo easy day vida

      Excluir
    3. Tá e o que o seus filhos fizeram para merecerem tantos milhões de mão beijada ? Aliás, pra quê se sacrificar para acumular uma fortuna só pra entregar para os outros ? Estou acumulando para poder gastar tudo com o que eu gosto isso sim. Os outros que quiserem dinheiro que andem de bicicleta e levem marmita para economizar.

      Excluir
    4. Anônimo 14:40 você acha que eu darei meu suado dinheiro pra filho vagabundo esquerdista?
      Não eu só daria parte da minha fortuna se meu filho fosse um bom filho

      Excluir
    5. Ser um bom filho não é suficiente, de boa intenção o inferno tá cheio. Tem que fazer por merecer.

      Eu sempre fui um aluno mediano na escola e quando eu queria as coisas, minha mãe pedia notas altas em determinadas matérias. Me esforçava ao máximo para conseguir sair da média e entrar pra elite. A mesma coisa com comportamentos. Parar de bater nos outros e ser cortez e educado.

      O problema dessa estratégia é que após ter o que queria, voltava à mediocridade, já que não precisava mais me esforçar.

      Em contra partida, um colega da minha sala tinha de tudo, escolinha de futebol, fazia natação, karatê, tinha video games novos, quadriciclos motorizados, etc e etc

      Mas a cobrança pra cima dele era violenta, tinha tudo do bom e do melhor mas suas notas tinham que ser todas 10 obrigatoriamente. Um 9.5 não era o suficiente. Uma vez ele chorou na sala porque ia com 9.5 de média em uma matéria e seus pais o repreenderiam violentamente. A professora acabou arredondando pra cima porque ele tinha 10 em todas as outras matérias, achou que ele merecia.

      Moral da estória: ter uma cobrança e pressão violenta em troca de tudo é ruim. Dar tudo de mão beijada pra filho que não merece é ruim. Acredito que a estratégia que foi abordada comigo é melhor, porque força a criança a ser boa e ter motivação própria quando ele quer e precisa.

      Ninguém precisa ser um robô perfeito o tempo todo, mas se quer alguma coisa, tem que fazer por merecer realmente e não receber nada de mão beijada.

      Excluir
    6. Olá Gabriel! Obrigado! Não conhecia esse estudo aí. O mais próximo disso que eu conheço é o ditado "pai rico, filho nobre, neto pobre", que acontece bastante mesmo.

      Anôns, eu procuro não pensar nesse assunto que vocês estão discutindo, já que acho muito pouco plausível que eu me torne um cara com milhões pra gastar ou dividir entre filhos, ou seja, é bem improvável que eu enfrente um dilema desse porte, rs.

      De qualquer forma, falando bem hipoteticamente mesmo, na eventualidade de eu me tornar um multimilionário que estivesse diante desse dilema, acredito que eu faria tal qual o Bill Gates, que se comprometeu a dar US$ 10 milhões para cada filho, e o resto vai para a caridade (acredito que pra fundação que ele tem).

      US$ 10 milhões é dinheiro pra caralho! O suficiente pra seus filhos e netos nunca mais se preocuparem com dinheiro, se não forem completos retardados mentais.

      Se você der mais do que isso, o seu dinheiro vai parar na mão de bisnetos, de tataranetos, enfim, de um monte de gente aleatória que nem nasceu ainda, que vai viver vida de príncipe sem nem se recordar que um dia você, o criador da fortuna, um dia existiu.

      Sinceramente, Anôns, fodam-se todos os meus herdeiros que eu sequer estarei vivo pra conhecer! Eu deixaria o suficiente pra dar uma vida confortável aos meus filhos e o resto que se foda.

      Abraços!

      Excluir
  32. http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/ex-polegar-ricardo-costa-e-preso-por-divida-em-pensao-alimenticia-em-taubate-sp.ghtml

    Lembrei de você quando vi essa reportagem, Madruga, haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk este cara nao tem jeito... 4 filhos nas costas, devendo mais de 300 mil reais....e em uma das reportagens que vi a respeito dele, o msm morava numa casa com piscina

      Excluir
    2. Fala, Nomade! Eu vi isso aí! Parece que o poço desse cara não tem fundo...

      Victor, muita gente é assim como ele, tá tomando no tereco financeiramente falando, mas não abre mão do padrão de vida...

      Abraço aos dois!

      Excluir
  33. Independente de idade tem muita gente acomodada.
    Tem cara que casa com mão solteira só pra não ter o trabalho de fazer filho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é acomodado,é Beta mesmo

      Excluir
    2. Nunca tinha pensado nisso. Casar com mãe solteira (sem casar no papel, óbvio) faz muito sentido, pois você pode ter a experiência de ser pai, sem ter a responsabilidade. Quem paga pensão e sustenta ela é o fulano. Se der qualquer merda quem é responsável e vai criar é a mãe e o fulano. É o melhor dos mundos.

      O problema é que mães solteiras só querem casar com betas para eles serem os provedores, ou seja, pagar ou complementar a pensão que o pai do filho dela não faz. E o sexo selvagem vão continuar reservando para os cafagestes e até mesmo ter um caso secreto com o ex.

      Ou seja, essa situação que eu descrevi no primeiro parágrafo não funciona na vida real, pois mãe solteira que é sustentada por pensão vai continuar indo pra balada.

      Se tiver preguiça de fazer filho é melhor adotar mesmo.
      Mas ainda acredito que a melhor opção é a vasectomia.

      Excluir
    3. Anôn das 10:06, existe um risco muito grande nisso aí, que é a tal da paternidade socioafetiva. Não é preciso muita coisa além de algumas testemunhas e fotos pra convencer um juiz de que você agiu como se pai fosse, e por isso deve também pagar pensão à criança caso você se separe da mãe biológica.

      Excluir
    4. Anon 10:06, sou o anon 17:48.
      Fiz o comentário das mães solteiras, mais como uma brincadeira mesmo, nem havia pensado nessas situações que você falou.
      Só quiz passar que tem gente tão preguiçosa que nem tem disposição para uma metida.

      Na verdade penso que a questão de ter filos ou não é muito maior que a questão financeira.
      Também não vou julgar homens que se casam com mães solteiras, pois existem homens que assumem esses filhos e criam/educam como se fossem seus, portanto é uma questão pessoal.
      Apenas acho que escolher um relacionamento desse tipo deve ser muito bem pensado para evitar uma série de possíveis problemas futuros.
      A decisão deve ser realista e responsável.
      Pelo que eu saiba "padratos" tem sim suas obrigações legais, a situação não é tão simples assim.
      Por fim, assumr um relacionamento apenas por sexo é meio complicado.
      Lógico que sexo tem sua importância, mas quem quer um relacionamento a longo prazo como casamente deve ter outras afinidades.

      Excluir
    5. Você me abriu os olhos madruga! Não tinha conhecimento desse fato!!!!

      Padastros, por leis podem ser requeridos a pagar pensão em união estável. Tá cheio de processos por aí. Que mãe pilantra, não consigo ter nada além de raiva pra uma **** dessas. Fode com todo mundo, pai biológico não paga a pensão ? Não tem problema, arranja um outro otário para pagar. Esse também foi parar na cadeia e não pagou ? Problema nenhum, arranja outro otário e assim sucessivamente.

      Acabei de ver um caso na internet onde o cara foi TRAÍDO, constava no exame de DNA que o filho não era dele, o cara não tinha mais contato com a "filha" à mais de 6 anos mas o FDP RETARDADO MENTAL ESCROTO DO JUIZ, ainda sim, fez ele pagar pensão.

      EM HIPÓTESE ALGUMA CHEGEM PERTO DE MÃE SOLTEIRA PORQUE A POLÍTICA E JUSTIÇA BRASILEIRA SÃO PATÉTICAS E ESTÃO COMPLETAMENTE FORA DA REALIDADE.

      Excluir
    6. Anôn das 12:23, que bom que pude ajudar, rs.

      Na boa, não sei nem se quero ter filho próprio, então se tem algo que eu não quero é me aproximar do filho dos outros (ou melhor, das outras), pra depois correr o risco de virar pai socioafetivo.

      Abraço!

      Excluir
  34. seu madruga estou rastreando todos os prédios de 1 quarto num raio de 1km do supermercado millenium no centro pra descobrir onde vc mora e tomar um cafe no seu ap

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lance de eu morar no centro é uma ilação criada por criminosos confessos que querem reduzir suas penas por meio de delação premiada. Todas as minhas contas foram apresentadas e aprovadas pela justiça eleitoral.

      Mas muito provavelmente eu não vou ter nada além de água pra te oferecer, rs.

      Excluir
  35. Eu, como um Y, vejo isso acontecendo aos montes com meus pares.
    Essa idéia da geração X de que "meu filho deve ter o que não tive" é uma viagem absurda. O resultado são crianças/adultos mimados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei de dar uma pesquisada no Google sobre esse negócio de geração, pois sou meio desligado com essas coisas e só agora me dei conta que sou geração Y.

      Curioso que no fim do texto que eu estava lendo o cara disse:

      "A geração Nem-Nem (nem estuda, nem trabalha) sempre existiu. Mas agora está aumentando (veja Schujman, cit.). Ela é alimentada pelas gerações Y e Z (é, portanto, uma intergeração). São jovens que não crescem emocionalmente, não se apaixonam por projetos; são abúlicos; não se interessam pelas coisas nem pelas pessoas. Ser adulto lhes assusta. Perpetuam-se na adolescência. São apáticos, nada interrogativos, não conseguem eleger as coisas etc".

      Resumiu o post, rs.

      Abraço!

      Excluir
  36. Olá, Seu Madruga!

    Excelente post! Vejo um povinho de 20-25 anos onde trabalho com essa mentalidade, mas acima dos 30 tem minha prima. Tá enrolando o namorado há uns 8 anos porque no fundo não quer se casar pra não sair da aba do pai. Formada em Pedagogia, nunca trabalhou e sua ocupação é "concurseira", sendo que nenhum concurso paga o que ela quer receber. Nojo de gente assim!

    Um abraço :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jacqueline! Não tem jeito, muita gente que é perdida na vida agora usa esse pretexto de que é concurseiro pra de alguma forma se justificar perante a sociedade.

      Outro abraço!

      Excluir
  37. Madruga, nenhum parente ou "amigo" pediu emprego pra você, para trabalhar aí na sua empresa?
    Pergunto isso pois imagino que quem tem empresa, mesmo que bem pequena pode em algum momento sofrer uma certa pressão de familiares para empregar algum parente, especialmente em momentos de crise.
    Ou pior, quando algum parente não muito chegado ao trabalho vem pedir emprego, pra na verdade se encostar na sua empresa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anôn, felizmente a maioria absoluta dos meus familiares está do outro lado do país, então ninguém nunca me pediu emprego não.

      Conheço bem meus familiares e posso te garantir que, se não fosse a distância que nos separa, eles iam sim pedir emprego na minha empresa, o que ia criar uma situação bem constrangedora pois eu acabaria tendo que inventar uma desculpa pra sair pela tangente, pois contratar parentes me parece uma ideia horrorosa.

      Amigos também nunca me pediram nada. Eles pedem serviço de graça, o que também é bem constrangedor, pois eu tenho que usar o discurso do "não me peça de graça a única coisa que eu tenho pra vender".

      Mas na boa, a real é que não cabe mais gente na minha empresa. O espaço físico comporta as pessoas que já trabalham aqui, mais do que isso a pessoa não vai ter nem onde sentar (escrevi sobre a redução do espaço físico num post novo hoje).

      É realmente impossível botar mais gente pra trabalhar aqui, a não ser que alguma pessoa que já está trabalhando aqui morra, aí sim aparece uma vaga, rs.

      Abraço!

      Excluir
  38. Seu Madruga ...
    Sabe que as vezes eu me sinto um fracassado por eu não ter feito a minha vida .. Ou seja "sair de casa" .. Por um lado parte da culpa foi deles , pois como eu não consegui fazer várias cadeiras na faculdade fazia somente 3 disciplinas .. Ou seja eu não me culpo quanto a isso .. Sim eu não passei em uma federal e acho que isso não faz ninguém ser vitorioso ou não ..
    Tenho 29 anos ... Ainda não sai de casa , ganho cerca de 3000 reis por mês , ou seja , se eu sair agora .. Tenho dinheiro o suficiente para comprar um Apartamento , porém tem o lado negro da história eu nunca vou "aportar" financeiramente ou seja nunca irá sobrar por ano os 40 mil reais .. Porque eu gasto com o meu celular .. e dou meu vale alimentação que é de 410 reais para eles ..
    Ou seja .. Na verdade eu participo dos gastos aqui em casa também ! nada mais do que justo ..
    Se eu sair agora eu nunca poderei pegar a economia de 2 anos comprar ações na baixa e vender na alta .. NUNCA !
    Na minha matemática de "boteco" vou ter 1 milhão de Reais se tudo der certo e se eu sempre ganhar as ações lah pelos meus 35 anos ..(conseguirei a minha independência total financeira).
    Isso porque parte do dinheiro eu vou colocar no LCA (letras de crédito do Agronegócio) e o resto eu posso aventurar com ações ..
    Mesmo as ações dando totalmente errado , vou ter parte do dinheiro aplicado em LCA , e querendo ou não para ser bem sincero vejo que meu "sonho" de sair de casa fica cada vez mais distante .. Parece que algo difícil de alcançar .. Mesma coisa para um calouro se formar .. Algo longo ...
    Eu não me comparo com os outros mais pelo menos estou tentando fazer algo melhor ..Aportar financeiramente .. Ter ideia de onde vou colocar meu dinheiro ..
    Acho que o segredo é aportar financeiramente .. Esse é o X da questão..
    Enquanto isso vou postergando minha saída .. Detalhe de tudo isso ninguém fica rico em menos de 15 anos ganhando 5 mil por mês isso é ilusão .. Entra inúmeras dispesas extras que não estão no jogo .. Ainda mais se o camarada tem família e filhos ... Daí fudeu .. Se a mulher não trabalha fudeu ainda mais .. Por isso que essa guria advogada eu iria correr uns 10 mil Km dela..

    Advogados só para amizade mesmo , porque para uma relação é muito complicado !




    ResponderExcluir
  39. Sabe a minha dor? É que eu passei uns bons anos da minha vida estudando pra concurso e sempre ficando na beira de ser chamada... Até que não consegui viver de renda da mãe. A mínima caneta que eu ia comprar, me fazia ter raiva de mim mesma.
    Ler esse artigo me fez pensar um monte - até onde eu sou uma pessoa de 30 NEET?
    Larguei a vida de concurseira e hoje estou como PJ, mas mesmo assim o baque de matar um sonho e esforço me atormenta a vida. Venho ler o Seu Madruga pra saber por onde começar... Me sinto bem perdida =P

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...